Brasil se especializa em viradas. Mas é bom ligar sinal de alerta



De novo, após sair atrás, o Brasil virou uma partida neste Campeonato Mundial. Depois do difícil 3 a 2 sobre a Turquia, ontem, a Seleção fez 3 a 1 na Sérvia, neste domingo, encerrando a primeira fase na liderança do Grupo B.

É para se comemorar uma nova virada, mas com moderação. Contra alguns dos próximos rivais (Rússia e EUA), ter atuações abaixo da média nos primeiros sets poderá ser mortal. O mesmo digo para os períodos de oscilação que o time teve nestes dois últimos jogos. A metade final do quarto set é um bom exemplo, com o Brasil sofrendo uma pressão no final após ter total controle, com boa vantagem no placar. Ir para o tie-break já significaria, no mínimo, um ponto a menos na classificação.

Atuações ruins à parte, a Seleção conquistou um importantíssimo triunfo, já que levará oito pontos para a segunda fase.  Ao se analisar friamente o placar dos jogos de ontem e hoje, o Brasil está no lucro para enfrentar agora russas, americanas, holandesas e cazaques.

Em mais uma tarde com ataque e passe instáveis, o Brasil merece aplausos pelo crescimento do seu volume de jogo. A defesa, liderada por Camila Brait, está botando muita bola para cima, permitindo contra-ataques.

Agora volto ao futebol, para fechamento do LANCE!, e voltou com vôlei mais tarde.

 



MaisRecentes

Quem fica com as últimas vagas na Superliga masculina?



Continue Lendo

Giovane encaminha manutenção do vôlei carioca na Superliga



Continue Lendo

Basta! Nada justifica ameaças de morte



Continue Lendo