Vaivém: Camponesa/Minas avança na montagem do elenco e pensa grande



O processo de reformulação do Camponesa/Minas para 2018/2019 avança com definição de contratações e sonhando alto por reforços de peso.

A ponta Lana e a levantadora Bruninha, destaques do Pinheiros na atual Superliga, vão reforçar o time de Stefano Lavarini na próxima temporada.

Apostas jovens e interessantes por parte do Minas. Lana tem 21 anos, 1,82m, participação em Seleções Brasileiras de base e potencial para ser desenvolvido na posição mais carente do vôlei nacional. Já Bruninha, 1,69m, chega para ocupar o lugar de Karine, que se aposentou durante a temporada após gravidez. O Camponesa/Minas sentiu muita a ausência de uma segunda levantadora para fazer inversões na série semifinal contra o Sesc.

Um terceiro nome do Pinheiros ainda pode desembarcar em Belo Horizonte. Trata-se da oposto Bruna Honório, principal jogadora do time da capital paulista na Superliga e desejada por vários clubes para a próxima temporada.

Abraço entre Bruna Honório e Bruninha, oposto e levantadora do Pinheiros (Ricardo Bufolin/Divulgação)

Com a saída da americana Hooker, Lavarini busca uma peça de reposição e, pela performance na competição nacional, a aposta em Bruna faz todo sentido.

Com as renovações já anunciadas, a dupla fechada e a oposto com a negociação em andamento, o Minas partiu para buscar a(s) cereja(s) do bolo no mercado. Neste caso, as jogadoras brasileiras com 7 pontos no ranking e também estrangeiras.

Gabi, do Sesc, é um velho sonho de consumo. Uma jogadora para ajudar muito na linha de passe e ser uma importante definidora no ataque. Características que o Minas não conseguiu no trio que se revezou no setor na Superliga: Rosamaria, Pri Daroit e a americana Newcombe.

A selecionável tem forte relação com o time carioca e com Bernardinho. Mas é nascida em Belo Horizonte, tem família por lá e o Minas ainda disputará o Mundial de Clubes. Certamente vai deixá-la dividida na escolha. É uma aposta ousada e certamente para mudar um time de patamar.

Gabi em ação pelo Sesc na final contra o Praia (Divulgação CBV)

Já Lavarini está na Itália e vai observar de perto a reta final do campeonato local. Pela montagem até agora do elenco, o foco dele é encontrar uma ou até duas pontas estrangeiras.

O clube tenta também definir a renovação da capitã Carol Gattaz, outra atleta muito valorizada no mercado após as atuações na Superliga 2017/2018.

LEIA TAMBÉM

+ As primeiras confirmações do time masculino do Minas para 2018/2019

 



MaisRecentes

Douglas Souza desbanca Lipe e Tandara na escolha do melhor do ano



Continue Lendo

Atual campeão abre Superliga feminina com vitória. É o grande favorito?



Continue Lendo

Dentil/Praia Clube conquista a Supercopa. Mas tem muito a evoluir



Continue Lendo