Camponesa/Minas quebra longa invencibilidade em Osasco



O Camponesa/Minas encerrou uma série de 25 partidas de invencibilidade do Vôlei Nestlé no Ginásio José Liberatti, em Osasco, pela Superliga. Neste sábado, vitória de virada das visitantes por 3 sets a 2, parciais de 21-25, 19-25, 32-30, 25-15 e 15-13.

A série invicta em casa do Vôlei Nestlé na competição nacional já durava três temporadas. Na última edição da Superliga, o time ganhou 14 jogos, sendo 11 na fase de classificação, um nas quartas e dois na semifinal. Na disputa anterior, 2015/2016, venceu mais oito partidas em seu ginásio. Neste ano eram três vitórias diante de sua torcida, contra Renata Valinhos, Pinheiros e BRB/Brasília. O último resultado negativo em casa na competição havia acontecido no dia 18 de dezembro de 2015.

Com o resultado, o time paulista segue na terceira colocação, com 18 pontos (seis triunfos e duas revezes). Os invictos Dentil/Praia Clube e Sesc possuem oito vitórias cada, com as mineiras na frente com 24 pontos, um a mais do que as cariocas. O time de BH subiu para 15, em quarto lugar, podendo ver o Hinode/Barueri ultrapassá-lo caso faça três pontos (vitórias por 3-0 ou 3-1) no complemento da rodada contra Brasília.

Sobre o jogo, a análise irá até o início do quarto set, quando a RedeTV! cortou a transmissão para mostrar a Série B do Brasileiro de futebol.

Para tentar manter a sequência invicta, Osasco teve uma surpresa muito agradável em quadra. A líbero Kika ganhou uma oportunidade de última hora, já que a titular Tássia teve um problema no aquecimento. Ela mostrou personalidade no passe, ajudou em algumas passagens na defesa. Talvez até levasse o Troféu VivaVôlei/Cimed em caso de vitória do Vôlei Nestlé.

Com Leyva e Luizomar de Moura tendo retornado ao Brasil no fim de semana após a participação do Peru nos Jogos Bolivarianos, Mari Paraíba saiu jogando, enquanto Spencer Lee foi o treinador, apesar da presença de Luizomar no banco. E a atuação coletiva do Vôlei Nestlé foi bem consistente até o fim do terceiro set. Match points foram desperdiçados, inclusive. E fica a lição: não se pode dar chance para equipes do quilate do Minas.

O Minas, instável nos sets iniciais e com erros em excesso em todos os fundamentos, teve Carol Gattaz e Hooker saindo do banco e jogando efetivamente a partir do segundo set. E as duas ajudaram demais na reação. A central anotou 15 pontos, enquanto a oposto colaborou com 12. Pri Daroit e Rosamaria, com 18, lideraram a equipe de BH na pontuação. Rosa levou o VivaVôlei.

Já as maiores pontuadoras da partida foram Tandara, com 21 pontos, e Paula Borgo, com 20. Pena que o telespectador ficou na mão e não pode ver o desfecho deste jogão.



  • Edu

    Caro Daniel, a Karine entrou também no lugar da Macris e jogou simples e objetiva privilegiando a Rosamaria ,Hooker e a Gattaz nas chinas contra a Mari PB .Deram abertura e o Nestlé toma a segunda virada na temporada tendo domínio de 3/4 do terceiro set para fechar o jogo.Perigava ser até a terceira virada.Em Bauru, sofreram quase a mesma pane e o resultado por pouco virou biz.Traz um sintoma preocupante já que o Bauru e o Fluminense são times bem mais inferiores que o Minas. Bem destacada a presença da Kika que fazia uma partida melhor que a normalidade da Tássia. Fabíola jogava a melhor partida de uma levantadora nesta superliga com elogios rasgados do Willian e a torcida proclamando “ao, ao , Fabíola é seleção” enquanto a transmissão estava na ativa.Depois não podemos mais assistir .Algumas considerações.Com o ginásio Liberatti absolutamente cheio as repercussões no vestiário do Nestlé devem ter sido próxima da explosão emocional de uma bomba atômica.Principalmente pela virada estar se mostrando recorrente.Segundo, o Luizomar elevou a participação dele na partida quando o resultado revertia a partir do quarto set.No final, presumivelmente, o time teve quase um duplo comando contribuindo para a instabilidade emocional .Luizomar tem sofrido rejeição crescente a cada ano pela carência de títulos da Superliga que já se aproxima da meia decada e um mundial pifio enquanto o então Rexona ficou no vice campeonato. Colocaram até um administrador financeiro para dar mais folga para que ele se dedique a parte tática e o Spencer para reforçar a comissão técnica.No entanto,na comparação com um Praia robusto de investimentos e maior folha salarial dessa Superliga (mesmo com contratações questionáveis como da Andreia que já foi colocada como terceira reserva e imediata da Carla – jogadora uns 30 cm mais baixa que sua estatura) e o Sesc de orçamento mais reduzido e invicto.Com jogadoras ditas chaves só podendo atuar em janeiro como a Gabi e a Juciely a coisa se mostra feia. Luizomar arregaçou as mangas e trouxe patrocínio adicional quando o Nestlé cortou 25% da verba deste ano e tendo participação efetiva e pessoal necessária para a continuidade do time.Continua, todavia ,pecando em algumas escolhas técnicas de formação do elenco como um todo.Ninkovic já se mostra lenta, pela perda de vigor físico, nos deslocamentos laterais na ponta e viveu fases melhores.Hoje e a quinta opção de central na seleção sérvia.Mari, que nunca foi uma jogadora excepcional,mas bastante participativa, e apenas útil. Na Europa ficou na reserva a temporada inteira no Volero, sendo em tese, a sétima jogadora do elenco, enquanto Fabíola foi titular principalmente na CL e no mundial de Clubes.Fez bastante turismo, se converteu evangélica e curtiu ,com todo o direito, as acomodações cinco estrelas e resorts na beira da praia que o time lhe proporcionava.Ganhou até peso corporal,Em Bauru disseram que chegou as lagrimas durante aquela partida e foi presa fácil nas chinas da Gattaz.Se perdeu nos deslocamentos de ataque da Hooker mesmo não sendo uma grande bloqueadora.Uma jogadora que sofre deficit de temporada jogada.O colunista patrocinado pela FIVB colocou nos ombros da recepção da Tandara o resultado da partida. Tandara que foi a malor jogadora da temporada de GP confirmado pela NBC em transmissão ao vivo nos EUA.A tabela agora se mostra ingrata para o Nestlé. Vem o embate direto com os invictos Praia e o Sesc.O time esta numa encruzilhada : apresenta alguma reação emocional mesmo que perca as duas partidas ou uma reação mais sólida que vislumbra uma melhora no segundo turno.Vamos aguardar.

  • L. Mesquita

    FABÍOLA e MACRIS dando show de talento e criatividade no início da partida, foi lindo ver a desenvoltura do que eu considero as levantadoras mais ousadas do Brasil… Porém, às vezes o feijão com arroz que a KARINE fez é mais objetivo e dá mais resultado do que o excesso de criatividade e ousadia.

  • L. Mesquita

    Histórico do NESLTÉ OSASCO em 2017 sob o comando do LUIZOMAR X SPENCER LEE:
    LUIZOMAR se afasta para dirigir o PERU no qualificatório ao MUNDIAL:
    – O PERU perde a vaga dentro de casa para a ARGENTINA sob o comando do LUIZOMAR;
    – O NESTLÉ se sagra CAMPEÃO PAULISTA sob o comando do SPENCER LEE;
    Na superliga, antes de se retirar para dirigir o PERU nos JOGOS BOLIVARIANOS:
    -NESTLÉ é derrotado pelo FLUMINENSE;
    – SPENCER LEE assume o comando do NESTLÉ e derrota o BAURU na PANELA DE PRESSÃO de BAURU;
    – Enquanto isso, sob o comando do LUIZOMAR, O PERU perde pela PRIMEIRA VEZ NA HISTÓRIA a final dos JOGOS BOLIVARIANOS NO VOLEI FEMININO, após uma sequência de dez OUROS SEGUIDOS!!!
    – LUIZOMAR volta do PERU e o NESTLÉ perde para o MINAS dentro de casa…
    A pergunta é: COINCIDÊNCIA ou SORTE ou LUIZOMAR perde mais comandando o PERU e o NESTLé do que deveria???
    A sorte é que era o SPENCER LEE no comando do time no CAMPEONATO PAULISTA…

MaisRecentes

Os duelos da Copa Brasil feminina



Continue Lendo

Lances do clássico Vôlei Nestlé x Sesc



Continue Lendo

Coluna: O maior desafio do Sada/Cruzeiro no Mundial



Continue Lendo