Brasil sem nenhuma premiação individual no Mundial



Vice-campeão mundial, a Seleção Brasileira juvenil feminina ficou fora da premiação individual da competição.

A campeã Itália levou três prêmios, entre eles, o principal: Bosetti foi eleita a melhor jogadora do mundo na categoria. Confira todas as premiadas:

MVP: Caterina Bosetti (Itália)
Maior pontuadora: Lise Van Hecke (Bélgica)
Melhor atacante: Caterina Bosetti (Itália)
Melhor bloqueadora: Zhou Yang (Itália)
Melhor sacadora: Lise Van Hecke (Bélgica)
Melhor levantadora: Di Yao (China)
Melhor passadora: Lucia Nikmonova (Eslováquia)
Melhor líbero: Natalie Hagglund (EUA)



  • Afonso (RJ)

    Na maioria foram justas as premiações.
    Só não sei se a Bosetti merecia ser MVP. Deu muito avião e tomou muito toco no jogo com a China, que foi o que eu assisti, além do jogo contra o Brasil.

    Só uma pequena lembrança: Italiana com sobrenome Diouf? Italiana chamada Zhou Yang? Na hora que interessa a já tradicional xenofobia desaparece como que por encanto, né? Me lembro uma vez em Fuimiccino, que quase morri de dó de uma menininha asiática que teve a entrada negada e estava sendo sumariamente deportada… Quem te viu, quem te vê.

    • Diogo Márcio

      Dentre as jogadoras italianas achei a Bosetti melhor, pois ser MVP não é só o ataque, pois inclui os outros fundamentos tbm! Pior seria se fosse para Diouf ¬¬’
      Quem disse que a xenofobia acabou? Quem dera! Piccinini cutucou Costa Grande e outras jogadoras que se naturaliza em outro pais.

      • Raffael

        Picci quer a seleção só pra ela. Ela tem que ser a mais badalada, a mais bonita, a mais fotografada. Tanto fez que a Aguero hoje não faz mais parte do selecionado italiano. Costa tambem não tera futuro nessa seleção não… Lady Picci não deixa…TUDO DELA!!!

        • Paulo

          Quanta bobagem! Piccinini é, segundo as próprias italianas, como Lo Bianco, Del Core, Gioli, extremamente cordial. Quem a julga pela “cara de arrogante” devia julgar a Mari pela cara de pastel. No entanto, todos sabemos que é o jeito dela.

          Piccinini nunca criticou Aguero. Apenas “pediu” a camisa 12, que sempre foi dela, ao voltar para seleção (o número estava com a Aguero). Fora isso elas não tiveram problema algum. E quem sosmos nós para dizer que ela não tinha direito? Ela defende a seleção desde 96, ninguém ali teria mais direito de pedir uma “camisa” do que ela.

          E desde quando alguém criticar naturalização é xenofobia? Escola já! Criticar naturalização é um ponto de vista, um direito. Eu, por exemplo, sou contra. Acho errado a Aguero ter sido bi-campeã por Cuba e defender a Itália. XENOFOBIA é destratar, ter aversão a estrangeiros. Não é uma opinião. É um preconceito.

          • GRACA

            Parabéns pelo comentário, Paulo! A ignorância das pessoas desvirtua as opiniões. Na onda do politicamente correto, não podemos ter uma opinião própria que logo somos tachados de RACISTAS, HOMOFÓBICOS e XENOFÓBICOS. Sou totalmente contra racismo, mas não é pq critico um negro que estou sendo racista, ou um homossexual que estarei sendo homofóbica… As pessoas estão muito apelativas e não sabendo o limite entre o preconceito e a crítica.

          • Diogo Márcio

            Palavras ditas pode ser mais que uma simples opinião, ou um direito que todos cidadões podem exercer. Nelas podem esconder um preconceito que a pessoa tem, mas que ela não quer emitir. Por ela ser famosa, se tornaria alvo fácil de capas de jornais e da justiça, que ‘tenta’ combater esse problema na Europa! O problema dela com Aguero vai além das quadras, é todo mundo sabe o que ela realmente fez com a cubana ;D
            Mari pode ser um pastel, mas que muitos brasileiros queriam ser pasteleiro, a isso tem rs

  • Bia Ferraz

    A Zhou Yang é uma central chinesa, deve ter havido algum engano.

  • AJ

    Geeeente, Piccinini agora é racista… É cada uma.

  • Afonso (RJ)

    Só queria esclarecer um ponto:
    Quando me referi a xenofobia, quis falar da política oficial de imigração européia, sempre extremamente restritiva, com raras excessões, e não de preconceitos pessoais. Basta ver o número de brasileiros sumariamente impedidos de entrar na Espanha. E, em contraste, a crescente presença de descendentes de estrangeiros ou atletas naturalizados em seus quadros esportivos. Tem negros e asiáticos jogando em seleções de futebol inglesa, holandesa, francesa, alemã, portuguesa (lembram do Eusébio?) e até suíça. No vôlei, a Itália importou Aguero e agora Diouf. A seleção masculina francesa também tem africanos. Até Zidane, apesar de branco é filho de imigrante argelino.

  • graca

    Quem foi p/ la’ de preconceituosa nas premiacoes foi a FEDERACAO PERUANA DE VOLEIBOL. A imprensa peruana passou a semana inteira pegando no pe’ de BRENDA CASTILLO, porem BRENDA liderou as estatiscas a COMPETICAO TODA, e nao so’ nas estatiscas, mas ta’ na CARA que CASTILLO foi a melhor libero da competicao e uma das melhores do mundo. O que nao pode e’ uma premiacao deixar de ser dada a melhor da posicao simplesmente por BIRRA. Afinal de contas fica ate’ constrangedor para essa LIBERO dos EUA que recebeu o premio recebe-lo pq ta’ registrado nos jogos, nos videos, nas estatisticas e PRINCIPALMENTE na MEMORIA dos torcedores quem ralemente foi A MELHOR: BRENDA CASTILLO.
    Parabens a BOSSETI tao jovem e tao tecnica, e ela ainda vai disputar o mundial INFANTO pq e’ a mais nova do TIME ITALIANO.

MaisRecentes

Um líder por pontos ganhos. Outro por pontos perdidos



Continue Lendo

Camponesa/Minas quebra longa invencibilidade em Osasco



Continue Lendo

Placar RedeTV!: Futebol 2 x 0 Vôlei



Continue Lendo