Brasileiro assume a FIVB



Ary Graça é o novo presidente da FIVB, substituindo o chinês Jizhong Wei no próximo quadriênio.

Ele deixou para trás o americano Doug Beal e o australiano Chris Schacht na eleição realizada nesta sexta-feira, em Anaheim, nos Estados Unidos. Não passei todo o dia em frente ao computador, mas presenciei alguns momentos bem engraçados do pleito, narrando alguns deles aos seguidores do Twitter.

A pergunta de vocês deve ser a mesma: o que representa a entrada do brasileiro no cargo máximo do vôlei mundial?

Pela plataforma de campanha, ele levará várias iniciativas da CBV para a FIVB, como o elogiado sistema de gestão, a Universidade Corporativa, o VivaVôlei… Logicamente, adaptando os projetos nacionais para uma magnitude muito maior. É inegável que foram marcas registradas de sua passagem pela Confederação.

Ele já deixou claro, recentemente, também ser a favor da entrada da tecnologia para definir lances duvidosos dos jogos. É quase uma unanimidade entre atletas e técnicos que as principais competições usem sistemas parecidos com o do tênis, por exemplo. Acho que todos os candidatos ao cargo fariam o mesmo.

Nos bastidores, já ouvi dizer que a presença de Ary, que coincide com o fim de um antigo contrato de TV com uma poderosa emissora do Japão, vai fazer com que importantes competições que acontecem com frequência no país asiático possam ser disputadas em outras localidade. Jogar Copa do Mundo e Copa dos Campeões, sempre em novembro, costuma ser uma reclamação constante por aqui.

Também acredito que a eleição do brasileiro fará com que muitos atletas do passado assumam cargos diretivos. Acho um ponto positivo.

Por fim, espero que, independentemente de ser brasileiro, Ary Graça tenha um mandato que modernize o esporte, faça mudanças necessárias na parte técnica, sem se preocupar com o lado político, e seja um exemplo de gestão.



  • klaus

    Entre muitas mudanças que espero que ele faça e que você citou muito bem Daniel, uma outra é que ele acabe com esse Wild card ou que ele seja democrático e não que somente um país o receba anualmente, como ocorre com a seleção feminina da Polônia que todo ano participa do Grand Prix mesmo não tendo adquirido a vaga por seus próprios méritos .E espero que a fase final do Grand Prix seja como ocorre com a Liga Mundial e não que somente China ou Japão sediem a fase final.Está na hora de chinesas e japonesas “sofrerem” com o fuso horário também.

  • Clivia

    Fiquei contente e estou esperançosa do Ary fazer uma boa gestão como fã do esporte concordo com vc. Daniel de que ele modernize o esporte e tenham mais campeonatos regionais , ou que estes tenham mais apoio, que campeonatos entre clubes tenham mais transmissões, que campeonatos entre países como GP, Liga Mundial e afins tenham fazes no Brasil. Enfim boa sorte ao Ary e que ele traga mais notoriedade para o volei brasileiro no sentido deste ter mais espaço no Brasil pois ainda existe muitos comentarios sobre o futebol e poucos do volei.

  • Clivia

    Fiquei contente com a eleição do Ary, acho que ele fará uma excelente gestão. Como fã espero que o volei tenha cada vez mais notoriedade, com campeonatos estaduais e interclubes com mais transmissoes, campeonatos entre países como GP, Liga Mundial e afins possam ter mais fazes no Brasil, bem como que nossos estádios se modernizem. Boa Sorte ao Ary.

  • robert rj cidade de deus

    Muito feliz pela eleição do Ary,o triste mesmo é ver que o país do vôlei não tem o destaque que merece!!

  • Júnior

    Bom, tb espero mudanças como a da tecnologia da bola nos pontos duvidosos e a descentralização de torneios como Grand Prix, Copa do Mundo, etc, q são sempre na Ásia.
    Qm sabe tb, se não tiver sido definida a sede ainda, o Mundial de 2018 fem ou masc ser aqui no Brasil , depois de as nossas seleções serem campeãs olímpicas em casa…sonhar nao custa nada…

    Estou preocupado tb sobre como ficará a CBV…Daniel, falaram q um tal de Toroca iria assumir, q vem de mtos anos a frente da federação de Alogoas e vice a mto tempo na CBV, ainda aliado político de Renan Calheiros…seria interessante tb se fosse fizesse um post sobre isso, sobre o futuro da CBV e com o Toroca ou outro possível dirigente a frente dela…

  • Rodrigo

    Espero que deixem o sorteio para o Mundial transparente como acontece na FIFA, evitando países do mesmo continente (tirando a Europa) no mesmo grupo e não tenha marmelada para beneficiar o anfitrião padronizando o sistema de disputas do Campeonato Mundial!

    Copa do Mundo em outro país e acabe com wild card!

  • Jairo(RJ)

    Boa Sorte ao ARY e que sua passagem pela FIVB seja uma GRAÇA para o vôlei!
    Todo mundo pede Copa do Mundo e Grand Prix fora do domínio asiático, o que acho mais que certo, porém acredito que o Arizão encontrará resistência a mudanças

MaisRecentes

Minas espera Hooker ainda em outubro



Continue Lendo

Vaivém: Vôlei Nestlé confirma apresentação de peruana



Continue Lendo

Vaivém: Polonesa é esperada em Barueri



Continue Lendo