Brasileiro relata “pior experiência da vida” no Qatar



“Uma das piores experiências da minha vida”.

Assim o atacante brasileiro Sérgio Felix analisa a passagem de dois meses pelo Qatar Sport Club. E ele explica em detalhes as dificuldades vividas em Doha:

Sérgio Felix na passagem por Juiz de Fora (Divulgação)

– Cheguei ao Qatar no dia 18 de setembro, contrato assinado por mim e pela equipe do Qatar Club desde maio. Me apresentei ao clube, dei início aos treinos, joguei amistosos, tudo que um atleta profissional tem de fazer, sem transtorno nenhum. Mas do outro lado não cumpriram com nada. Não pagaram o salário de setembro, o de outubro, não fizeram exame médico comigo. Segui trabalhando, treinando, jogando, ganhando alguns jogos pra eles. Me e deixaram lá sem dinheiro por 40 dias. Me deram um pouco de dinheiro para me alimentar quando cheguei e mais nada. Perguntava: “Temos de abrir minha conta, estou passando dificuldade”. Eles nem aí. Do nada chegaram dizendo que queriam encerrar o contrato comigo, sem justificativa. Perguntei qual era o motivo. E disseram que não tinha nenhum. Suspenderam minha entrada no clube. Fiquei duas semanas em Doha me virando do jeito que dava. Ninguém me respondia no clube, meu agente também não conseguia falar com ninguém. 0% de retorno das ligações, email…. Sorte ter bastante brasileiros lá e eles me ajudaram. Foi uma das piores experiências da minha vida.
Isso não se deve fazer com atleta nenhum. Foi uma luta para sobreviver – contou Sérgio, que defendeu o Corinthians/Guarulhos na Taça Ouro.

Ele chegou a pedir ajuda ao consulado brasileiro no país árabe, alegando maus tratos e negligência por conta do Qatar Sport.

– Me deixaram largados no país deles. Foi desesperador, depressivo. Sofri bastante. Muito desumano, cara. Difícil lidar com a situação – desabafou o jogador, que pretende entrar com denúncia formal ao clube catari na Federação Internacional de Vôlei.

 



MaisRecentes

O Paulista é do Vôlei Renata. E é também de Luizão!



Continue Lendo

O cartão de visitas da molecada do Minas



Continue Lendo

O “Fora, Bolsonaro!” virou mais um incêndio



Continue Lendo