Bruninho e Dante saem do banco e comandam reação brasileira



O banco de reservas, que várias vezes fez a diferença a favor do Brasil nos últimos anos, finalmente desencantou na Copa do Mundo.

Depois de perder os dois primeiros sets para a Polônia (18-25, 21-25), a Seleção viu Bruninho liderar a reação e a virada, vencendo as parciais seguintes por 25-18, 25-19 e 15-12.

O levantador, titular a partir do quarto set, foi eleito o melhor em quadra. Com méritos.

Bartman, autor de 26 pontos para os polacos, definiu bem o nome da partida.

– O jogo mudou no terceiro set, quando estávamos vencendo por 13 a 8 e o Bruno Rezende entrou, levantou bolas boas e marcou pontos no bloqueio – disse o atacante.

Quem também esteve bem foi o oposto Leandro Vissotto, autor de 23 pontos. No ataque, ele colocou no chão 21 das 29 bolas recebidos. Dante substituiu substituiu Murilo no segundo set e entrou na vaga de Giba no terceiro para não sair mais. Colaborou com oito pontos, apesar de ainda sentir falta de ritmo de jogo. Foi a opção ofensiva que fez falta em várias partidas da Copa.

Entre os fundamentos, destaque para o bloqueio, responsável por 14 pontos, o dobro do feito pelos poloneses.

A virada teve uma importância imensa para garantia da vaga olímpica. Com russos e poloneses já garantidos, apenas Brasil e Itália lutam pelo bronze e consequentemente lugar na Olimpíada de Londres. As duas seleções empatam em pontos (21), sets perdidos (14) e a vantagem verde-amarela está nos sets vencidos (26 a 25). Assim, basta vencer o Japão por 3 a 0 na rodada final. A Azzurra pega o Irã, torcendo para o Brasil perder sets.

 



MaisRecentes

Coluna: Temos de falar sobre Douglas Souza



Continue Lendo

Atualização do ranking mundial mostra caminhos do Brasil para Tóquio-2020



Continue Lendo

Douglas Souza desbanca Lipe e Tandara na escolha do melhor do ano



Continue Lendo