Brasil não dá chances para a Bélgica em SP



Um susto no início do jogo. E depois uma lavada. Assim pode ser definida a vitória do Brasil sobre a Bélgica por 3 sets a 0, parciais de 25-17, 25-16 e 25-14, nesta sexta-feira, na abertura da etapa de São Paulo do Grand Prix.

Foi a quarta vitória em quatro jogos do Brasil no torneio, caminhando tranquilamente até aqui para a classificação para a fase final, que acontecerá em Omaha, nos Estados Unidos. Neste sábado, às 10h, o duelo será contra a Tailândia. No domingo, no mesmo horário, confronto com a Alemanha.

Zé Roberto começou o jogo de hoje com Dani Lins, Joycinha, Gabi, Fernanda Garay, Juciely, Carol e Camila Brait. Considerando que Jaqueline, que estava no banco de reservas, teve um princípio de pneumonia há algumas semanas, dá para considerar esse time a força máxima atualmente.

Comemoração brasileira no Ibirapuera (FIVB Divulgação)

Comemoração brasileira no Ibirapuera (FIVB Divulgação)

E até o 11º ponto do set inicial parecia que havia algo errado na equipe. A virada de bola estava bem abaixo do normal, falhas na relação bloqueio-defesa e uma sensação de que a Bélgica, mesmo sem Van Hecke, sua principal jogadora, poderia aprontar. 0-4, 2-6, 4-8… A diferença, porém, começou a cair quando Carol marcou dois pontos no bloqueio e passou a ser mais acionada por Dani Lins no meio.  A virada aconteceu antes do segundo tempo técnico. E daí para frente as europeias não incomodaram mais.

Carol, personagem de outro texto, que será publicado mais tarde, terminou o primeiro set com seis pontos (quatro no ataque e dois no bloqueio), liderando o Brasil.

Do segundo set em diante, o time esteve mais equilibrado. Gabi foi uma boa opção nas jogadas pelo fundo, Juciely e Fê Garay também cresceram no ataque e bloqueio. O resultado foi o domínio total da equipe brasileira. Até o público deu uma relaxada. A empolgação voltou no fim do segundo set, quando Jaqueline fez sua estreia no GP entrando no lugar de Garay.

No último set, mais mudanças. Monique entrou na saída de rede, com Natalia formando a linha de passe com Gabi e Camila Brait. As belgas até chegaram a esboçar uma reação na metade da parcial, mas nada que ameaçasse a vitória brasileira por 3 a 0, já com Ana Tiemi, Barbara, Jaqueline, Sassá e Adenízia também em quadra.



MaisRecentes

Brasil impõe primeira derrota à Turquia na Liga das Nações



Continue Lendo

Entrevista com Kerri Walsh, três vezes campeã olímpica



Continue Lendo

Vaivém: Oposto troca Sada/Cruzeiro por Ribeirão



Continue Lendo