Brasil se especializa em viradas. Mas é bom ligar sinal de alerta



De novo, após sair atrás, o Brasil virou uma partida neste Campeonato Mundial. Depois do difícil 3 a 2 sobre a Turquia, ontem, a Seleção fez 3 a 1 na Sérvia, neste domingo, encerrando a primeira fase na liderança do Grupo B.

É para se comemorar uma nova virada, mas com moderação. Contra alguns dos próximos rivais (Rússia e EUA), ter atuações abaixo da média nos primeiros sets poderá ser mortal. O mesmo digo para os períodos de oscilação que o time teve nestes dois últimos jogos. A metade final do quarto set é um bom exemplo, com o Brasil sofrendo uma pressão no final após ter total controle, com boa vantagem no placar. Ir para o tie-break já significaria, no mínimo, um ponto a menos na classificação.

Atuações ruins à parte, a Seleção conquistou um importantíssimo triunfo, já que levará oito pontos para a segunda fase.  Ao se analisar friamente o placar dos jogos de ontem e hoje, o Brasil está no lucro para enfrentar agora russas, americanas, holandesas e cazaques.

Em mais uma tarde com ataque e passe instáveis, o Brasil merece aplausos pelo crescimento do seu volume de jogo. A defesa, liderada por Camila Brait, está botando muita bola para cima, permitindo contra-ataques.

Agora volto ao futebol, para fechamento do LANCE!, e voltou com vôlei mais tarde.

 



  • Juliano

    Brasil, se continuar com este nível, não levará o título. Se bobear, sequer na final estará.

    Com Sérvia instável o Brasil consegue se superar e deixá-la encostar. Se não fosse o árbitro naquele pontinho final da Branca, a coisa ia ficar feia para o Brasil.

    Garay péssia no ataque. Sheila idem. Fabiana e Thaísa péssimas no ataque. Mas a o podre do bolo de pior atuação vai para Dani Lins. Misericórdia. Ela não sabe usar oposto. Bloqueio duplo em cima da Jaque ou Garay e ela não sabe inverter para a Sheila ou usar a meio fundo. Pior de tudo é insistir em china da Thaísa. Ela simplesmente péssima nesta jogada, mas continua dando pane e insistindo.

    Mais uma vez quem salvou o Brasil foi a Brait e os bloqueios das centrais. Muito baixo nível, principalmente contra Rússia e EUA.

    Como disse o Roberto ontem: depois não adianta chorar.

    Fraco, fraco. Para piorar, Thaísa, com toda a sua arrogância, tá querendo brigar com ZR. Dando indireta em entrevista ontem, resmungando e não prestando atenção nas orientações do técnico.

    Sempre tem este estrelismo e picuinha em grandes campeonatos. Agora com Garay em péssima fase não sei o que acontecerá ao Brasil.

    Espero que as músicas de Adenízia e fé dela consigam trazer um pouco de brio para este time que está muito mais ou menos.

  • Caco

    Todas as equipes mostraram limitações até o momento. No entanto, é só o começo do campeonato. O mais importante vem agora. Acho que as equipes têm muito a crescer ainda. Será muito interessante o cruzamento dessas duas chaves. Estou na expectativa para os nossos jogos contra Rússia e Estados Unidos.
    Detalhe: acho injusto uma equipe vencer todas as suas partidas e ainda assim ficar em segundo, como ocorreu com a República Dominicana. Vencer jogos é muito mais importante do que sets. A FIVB deveria mudar essa regra ridícula. Ainda bem que isso ocorreu em um momento sem importância.

  • Marcio T.

    Apesar da vitória, algumas considerações. Thaísa não está tao mortal quanto em tempos atras e a vejo muito nervosa como se fosse um sacrifício estar na seleção. Garay não está sendo a bola de segurança de sempre. Sheila oscilando muito, mas ela sempre decide em fases importantes. O lado bom. Jaque está muito bem, tanto na defesa quanto no ataque. Camila Brait sensacional nas defesas, quase chegando no nível da Fabi, com experiência chegará lá. Para a próxima fase não pode oscilar tanto!!!!

  • Caio

    Brasil já pega EUA e Rússia nessa próxima fase, vai ser bom para sentir como a equipe está, incrível como os grupos ficaram desnivelados.

  • Para mim o brasil saiu no lucro ontem pois a sérvia jogou pra ganhar mesmo e sair em primeiro mas felizmente não conseguiu melhor pro brasil que hoje jogou com o passe na mão pra dani mas a virada de bola não estava acontecendo com naturalidade pra fazer o jogo fluir o bloqueio funcionou é muito pois é muito bom pois já disse que quando esse fundamento entra na partida dificilmente o Brasil perde pra alguém é como termometro agora é nítido sim algo precisa ser conversado pois as principais jogadoras no ataques muito aquém do pode apresentar Thaíssa,Sheilla e Garay mas principalmente a garay que infelizmente não está conseguindo colocar a bola no chão é sim algo preocupante pois ea principal válvula de escape pra dani que está enchendo a jaque de bolas pra atacar é bom ela está na fase boa mas não era pra ser a solução como disse o marcos na trasmissão numa equipe que tem fabiana,thaíssa,sheilla e garay não era pra esse extremo mas como um todo essa fase acho que o brasil vai começar a desenvolver com mais assistencia pois tem jogos com cara de final e diferente dos seus rivais Rússia e Eua vão ter cazaquistão e holando enquanto as russas pegam a Bulgária e Turquia respectivamente seleções que já ganharam algumas partidas dessas seleções então pro Brasil foi muito bom esse chaveamento..vamos lá brasil!

  • marcian

    Brasil jogar dese jeito contra os EUA e Russia é no minimo querer ir pro tie break. Agora, que vergonha a atuação da Dani Lins, uma levantadora que tinha se firmado e está regredindo desta forma…

    Nossas atacantes estão pessimas. Muita coisa precisa melhorar!

MaisRecentes

Joelho afastará Gabi das quadras



Continue Lendo

As primeiras transmissões da Superliga na TV



Continue Lendo

Vaivém: Thaisa jogará a Superliga



Continue Lendo