Brasil x Bulgária: comentem



No trem, entre Ancona e Roma, consigo alguns minutos de conexão para postar este texto. Um relato do que vi em Brasil x Bulgária e que está nas páginas de hoje do LANCE!

Brasil x Bulgária vai entrar para a História do vôlei. Negativamente. Em jogo que valia o primeiro lugar do Grupo N da segunda fase do Campeonato Mundial, em Ancona, os dois times entraram nitidamente desinteressados pelo resultado positivo, já que uma derrota seria mais benéfica para o emparceiramento na fase seguinte.

A falta de vontade de vencer, para não dizer a vontade de perder, ficou clara já nas escalações. O técnico italiano Silvano Prandi deixou fora dos 12 o levantador Zhekov e o líbero Salparov. No Brasil, foi preciso esperar o time ser chamado pelo locutor oficial para ter a certeza. Théo, oposto reserva, foi escalado como levantador. Bruninho, o titular, ficou no banco, poupado. Marlon, o reserva, doente, mais uma vez ficou fora dos relacionados.

Era claro que a derrota para cair no grupo de República Tcheca e Alemanha era o desejo, fugindo de Cuba e Espanha. E mais. Perder valeria uma viagem a menos até as finais. Como o regulamento (ruim diga-se de passagem) permitia, era perder ou perder.

O jogo, ou algo parecido com isso, tem pouco a ser elogiado. A cada ataque errado, falha no saque ou defesa que deixava de ser feita, a resposta vinha das arquibancadas do PalaRossini, em Ancona. Vaias. No fim do primeiro set, vencido pela Bulgária por 25 a 18, foram ouvidos os primeiros gritos de “Vergonha”.

No rosto dos jogadores era possível ver o desconforto. Na parada para o tempo, o silêncio virou o tom nos bancos de reserva. Se alguém merece elogios é Théo. Jogou fora de sua posição, poderia ser ridicularizado por errar demais, mas não fez feio como levantador.

Irritada com o que via, a torcida passou a vaiar quando o locutor pedia aplausos e gritou “Ridículo e Palhaçada” após a Bulgária fechar o segundo set. Só vibrou quando a vitória da Azzurra sobre Porto Rico foi anunciada. No fim, 3 a 0 para os búlgaros. E quem estava satisfeito era o Brasil. Para o esporte se envergonhar.

E vocês, amigos e amigas? O que acharam do jogo?



MaisRecentes

Sesi joga melhor, bate Sada/Cruzeiro e fatura Supercopa



Continue Lendo

Seleção do Mundial não premiou destaques da final



Continue Lendo

Título coloca a Sérvia no topo após frustração olímpica



Continue Lendo