Brasil reage, vence bem e assume 2º lugar na fase final



A Seleção Brasileira feminina se recuperou da derrota na abertura da fase final do Grand Prix.

Nesta madrugada, triunfo por 3 sets a 0 sobre a China, parciais de 25-23, 25-20 e 25-21, em Tóquio (JAP). Resultado que coloca as atuais campeãs na segunda colocação do hexagonal, com quatro pontos, dois a menos do que as donas da casa, que aplicaram um surpreendente 3 a 0 na Turquia, algoz verde-amarela na  primeira rodada.

Parte das titulares com atuação apagada diante das turcas voltou a jogar bem. Fernanda Garay dividiu com Jaqueline o posto de maior pontuadora, com 15 acertos cada. Fabiana e Sheilla vieram logo depois, com 11. Thaisa, que foi a maior pontuadora do Brasil na fase de classificação, foi a que menos marcou: 8.

Para recuperar a confiança, nada melhor. Na próxima madrugada, novamente às 3h (de Brasília), a Seleção duelará com a Bélgica, que hoje perdeu para a Rússia por 3 a 1. Outra excelente oportunidade para “colocar” em jogo quem ainda não apareceu nesta fase final, caso específico de Thaisa, jogadora tão decisiva na fase inicial e que ainda não mostrou metade do que sabe e pode em Tóquio.

Apesar da vitória, o Brasil cometeu um número excessivo de erros diante de um rival desfalcado de suas principais jogadoras. Foram 19 pontos dados de graça, quantidade que explica, em parte, o equilíbrio do primeiro set. Contra um adversário mais capacitado, o placar dificilmente terminaria em 3 a 0.

Pensando em título, o time de José Roberto Guimarães terá uma “final antecipada” com a Rússia, no sábado. Final antecipada pois uma derrota pode até garantir a conquista antecipada do Japão. Com dois pontos a mais e tendo chinesas e belgas como próximas rivais, as donas da casa têm tudo para somar mais seis pontos, chegando a 12. Para chegar aos dez e ter chance real de título na rodada final, no confronto direto contra as japonesas, o Brasil terá de vencer belgas e russas sem tie-break. No primeiro caso, problema algum. No segundo, promessa de jogão, até porque o resultado do duelo em SP ainda deve estar engasgado na garganta das russas.

 

 



  • Rodrigo Coimbra

    O Brasil não fez nada mais que a obrigação, venceu a China desfalcada… o Brasil ainda continua sendo favorito, apesar do Japão ter grande vantagem sobre a seleção de Fabiana e cia, nunca se pode duvidar das brasileiras.
    Destaque para a surpreendente Turquia que de certa forma no Grand Prix já está acostumada a vencer as maiores potências do volleyball mundial no tie-break, foi surpreendida pela mais ainda surpreendente seleção japonesa, que não está jogando pouca bola não!

    • Aline

      Tandara,Carol e Gabi foram tão bem ontem, e hoje são esquecidas no banco???
      Deixa pra lá… Não vou esquentar minha cabeça com isso. Já sei que o Zé demora muito a pensar em mexer e o time tem que estar em altíssimo risco para que isso aconteça e,às vezes,é tarde demais,ex.:jogo contra Turquia.

      • Rodrigo Coimbra

        Concordo plenamente com vc, apesar de ainda querer Suelle e Pri Daroit no mínimo no banco. E mais, a Sheilla foi uma das estrelas da seleção mais vitiriosa e temida que o Brasil já teve ao lado de Paula e Mari, nunca amarelavam etc etc, aliás nunca devemos menosprezar jogadoras com vasto currículo como elas em momento decisivo mas a Tandara já merecia sua titularidade a tempos (vide Garay e PP4 em Londres), seja na entrada ou saida de rede, e já que a Sheilla não vem rendendo, pq não bota-la como titular? Coloca-la em momentos de desespero e pressão é fazer a nossa maior atacante das pontas na atualidade se precipitar nos ataques, enfim… infelizmente a Carol vai ser apenas sombra mesmo pois a concorrência com as torres gêmeas não é fácil, mas bola a Carol tem, muito mais que muitas centrais altas de outras seleções. Já a Gabi ainda em fase de amadurecimento, é baixa mas tem bom ataque, vai disputar posição com o grande leque de ponteiras atacantes excelente que temos.
        Temos um banco (contando com mts jogadoras não convocadas) que poderia enfrentar qualquer seleção do mundo e vencer, inclusive a nossa!!!

  • O brasil fez realmente se jogou como se esperava ontem como uma equipe campeã olímpica todas jogadoras se entregando e se ajudando na quadra e quando isso acontece fica difícil parar a nossa seleção a jaque e a garay foram as maiores pontuadoras com 15 pontos cada e foi bom ver o rapido desenvolvimento mental no campeonato pois no mundial vai ser desgastante tbm jogos atrás de jogos para o brasil neste grand prix basta continuar neste embalo pra uma possível final contra o japão que por enquanto está jogando o fino mais precisa responder na hora de decidir pois pra elas será bastante favorável ver a seleção chegar no domingo sem chances pois o brasil consegue sempre ter uma leitura rápido do jogo das japonesas que sempre começam com tudo mais precionadas vão caindo o nível de jogo até ser engolidas pelas nossas torres gemeas!!

  • Caco

    Parabéns Brasil! Ainda não assisti ao jogo, mas fiquei muito feliz pelo resultado.
    Gostei da ideia do Zé colocar as titulares de novo. Elas sempre mostraram ter personalidade de sobra para se recuperar logo, após um fracasso.
    Nenhum time do mundo tem a personalidade e a força mental das atletas brasileiras. As equipes dos outros países, ou se acham muito quando ganham, ou se arrebentam depois que perdem.
    O Brasil tem mostrado um equilíbrio incrível tanto diante das derrotas quanto das vitórias.
    Talvez, não tenhamos jogado ainda o nosso melhor nessa fase final, mas tenho certeza que elas crescerão contra Rússia e Japão.

  • Neide

    Zé confia extremamente no time titular e no poder de reação das titulares,o que pode acabar não ocorrendo e pode nos custar o mundial novamente.
    Zé é lento,demora muito a agir,não dá oportunidade às reservas,contra a Turquia esperou estar perdendo de 2×0 em sets e de 6×1 no terceiro set para por as reservas.No dia seguinte,mesmo com excelentes atuações de Tandara,Gabi e Carol contra a Turquia,preferiu tomar sufoco do time B da China sem dar a oportunidade das reservas entrarem em quadra:Absurdo e revoltante!!!
    No jogo contra a Turquia, vimos que sem passe somos piores que as outras seleções.
    Sem Jaque e com Natália no lugar dela, perdemos 4 amistosos contra os EUA.
    Sem passe, a seleção brasileira é muito vulnerável,pois as ponteiras não podem jogar com bolas rápidas e as centrais raramente veêm a cor da bola.
    Além disso,Dani Lins não sabe trabalhar bem a bola sem passe.
    A substituta ideal para a Jaque que tem as mesmas características de passe dela é a Michelle Pavão e não a Natália.
    Natália está com uma contusão na coxa e não foi relacionada para a fase final do GP.
    Será que Zé vai ser antiético mais uma vez e repetir Londres quando Natália,sem condições de jogo,ficou e Brait,no auge da forma,foi cortada já lá na Inglaterra?
    Zé Roberto, que fez de Natália um talismã e uma versão fake do que Amanda faz no Unilever(entra para sacar).
    Mas,se a função da Natália é sacar,então o Zé deveria convocar a própria Amanda,pois o saque da Amanda é muito mais venenoso e eficiente que o da Natália!
    Se 90% da torcida faz chacota da Natália,deve ter algum motivo né? Também não tenho culpa, que as próprias jogadoras entre elas,falam mal do ZRG via Skype,Whatsapp e dão indireta em redes sociais.
    Não tenho culpa que ela foi levada a Londres 2012 e ficou 99,99% das olimpíadas sentada no banco e só entrou para sacar. Não tenho culpa que ela está desde 2011 sendo reabilitada e também não sei e nem tenho bola de cristal para saber mais quantos anos essa “reabilitação” vai durar.Tbm não tenho culpa se a Gabi com seus 20 anos,até 2016 provavelmente terá bagagem para ser titular,até lá Natalia estará beirando os 30 anos e provavelmente como sempre no banco de reservas.
    Alguém lembra do jogo do Campinas no qual a Daymi mandou o ZRG tomar no C…?Ele a fez entrar em vários jogos contundida,como ela levava o time nas costas,ele queria de qualquer jeito passar das semifinais e fez a coitada jogar machucada e ainda faltava com a educação.Ano passado,alguém lembra quem levava o time dele nas costas?Tandara né?Ela foi a maior pontuadora da superliga e ele gritava,berrava com ela,alguém lembra do episódio dele chamando a Claudinha de burra em rede nacional?E a Natália lá fazendo merda,alguém lembra dele gritar com ela?Alguém lembra da MAri no Pesaro da Italia?Cujo time ele era técnico?Fazia dela uma máquina de fazer pontos,fez ela jogar machucada no time e na seleção, alguém lembra da PP4 dizendo que teve que se recuperar em tempo recorde,pois,segundo ela tinha levado um “toque” do técnico e poderia perder a vaga?DE repente todo mundo tá sem memória ….
    Todo mundo sabe que nas Olimpíadas nas quartas de final,as jogadoras fizeram reuniões entre e si e jogaram sozinhas sem “acatar” ordens do técnico.Ficou evidente isso,inclusive até fizeram aquele documentário “mulheres de ouro” para mascarar a situação,mas, mesmo assim deu pra ver que algumas jogadoras ficaram de receosas de dar o “testemunho”.O que mais ficou evidente e estranho pra mim,foi a tentativa da PP4, Fabiana,Jaque e Sheilla de pedir dispensa,depois dos cortes humilhantes e desumanos de Fabíola e Juciely no aeroporto e de Mari na lavanderia. Foi unanime na seleção a politicagem e a inconformidade das jogadoras com as convocação Natalia sem reais condições de jogo.

    • Edu

      Muito bem colocado.Independente do resultado, o ZRG dizia a boca pequena( o circulo intimo) que provavelmente o Brasil iria brigar pela medalha de bronze em Londres em razão do histórico de derrotas sofridas na transição às Olimpiadas para os EUA (80 por cento dos jogos) e Russia.A Natália se tornou uma especie de talismã para o ZRG.Ela deixou a Unilever sem ouvir uma proposta de renovação para ir ao recém criado – na época – Campinas.Hoje o ZRG parece ter uma divida moral e emocional com algumas jogadoras que não aderiram ao motim nos bastidores de Londres e superaram as expectativas obtendo o título: como hoje a merecedora da titularidade Dani Lins e a Garay.Na minha opinião, tanto ele como o Bernardo já deveriam ter encerrado o ciclo depois de Londres pelos belos trabalhos obtidos nos mais de dez anos no comando dessas seleções.A CBV insinuava que o Giovanne Gavio( no masculino) e o Luizomar seriam os candidatos naturais as vagas.Hoje eu vejo um ZRG meio atormentado por não ter feito deslanchar o projeto do Campinas.Ficando naquela indecisão de ir ou não ir para o Krasnodar. Cansando a paciência dos russos com a indecisa opção e quase mortificado ao decidir aceitar e receber como resposta que já tinham escolhido o novo treinador.Para fechar o assunto Natália ela é um exemplo de superação.O problema que a comprometeu por dois anos abortou a carreira de centenas de atletas para o esporte competitivo.Naquela oportunidade o mais natural seria convocar uma nova ponteira para a posição.

  • Juju

    Não é uma crítica negativa, apenas uma constatação pessoal, mas já que você falou em Thaisa, eu particularmente ACHO que ela cai de produção em jogos decisivos ao contrário da Fabiana que parece gostar mais de situações tensas. Quanto a vitória sobre a China, já era o esperado pelo que vinha jogando. Triste mesmo foi o Globo Futebol oops Esporte, falar só da Sheila, sendo que Garay e Jaque foram as maiores pontuadoras! Nada contra a Sheilla, mas muito marketing, em excesso mesmo, acaba irritando quem assistiu o jogo.

  • Edu

    O Brasil sem o passe na mão tem um jogo previsível.Já deixava escapar o Nalbert ao comentar a derrota do Brasil durante o jogo do Japão contra a Turquia.Hoje o passe entrou melhor fazendo com que a Jaque se tornasse a melhor em quadra e merecedora do mimo, em forma de bola de vólei, de melhor em quadra.Thaisa andou errando no inicio e falando impropérios a torto e a direito.É uma jogadora extraordinária detentora de imensos recursos que podem ser melhor aperfeiçoados.Precisa ter mais tolerância, longe da submissão, e um quê a mais de inteligencia emocional.Errou setenta por cento dos seus saques e isso já se traduz na incorreções de jogo e instabilidade emocional.Saque ruins também foram a tônica de algumas jogadoras como Sheilla e menos, Fabizona.O time estava mais inspirado com a Garay virando com mais facilidades as bolas.A Lan Ping assistia quase impassível a partida quase com a cabeça já habitando o Mediterrâneo e não se ressentindo das quatro titulares que poupou da competição.A atitude mais necessária, a meu ver, e solicitar que o Paulo Coco cale a boca durante o andamento do jogo.Num tom de voz excessivamente alto ele começa a cantar a partida em andamento.Colocando uma pressão desnecessária a quem já esta emprestando seu vigor e técnica e bastante suor em quadra.Após a partida percebi que a Dani tomou a inciativa de abraçar de forma muito carinhosa a Fabíola sendo acompanhada depois pela Jaque( a amiga mais próxima de seleção da levantadora reserva).Por ter sido reserva da Fabíola, a Dani tem ciência que todas que estão no grupo e as que estão no banco podem colaborar de alguma forma.O Brasil, especificamente o ZRG, apostou num grupo semi fechado de seis jogadoras titulares e uma estrategia definida de jogo.Oxalá que esteja certo nessa jornada ao campeonato mundial.

  • Juliano

    Não é possível, está tendo algum problema interno outra vez.

    O 3 a 0 foi SOFRIDO. Erros de passe e saque. Desatenção no ataque. Bloqueio de nível regular.

    Senti ainda que, se tivesse uma ou duas titulares no time da China, teríamos levado um passeio.

    Não está normal, elas estão parecendo animadas e tudo, mas tem algo. Não sei se estão cansadas de tantos jogos ou se é problema interno.

    Não me empolgou de forma alguma o jogo. Thaísa está visivelmente abalada. Não acredito que seja por causa da derrota da Turquia.

    Senti a mesma “atmosfera” da etapa das chaves de Londres.

    Espero que tenha sido só impressão, mas a minha intuição diz o contrário.

MaisRecentes

Joelho afastará Gabi das quadras



Continue Lendo

As primeiras transmissões da Superliga na TV



Continue Lendo

Vaivém: Thaisa jogará a Superliga



Continue Lendo