Brasil vence, mas decepciona outra vez



Um 3 a 2 com gostinho de derrota.

Assim pode ser resumido o triunfo da Seleção Brasileira feminina no tie-break sobre a Coreia, parciais de 22-25, 25-18, 18-25, 25-13 e 15-8 . O resultado fez o Brasil somar apenas dois pontos, subindo para 8, agora quatro atrás dos Estados Unidos. Em resumo: esqueçam o título da competição. É pensar apenas em terminar entre os três melhores e carimbar o passaporte para Londres.

Mais uma vez, o time titular não funcionou em quase todos os fundamentos. A levantadora Dani Lins saiu no segundo set e a reserva Fabíola foi mantida até o fim do duelo com as limitadas coreanas. Fabiana pontuou muito pouco para um jogo de cinco sets (8, sendo apenas um no bloqueio). Ainda falta regularidade ofensiva e no passe para as pontas. Paula foi melhor: 15 pontos (43% de acerto) e 65% de aproveitamento no passe. Mari terminou com 13 (29,6%) e apenas 33,3% na recepção.

Sheilla foi a maior pontuadora, com 19 (36,7% de aproveitamento no ataque).

O discurso de Zé Roberto, claramente chateado na coletiva de imprensa, foi esse. O único ponto positivo é imaginar que a atuação nos dois últimos sets possa ser repetida no decorrer da competição.

– Cometemos muitos erros, alguns como crianças. Temos de jogar melhor. Não estou feliz pois não jogamos bem. Nós temos que melhorar os contra-ataques, a relação do bloqueio com a defesa e as ponteiras precisam ser mais efetivas. Para mim, jogamos como o verdadeiro Brasil no quarto e quinto sets.

 



  • Alan Nascimento

    A seleção não esta colaborando com o meu bolão #fato

  • Joao Paulo

    O quer se aproveita dessa jogo é que a Sheila fez uma boa partida, e parece estar voltando à sua forma. Ela conseguiu virar bolas difíceis que sempre foram a sua marca.
    A Fabíola melhorou a distribuição, porém, senti falta das centrais… Tudo bem que o passe não saia, mas em alguns casos, com o passe na mão, mesmo assim ela jogava para a ponta.
    A Mari precisa rever a sua diagonal! Apesar de potente, está sendo facilmente marcada pelas adversárias. Ela precisa ou fechar ou abrir mais esse golpe fugindo da defensora adversária.

    A Coreia não é adversário que se preze, mas o Brasil ao menos reagiu bem à pressão nos últimos sets…

    Há muito tempo não vejo a seleção jogando tão mal e insegura quanto nesses jogos. Precisamos da Jaqueline, Natália e Garay para temos peças de reposição…

    • Luciano

      Não se avalia o jogo da Sheila por hoje, ela está em fase ruim, mlhorando nem de longe, apesas fez uma boa partida. Falta uma levantadora que fale e brigue querendo bola na mão e faça as outras rodarem . Falta personalidade..

  • graca

    A FABÍOLA literalmente salvou a pátria hoje. FABÍOLA entrou VIBRANTE ,com DETERMINAÇÃO e ENERGIA, OUSADA fintou o bloqueio coreano e arriscou bem mais que LINS, foi uma LÍDER em quadra e sua liderança empurrou as outras jogadoras para a vitória. Basta ver a diferença de atitude de FABÍOLA e DANI LINS. Não fosse essa INJEÇÃO de ÂNIMO que a FABÍOLA deu no time o Brasil com certeza perderia para Coreia hoje.

  • Adriano

    A coisa está feia, mesmo.

    Além do problema com as ponteiras – embora a Paula tenha até meio que se recuperado durante a partida -, a maior dificuldade do Brasil está sendo com o bloqueio. Na verdade, nesse ciclo olímpico, o time sempre sofreu com o passe, isso não é novidade. Desde 2009 se cobra uma melhora no passe. Em compensação, o bloqueio foi sempre, também, um dos pontos altos dessa equipe. Hoje em dia, nem isso está funcionando. As centrais, embora estejam bem no ataque, deixam muito a desejar no bloqueio.

    Hoje a oposto da Coréia fez 18 pontos de ataque. Ela não tem potência nenhuma, só usa as mãos. O mau desempenho do time do bloqueio contribuiu bastante com o sucesso dela.

    Vale lembrar, também, que a Coréia, que está desfalcada de várias de suas melhores atletas, portanto apresentando um voleibol bem inferior ao mostrado no GP, jogou com 3 atacantes o jogo inteiro. Ao final do terceiro set, que, basicamente, foi quando a Coréia parou de jogar, o time tinha duas atacantes titulares que não haviam pontuado no ataque. E as levantadoras… de dar dó. Há muito tempo que não via levantadoras asiáticas tão fraquinhas.

    Esse é o time que levou o jogo com o Brasil para o tie-break.

  • Rafael

    É, depois desse jogo, se o Zé ainda insistir com a Dani Lins o Brasil vai perder da Sérvia. Já passou da hora da Fabíola assumir a titularidade, só ele não enxerga isso.

  • graca

    MARI com 29% de aproveitamento no ataque e 33% de aproveitamento está sendo a jogadora de pior rendimento em “TODOS” os jogos da COPA DO MUNDO. Que ponteira é essa que além de ser o alvo preferido dos saques adverários também virou freguesa de carteirinha dos bloqueios e defesas, ela está com enormes dificuldades para virar bolas contra bloqueio da levantadora da KOREA!!! DANI LINS sem comentários!!! Levantador tem que ter atitude, tem que ser líder, motivar o time! Dani Lins não faz isso. Ela está ali porque é alta? Será? Antes da altura outros fatores são muito mais importantes para um levantador, mas o principal é a personalidade! Levantadoras baixinhas tem muito mais personalidade que Dani Lins: Só na COPA DO MUNDO posso citar: Lo Bianco, Takeshita e gordinha Berg. E no Brasil em matéria de personalidade, em atividade temos: Venturini, Fernandinha, Camila Adão, Ana Cristina, Fabíola e outras que com certeza tem amis personalidade e liderança que a DANI LINS.
    Zé Roberto já tá na hora de ser substituido, assim como aconteceu quando foi campeão olímpico em 92, que ele não soube administrar a seleção pós olimpíada e as coisas começaram a desandar e em 96 a seleção foi um fiasco, o mesmo está acontecendo no ciclo olimpico entre 2008 e 2012 com a feminina.
    ZÉ ROBERTO, DANI LINS e MARI tem que dar ADEUS à seleção.

    • Maria

      E você ao Blog… um comentário pior que o outro…

      • Afonso (RJ)

        Amém!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    • Paula

      Concordo com você sobre a necessidade de uma levantadora mais agressiva. Adoraria ver a Ana Cristina do Voley Futuro na seleção. Ela vibra, tem garra, faz uma ótima distribuição e mesmo recebendo passes ruins, consegue fazer levantamentos brilhantes. É baixinha eu sei, mas mesmo assim consegue até fazer pontos de bloqueio (vide os jogos do paulista e da liga nacional).
      Sobre a Mari, não entendo. Ela não vibra, está sempre com cara de brava. Quando tem que atacar, ou vai pra fora ou pára no bloqueio. Defesa e recepção nem se fala. E mesmo com toda aquela altura, cadê o bloqueio???

  • Jailson

    Que tal um 4º lugar pra essa seleção entrar no 220 volts?

  • Fernando Adilio

    Para quem gosta de xingar a Paula… É a melhor jogadora que temos.
    Apesar de alternar, é a mais efetiva no passe e ataque.
    As jogadora estão simplesmente cansadas, esgotadas.
    Alguém avisa o ZRG que colocar as jogadoras para participarem de todos os campeonatos não põe ritmo a elas, muito pelo contrário, deixa-as cansadas e passíveis de lesões.

  • gill

    caro Daniel, concordo com os comentários de Joao Paulo, há muito não via nossa seleção tão fragil, seja no aspecto emocional ou técnico. Basta relembrarmos a final com Cuba no Pan, muito estranho uma final de Pan merecer todo aquele desabafo, tudo bem comemorar mas desabafar como foi, acho que há coisas de bastidores atrapalhando o rendimento das atletas. O resquíssio disso vimos no jogo contra os EUA, foi lastimavel ver o semblante delas, seleção brasileira no fim do segundo set, foi o que determinou o resultado do jogo na minha opinião. Hoje, foi ridículo tomar a pressão que houve de uma seleção de baixo nível como a Corea, cadê a psicóloga da seleção? se não evoluir corremos o risco de não conseguirmos a classificação para os jogos olímpicos pela copa do mundo e depois sofrermos no pré olimpico mundial onde provavelmente terá Cuba e Russia, já penssou que desatre seria ficarmos fora de Londres em 2012. Força Brasil acreditamos ainda em VOCES!

  • Kid

    Que Mari está com um ESTIRAMENTO no addomen e jogando no SACRIFÍCIO, para AJUDAR A SELEÇÃO, criatura nenhuma lembra, não é?

    INGRATIDÃO É TEU NOME.

    • Fabiana

      Acho que os problemas da Mari começaram apartir do momento que ele trocou ela de posição, quando ela era oposta tinha uma atuação tão boa ou até superior a da Sheilla….Sem contar o problema pessoal entre as duas, elas só se comprimentam por obrigação.

  • Mauricio

    Há de se pensar por que a Fabíola sempre entra bem quando solicitada. Será daquelas jogadoras que só são boas quando começam no banco e para apagar o fogo do problema? Ou será que o ZRG insistiu todos esses anos numa jogadora, a Dani Lins, que não consegue assumir a responsabilidade da equipe?

    É nítido ver como a Fabíola é mais guerreira, corajosa (as vezes até irresponsável). Mas foi com ela, Fabíola, que vi hoje de manhã as cravadas da Fabiana e da Thaisa, um maior entrosamento com a Paula Pequeno e, o mais importante, colocou a Sheila no jogo.

    Muito a se pensar.

    Outra observação: a Dani Lins, nesta temporada, optou em ir para o Sesi. A única jogadora da seleção (se não me engano) com quem ela atuará será a Sassá, que participa muito pouco dos ataques. Por outro lado, a Fabíola estará treinando e jogando com algumas atacantes da equipe.

  • Torcedor

    Ta muito claro que a Fabiola tem mais vibração e mais ousadia ….para mim deveria ser Titular !!

    O que não podemos deixar de dizeer é que a Seleção sente muito a falta da Jaqueline e da Nathalia, essa que apesar de não passar muito bem é bem mais forte no ataque do que PP4 e Mari , além de ser jovem e ter muita disposição !!

  • Afonso (RJ)

    Não vi o jogo. Não dá para “virar a noite” num dia de semana. Portanto vou dar minha opinião baseado apenas no resultado:

    Time que aspira a alguma coisa, seja lá o que for, no cenário mundial, não perde dois sets para a Coréia. Acabou. Título nessa competição, nem pensar. E acho muito difícil a classificação para as olimpíadas. Ainda resta um resquício de esperança, mas é como se um time de futebol virasse o jogo perdendo de 3×0 e faltando 15 minutos para acabar. É possível? É. Já aconteceu. Mas é difícil. E “bota difícil nisso”. Já estou pensando na “repescagem”.

    Só resta a questão: O que está acontecendo com essas meninas, esse time? Tem gente que só sabe procurar “culpados”. É a Mari, é o Zé, a Dani… São opiniões simplistas, algumas vezes até preconceituosas, de quem só sabe enxergar “bodes expiatórios”. O time inteiro vem rendendo pouco de maneira geral, com apenas alguns lampejos esporádicos da genialidade que marcou não só a conquista do ouro olímpico, como também de inúmeros títulos internacinais. A coisa parece ser mais estrutural, mais profunda. E essa(s) causa(s) só mesmo quem está lá dentro de posse de todos os dados é que pode arriscar o diagnóstico e o consequente “tratamento” adequado. A nós, pobres mortais, só nos resta especular baseados no que vemos em quadra. Só espero que soluções sejam encontradas a tempo para as olimpíadas, porque a competição atual a meu ver “já era”.

    Vou tentar assistir ao VT do jogo anunciado (mas nem sempre mostrado) pelo SporTV. Conforme for, comento mais.

    • maraiza

      acho que vcs deveriam pensar que ninguem e perfeito a dani vem jogando o ano inteiro bem enquanto a fabiola so jogou bem hj .ela foi eleita a melhor levantadora do pan e tem direitos de cometer erros mesmo que seja em um jogo so.pare pra pensar antes de criticar se ta achando ruim entra la e faz melhor!!!força seleçao

      • Afonso (RJ)

        Não entendi sua resposta. Eu até defendi as jogadoras individualmente…

      • Ana

        Típico comentário infantil, se nao sabes ler críticas( isso que nem sao direcionadas à ti, nao entra no blog. Todo mundo tem direito de opinar falar mal falar bem, agora vir com papinho entra la e faz melhor é mt infantil, só faltou dizer que vai contar tudo pra tua mãe, e que nao sabemos quem teu pai é e que vais ligar pra ele! Ai sério!
        Deixa o povo criticar ou falar bem em paz, aprendam a lidar com opinioes que sejam opostas às tuas! Vamos crescer! E seleção tá feia a coisa hein!!!’

        • Afonso (RJ)

          Quanta besteira…

    • Mauricio

      concordo que há errado estruturalmente. a equipe inteira está parada, sem atitude. e o zrg anda reclamando muito, tenho percebido isso desde a copa panamericana também realizado no méxico. na época, era o ar condicionado da quadra. nos jogos, sempre reclamando da arbitragem, a qualquer erro. será que isso também não afeta o emocional da equipe?

      também pode ser cansaço das jogadoras e comissão técnica…o que seria? acomodação não é, porque está todo mundo incomodado com o baixo rendimento da equipe. me pergunto: o que seria necessário para dar ânimo nesse grupo?

      comentei sobre a dani lins porque hoje ficou nítido o quanto a fabiola entrou mais determinada, com vontade, e acertando mais as bolas. eu mesmo sempre defendo a dani lins, mas a reserva está com mais cara de titular de equipe olímpico! o que você acha, afonso (rj)?

      • Afonso (RJ)

        Acho que quando o grupo todo vai mal, é uma injustiça culpar essa ou aquela jogadora. Não acho que a seleção tenha mudado tanto com a troca da levantadora. Afinal com a Fabíola em quadra fizemos nosso pior set, que foi o terceiro.

  • Felipe Hiego

    Tenho Apenas 14 anos e Amooo muitoo voleei! Na minha opnião eu me considero ainda um pouco leigo no volei.
    Mais qualquer um percebe que PANI LIXOO

  • Felipe Hiego

    Tenho Apenas 14 anos e Amooo muitoo voleei! Na minha opnião eu me considero ainda um pouco leigo no volei.
    Mais qualquer um percebe que PANI LIXOO não tem a atitude que uma levantadora tem que ter.No jogo de hoje Fabiola entou para salvar o Brasil, e se ZRG começar com a PANI será a prova de que ele tem que sair do comando dessa bagaça!

    • Afonso (RJ)

      Vamos levar em consideração a sua idade…

      • Felipe Hiego

        Naum sei se isso e bom ou ruim !

  • Daniel

    Aos trancos e barrancos, Paula Pequeno foi a melhor em quadra.
    O melhor de assistir ao jogo foi o narrador do sportv, Sérgio Maurício, dizer no tie break: “A Fabiana está tonta”. Alguém discorda do que ele falou? E poderia ter sido as fabianas estáo tontas. O que foi a Fabi líbero nos 3 primeiros sets? Bizarro.
    Título adeus! Pódio ainda dá!

  • Prado

    A maratona de campeonatos está acabando com o físico de todos, masculino e feminino.
    Não são máquinas não.
    Precisamos entender que os selecionáveis chegaram no final de 2010 vindo das seleções e entrearam na SuperLiga sem nenhum descanso.
    Assim que acabou a SL voltaram pra seleção.
    Todos estão em seus limites.
    Ai voltam e se apresentam em seus clubes para a SL.
    Haja saúde.

  • Álvaro Médio

    Também não vi o jogo. Puxa, estou preocupado com as notícias desde o oriente.

    Na minha humilde opinião, o Zé poderia ter poupado a Mari e ter colocado a Sassá pra jogar.
    Esse problema físico da Mari pode desandar e a terceira rodada é a mais difícil pro Brasil.
    Temos que lembrar que a Tandara também joga de ponteira.
    Hoje é dia de torcermos pras americanas perderem pra Alemanha!!

    FORÇA BRASIL!!!!

  • Afonso (RJ)

    Acabei de assistir ao jogo, todo editado pela SporTV. Fica difícil avaliar melhor, porque a gente perde muito do “clima” do jogo. Além de se perder um bom tempo de “bola corrida”, os pedidos de tempo ou interrupções para substituições também fazem parte da estratégia do jogo.

    Mas, de qualquer forma, eis o que me passou pela cabeça: Não vi o jogo contra os EUA. Contra o Quênia não conta. Contra a Alemanha, o Brasil perdeu um set, e andou quase todo o tempo dos demais atrás no placar, só virando nos momentos decisivos. Parece que só jogou quando precisou. Hoje, me passou uma imagem semelhante: parece que não entrou em quadra no primeiro set. Será que achou que o jogo seria “moleza”? Perdeu. Chegou no segundo, jogou e venceu. Achou que estava ganho e desconcentrou no terceiro. Perdeu. Viu que a vaca estava indo pro brejo e resolveu jogar, dando um vareio de bola no quarto e quinto sets. É bom dizer que considero que nada disso é “premeditado” e sim consequência “do momento”.

    Posso estar errado, mas tenho a sensação que a seleção tem enormes altos e baixos, desconcentra, relaxa, comete erros sucessivos e só joga o necessário e quando necessário. E às vezes é surpreendida por times mais aguerridos. A gente observa uma falta de vibração em vários momentos do jogo, e aquela tradicional caça à câmera no final do jogo para mandar recados para o Brasil.

    Me recuso terminantemente a culpar o técnico ou qualquer uma das atletas individualmente, apesar de reconhecer que o rendimento de algumas está bem abaixo do habitual. Para mim, é um problema do grupo. Talvez excesso de jogos e treinamentos, com as atletas afastadas de seu meio social por períodos longos, talvez problemas internos aos quais não temos acesso, ou coisa desse tipo.

    O título, acho que já era. Só nos resta torcer para que as meninas consigam a vaga olímpica, e que a comissão técnica avalie os motivos dessa acentuada queda de rendimento e ache uma solução para eles até a estréia em Londres. Até lá ainda há tempo, e o grupo tem qualidade e competência para isso.

    • Raimundo

      É isso mesmo. Como não temos bola de cristal, temos que ficar expeculando.
      Atletas X comissão técnica ou entre as atletas. Li um comentário da Fabiana não sei se é verdade dizendo ” a seleção sente pressão no começo dos jogos “. Pra mim quer dizer que não há entrosamento entre as jogadoras. Motivos?

  • Cláudia Centhalá

    Sabe qual o principal problema? O saque. Nem tático elas tão sacando, pq aquilo não é saque tático nem aqui nem no Japão. Outra coisa, há um desânimo em relação a provável e precoce perda do título.

  • Graca

    Ze’ Roberto e’ q esta’ prejudicando o time. Contra a SERVIA a MARI estava sendo mais uma vez alvo preferido dos saques SERVIOS, Ze’ teve que esperar perder 2 SETS e arriscar perder o jogo para por Sassa’ de vez como titular no lugar de MARI: Ze’ e’ lento e toma decisoes importantes tarde demais.

  • Graca

    A SERVIA entrou com um time juvenil praticamente, o time que foi campeao Europeu mes passado nao entrou em quadra. Totalmente desfalcado de suas principais jogadoras: BRAKOCEVIC, NIKOLIC, OGJENOVIC, MALAGURSKI. Logo se o BRASIL enfrentasse o verdadeiro elenco campeao europeu teria perdido por 3×0?

MaisRecentes

A dor de Gabi e de quem estava ao lado



Continue Lendo

Duas gratas surpresas na Superliga



Continue Lendo

Minas espera Hooker ainda em outubro



Continue Lendo