Brasil vence um teste de verdade na Liga Mundial



Finalmente um jogo com cara de decisão. Tenso, brigado, com jogadores socando o chão após os erros, repleto de provocações. No melhor teste pré-Londres até agora, o Brasil venceu a Polônia por 3 a 1 (26-24, 25-17, 23-25 e 25-23), assumindo a liderança do Grupo B da Liga Mundial.

O time brasileiro realmente estava engasgado com os poloneses, que haviam vencido as duas partidas anteriores em 2012. Foi fácil perceber nas reações dos jogadores que o confronto não era qualquer um. Os europeus sabiam que pilhar os donos da casa era uma arma e conseguiram, em vários momentos, usá-la.

Individualmente, algumas menções são importantes:

1) Thiago Alves tem aproveitado, como poucos, as chances dadas por Bernardinho. Entrou no lugar de Dante, com um problema nas costas,  melhorou a virada de bola e deu mais vibração para o time. Foram 13 pontos marcados, sendo três deles no saque. Hoje, pelo que está jogando, Thiago seria um dos quatro pontas em Londres.

2) Muita gente aqui no blog criticou Wallace por aparecer apenas em jogos menores. Diante da Polônia, marcou 23 pontos e novamente foi o maior anotador do time. O oposto teve força para superar um início ruim, se manteve no jogo e provou, para quem ainda duvidava, que pode se manter no time titular.

3) Bruninho iniciou o jogo como titular na partida mais importante da Liga até agora. Isso significa que ele ainda é o preferido de Bernardinho, mesmo após o retorno de Ricardinho. O entrosamento que tem com o elenco pesa. As bolas de meio com os centrais estão mais calibradas. A presença do camisa 17 serviu e servirá bastante para o crescimento de Bruninho. Gostei da atuação dele na distribuição em grande parte do jogo, além das inúmeras defesas feitas. Outro que teve um teste de fogo e foi bem.

4) Escadinha é outro que está crescendo, lembrando os bons tempos de anos atrás. Segurou a onda no passe, o que ajudou muito Bruninho.

5) Por fim, um comentário que se faz necessário. Bernardinho tem passado dos limites em suas reclamações à beira da quadra. Não é de hoje que o técnico tem exagerado, seja pela Unilever ou pela Seleção.  O cartão amarelo que levou, no fim do quarto set, quase colocou em risco a vitória brasileira. Segundo Marcelo Courrege, repórter da Globo que estava atrás do banco de reservas, ele xingou o polonês Kubiak (jogador bem encardido e provocador), que iria sacar. Vale lembrar que o segundo árbitro era português. Nem é preciso dizer que ele entendeu palavra por palavra. Reclamar, ainda mais em um jogo com tantas provocações, faz parte. Mas existe um limite e Bernardinho tem perdido a razão ao ultrapassá-lo.



MaisRecentes

Vaivém: Itapetininga contrata central americano



Continue Lendo

Monique é convocada para treinos da Seleção



Continue Lendo

Números de Ágatha e Duda são ótimas credenciais para Tóquio-2020



Continue Lendo