CBV anuncia transmissões de jogos pela internet



A íntegra da nota oficial antes de qualquer comentário:

“A Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) transmite pela internet a partida entre Vôlei Nestlé (SP) e Dentil/Praia Clube (MG), nesta quinta-feira (23/2), às 19h30, pela oitava rodada da Superliga feminina. A transmissão é produzida pela CBV e o jogo será exibido na fanpage da entidade no Facebook, com som ambiente.

Mais três jogos pela fase classificatória da Superliga terão transmissão produzida pela CBV com exibição em seus canais de comunicação: Vôlei Brasil Kirin(SP) x Funvic Taubaté (SP), Superliga masculina, 4 de março, às 18h; Rexona-Sesc (RJ) x Camponesa/Minas (MG), Superliga feminina, 7 de março, às 20h; e Funvic Taubaté (SP) x Sada Cruzeiro (MG), Superliga masculina, dia 8 de março, às 20h. Também estão previstas exibições das partidas das fases de playoffs da Superliga (quartas de final e semifinais) que não tiverem transmissão ao vivo pela televisão, assim como as semifinais da Superliga B (masculina e feminina).

As transmissões que se iniciam nesta quinta-feira têm caráter de teste para implantação de um calendário de exibições pelos canais da CBV já na Superliga 2017/18. O projeto faz parte do planejamento estratégico da CBV para a Superliga em suas próximas quatro temporadas, a partir de consultoria desenvolvida durante o ano de 2016 pela CSM, empresa com atuação internacional no segmento esportivo.

Para o sucesso do projeto, foi fundamental a renegociação dos direitos de transmissão de televisão da Superliga, em setembro de 2016, quando a CBV recuperou a possibilidade de exibição em seus canais de comunicação das partidas que não estejam ao vivo pela TV. A CBV entende que a exibição em suas redes sociais é importante porque, além de ampliar a audiência do voleibol, ainda permite coletar a opinião do público, que pode interagir durante as transmissões”.

A entidade reagiu rapidamente após uma enxurrada de pedidos nos últimos dias. Campanhas nas redes sociais, reclamações de atletas, pedidos de clubes… A pressão realmente foi grande. No domingo, um fato sem ligação com o vôlei, reforçou a tendência de mudança: o clássico Atlético-PR e Coritiba, pelo Campeonato Paranaense, não aconteceu pois os clubes, que não assinaram contrato com a Globo, queriam a transmissão via YouTube. A federação local, com uma desculpa de problema no credenciamento de jornalistas, não liberou. E os dois clubes, em comum acordo, não jogaram, mesmo com a Arena da Baixada recebendo 20 mil pessoas.

Para o vôlei, a nota oficial da CBV é um primeiro passo. Que os próximos continuem sendo dados para que mais e mais partidas, que não sejam transmitidas por SporTV e RedeTV, possam ser exibidas na internet.



MaisRecentes

Sesi joga melhor, bate Sada/Cruzeiro e fatura Supercopa



Continue Lendo

Seleção do Mundial não premiou destaques da final



Continue Lendo

Título coloca a Sérvia no topo após frustração olímpica



Continue Lendo