Brasil estreia com vitória no GP



Não foi uma atuação de encher os olhos. Mas o Brasil estreou com vitória no Grand Prix, nesta sexta-feira.

Em Sassari, na Itália, a Seleção derrotou a China por 3 sets a 1, parciais de 25-21, 23-25, 25-17 e 25-16. Neste sábado, o duelo será contra as donas da casa.

Zé Roberto optou por escalar sua força máxima, com o time campeão olímpico tendo apenas uma alteração: Camila Brait na vaga de Fabi, que se aposentou da Seleção. E o time, como conjunto, deixou a desejar. Faltou, principalmente, regularidade das jogadoras.

Neste jogo de altos e baixos, nos dois primeiros sets, Jaqueline se destacou. Muito regular no passe, assumiu uma função que raramente executa: a de ser a definidora principal do time. Aos poucos, começou a ser mais marcada pelo block chinês e viu Fernanda Garay, que vinha de um início bem ruim, assumir a “bola de segurança”.  As duas colocavam no chão as bolas que Sheilla não conseguia. A oposto não teve uma tarde inspirada e foi a atacante com menor pontuação do Brasil no duelo (oito acertos). Garay finalizou a partida com 19 pontos, quatro a mais do que Jaque.

Com as oscilações entre pontas e oposto, as jogadoras de meio passaram a ser mais acionadas por Dani Lins a partir do segundo set.  Thaisa e Fabiana pontuaram bastante no ataque (9 e 12 pontos, respectivamente), mas acabaram se destacando também no bloqueio e no saque. As Torres Gêmeas fizeram cinco pontos cada no bloqueio, fundamento mais desigual entre Brasil x China: 16 a 7. No saque, totalizaram três pontos, mas desarrumaram o passe asiático em vários momentos. E este foi um ponto que me chamou a atenção. A recepção chinesa não foi tão bem quanto a defesa. E isso facilitou o triunfo brasileiro.

Para compensar, as chinesas usaram e abusaram de Zhu, o novo fenômeno do país, que terminou o confronto com 24 pontos, 23 deles no ataque.  Mas uma andorinha só não fez verão neste nível de jogo.

 

 



MaisRecentes

Esperava um jogo tecnicamente melhor no Mineirinho



Continue Lendo

Reflexão sobre o momento da Seleção é necessária



Continue Lendo

O novo capítulo de uma relação conturbada entre Brait e Zé Roberto



Continue Lendo