Brasil não toma conhecimento da Argentina



O Brasil conquistou a vitória mais fácil até aqui na Liga das Nações feminina, nesta quarta-feira.

Em Ankara, 3 sets a 0 sobre a Argentina, parciais de 25-9, 25-21 e 25-14. Quarto triunfo em cinco jogos na competição, colocando a Seleção em terceiro lugar na classificação geral, com 12 pontos. Os Estados Unidos lideram, com 13 pontos, seguidos pela Sérvia, com 12.

Turquia, Coreia do Sul e Holanda também possuem quatro vitórias e uma derrota, mas somam 11 pontos cada. Mostra um início de competição bem equilibrado.

O Brasil encerrará a participação na segunda semana da Liga das Nações às 8h (horário de Brasília) desta quinta-feira contra a República Dominicana, transmissão do SporTV 2.

Seleção passeou diante das argentinas (FIVB Divulgação)

José Roberto Guimarães continuou o rodízio na formação titular. Monique ganhou uma oportunidade no lugar de Tandara, enquanto Carol saiu jogando na vaga de Adenízia.

Monique terminou o clássico sul-americano com 16 pontos, seguida por Amanda (12) e Drussyla, que mais uma vez entrou na vaga de Gabi no decorrer da partida, com dez.

Contra um adversário tecnicamente muito inferior, o Brasil fez o dever de casa. Algo a elogiar, então, a concentração. É sempre fácil oscilar demais quando se sabe que a vitória é questão de tempo.

O treinador gostou da atuação e rapidamente já mudou o foco para o duelos com as dominicanas, treinadas pelo brasileiro Marcos Kwiek.

– Começamos a partida concentrados e podemos dar ritmo de jogo para algumas jogadoras. Agora vamos estudar a República Dominicana que é um time difícil de se enfrentar com um potencial de ataque grande. Elas têm uma jogadora que atuou no Brasil, a Peña, que conhece as nossas jogadoras. Vamos precisar ter uma atenção especial com ela e a Martinez. A nossa relação entre o bloqueio e a defesa tem que continuar em evolução assim como uma melhora no nosso posicionamento – disse Zé Roberto.

LEIA TAMBÉM

+ Termina a parceria entre Alison e Bruno Schmidt



MaisRecentes

Coluna: O Brasil queria receber os Pré-Olímpicos de vôlei. Mas…



Continue Lendo

Coluna: Minas e um dia histórico para o vôlei nacional



Continue Lendo

O tremendo desafio de Minas e Dentil/Praia Clube no Mundial



Continue Lendo