Brasil se especializa em viradas. Mas é bom ligar sinal de alerta



De novo, após sair atrás, o Brasil virou uma partida neste Campeonato Mundial. Depois do difícil 3 a 2 sobre a Turquia, ontem, a Seleção fez 3 a 1 na Sérvia, neste domingo, encerrando a primeira fase na liderança do Grupo B.

É para se comemorar uma nova virada, mas com moderação. Contra alguns dos próximos rivais (Rússia e EUA), ter atuações abaixo da média nos primeiros sets poderá ser mortal. O mesmo digo para os períodos de oscilação que o time teve nestes dois últimos jogos. A metade final do quarto set é um bom exemplo, com o Brasil sofrendo uma pressão no final após ter total controle, com boa vantagem no placar. Ir para o tie-break já significaria, no mínimo, um ponto a menos na classificação.

Atuações ruins à parte, a Seleção conquistou um importantíssimo triunfo, já que levará oito pontos para a segunda fase.  Ao se analisar friamente o placar dos jogos de ontem e hoje, o Brasil está no lucro para enfrentar agora russas, americanas, holandesas e cazaques.

Em mais uma tarde com ataque e passe instáveis, o Brasil merece aplausos pelo crescimento do seu volume de jogo. A defesa, liderada por Camila Brait, está botando muita bola para cima, permitindo contra-ataques.

Agora volto ao futebol, para fechamento do LANCE!, e voltou com vôlei mais tarde.

 



MaisRecentes

Esperava um jogo tecnicamente melhor no Mineirinho



Continue Lendo

Reflexão sobre o momento da Seleção é necessária



Continue Lendo

O novo capítulo de uma relação conturbada entre Brait e Zé Roberto



Continue Lendo