Brasil B (de bom) passa com autoridade pelos Estados Unidos B



Com a classificação já garantida desde a rodada anterior, José Roberto Guimarães e Karch Kiraly optaram por times reservas no duelo Brasil x EUA que encerrou a segunda fase do Mundial, neste domingo, em Verona. E as suplentes brasileiras deram a garantia ao técnico da Seleção de que estão prontas para a reta final da competição. Com autoridade, vitória por 3 a 0, acabando com a invencibilidade americana e garantindo o primeiro lugar do grupo.

Tandara, Natália e Fabíola foram três destaques hoje. A oposto foi a maior pontuadora do jogo e teve um bom aproveitamento de 50% no ataque. A ponta, caçada no saque durante toda a partida, teve uma atuação bem regular no fundamento, além de virar bolas em momentos importantes. Por sim, a levantadora tem méritos pela distribuição com poucos erros, ainda que privilegiando mais as pontas do que o meio, algo que não acontece tanto quando o Brasil tem Thaisa e Fabiana em quadra.

Com uma atuação bem consistente das reservas, Zé Roberto nem precisou mexer no time, poupando mesmo as titulares. Kiraly, por sua vez, usou Larson, Glass, Hill… E ainda assim não conseguiu mudar o panorama do jogo.

Com o primeiro lugar garantido, a única certeza que o Brasil tem é que não pegará o líder da outra chave (o vencedor de China e Itália) na terceira fase. O restante, graças ao genial regulamento do Mundial, é uma incógnita. Podendo ser um Brasil, EUA e Rússia, por exemplo, num grupo da morte. A torcida, com todo o respeito que Marcos Kwiek e seu excelente desempenho até aqui merecem, é cair com a República Dominicana, a grande surpresa entre os seis que ainda sonham com o título. Em tese, facilitaria o caminho para a semifinal.

Para vocês, qual seria o grupo dos sonhos para o Brasil na próxima fase?

 



  • pra mim o grupo perfeito seria com itália e rússia,ganharíamos das girafas,e poderíamos dar um sacode nas italianas pra pararem com essa marra que elas estão só pegando equipes medianas,e na semi pegando a china que já e freguesia na certa,aí na final contra as girafas novamente o troco que nós todos queremos de mundiais…

    • caso a itália passe em 1 quero as dominicanas mesmo kkk

  • klaus

    Esperando agora os que adoram dizer que o Brasil não tem banco e que o time americano tem reservas muito melhores.Está aí a prova.

    • Daniel_Sam

      Boa Klaus, agora eles ficam bem quietinhos né? vai ver sossegaram o rabisteco.

  • Mari

    Parabéns ao time B de Brasil!!
    Jogaram muito hj, ótimas todas elas!!
    Que bom ver as Tandara soltando pancada pra tudo que eh lado, na paralela, diagonal o que for!!
    Que bom ver a Fabiola ganhando confiança e sendo inteligente nas escolhas.
    A Gabi parece que joga com essa camisa a anos e não apenas a dois anos!
    Natália eh aquilo…tem dias ótimos e outros pra esquecer….hj ela foi bem…com ressalvas…
    Gostei da Adenizia e da Carol tb…no começo elas pecaram visivelmente por falta de ritmo, mas depois de acertaram…
    Bom ver que o Brasil B está muito bem obrigado.
    Diferente da seleção masculina, temos 14 jogadoras e não só Murilo, Lucao, Sidao, Bruno, Lucarelli e Wallace.

  • Arlindo

    Só espero que a República Dominicana não fique no grupo da Itália.
    E não só pra facilitar o trajeto do Brasil, mas pq daí qualquer grupo que o Brasil pegue será grupo da morte.

    Acho que Itália e República Dominicana são as equipes menos fortes do Top 6.
    E então teríamos semifinais de respeito, com China, Rússia, EUA e Brasil, onde primeiros e segundos colocados serão decididos em detalhes.

    Mas eles vão dar um jeito de facilitar a vida pra Itália e a Rep. Dominicana deve cair pra lá!
    Então que venham a Rússia e a China.

    E que o Zé coloque a Tandara de titular de uma vez!

  • marcian

    Só digo isso: Tandarão arrazou!!!!
    Gostei bastante do jogo, acho que o Zé devia iniciar pelo menos os próximos jogos com Tandara e alguma outra ponteira, porque Garay e Sheilla não estão mais com tanta confiança. Parabens as reservas fizeram o melhor jogo do Brasil neste Mundial. E que algumas titulares se inspirem mais e virem bolas (não é, Garay toqueira?)

  • Leo

    Minha gente, eu tenho um pavor tao grande com esse negocio de estar invicto que vcs nao tem noçao. Kkkkkkk
    Esse negocio de sorteio é ridiculo, mas tbm nao vejo outra maneira de dividir as chaves com 6 seleçoes classificadas.
    Quero a Italia em primeiro no outro grupo e pegar China e Rep. Dominicana no final six.

  • Jairo(RJ)

    Realmente faltou um pouco mais de jogo pele meio. Adenízia e Carol foram pouco acionadas.
    Mas de maneira geral o Brasil mostrou força de grupo. Temos uma equipe que pode usar o banco ao contrário do Masculino.

    Dar ritmo às meninas que completam o grupo foi muito bom, pois podemos precisar delas e sabemos que a pedreira agora será maior.

    Em tempos de Ary “Sem Graça” tudo pode ocorrer no sorteio de amanhã. Mas, quem quer ser campeão não pode ficar esperando moleza. Vamos pra cima Brasil ! Avante até o título !

    Sou mais Brasil !

  • Euri

    Eu vejo a Gabi jogando com tanta segurança e só consigo pensar que queria que o Lucarelli tivesse tido a mesma oportunidade que a Gabi está tendo na seleção brasileira feminina. Que ele tivesse tido a oportunidade de jogar um Mundial sem nenhuma grande responsabilidade, sem precisar ser titular e sabendo que se o time perder não vão jogar a culpa nele. O bom banco da seleção feminina parece deixar ainda mais evidente a falta de competência da seleção masculina na renovação do time, além da mania ridícula do Bernadinho que privilegiar os serviços prestados dos jogadores ao invés de pensar no futuro.

  • JR

    Grande vitória das nossas meninas! Gostei mto da consistência do nosso time. Fora uma sequência de uns seis pontos q tomamos qndo estava 8 x 5 para o Brasil no primeiro set, nosso time sempre liderou o placar ou ficou próximo disso, mantendo sempre uma boa virada de bola. Tandara e Natalia enfim mostraram aquela fome de bola. Que continuem assim, vamos precisar mto de todo o grupo tinindo para a sequência do campeonato.

    Agora é esperar o sorteio e ir com td para a terceira fase!

    Tô contigo Brasil! Força meninas!!

  • Cadê o meio do Brasil?

    Daniel, mais com a Carol de central é óbvio que não temos condições de jogar pelo meio. Pelo amor de Deus, jogar com uma central de 1,83? Hoje foi óbvio para quem quer enxergar que ela não tem condições de jogar pela seleção. Um fato é jogar a Superliga que só tem jogadoras nanicas: Neneca, Elis, ponteira Carla, etc., outra é jogar internacionalmente. Ela quase não fez pontos de ataque e o bloqueio que é o seu forte, pela velocidade de pernas, não apareceu.
    E olha que o time americano não é dos mais altos.
    Não temos centrais para substituir a Thaisa e a Fabiana (torres gêmeas e as 2 melhores do mundo), tanto em talento quanto altura.
    Na minha humilde opinião quem levou o Brasil nas costas foram: Tandara, Natália e Fabíola.
    Mas a seleção B do Brasil jogou muito. Parabéns. Deu um baile no time B dos EUA. Fiquei orgulhoso da seleção brasileira.

  • Bruflain

    Independente de qualquer adversário o Brasil tem tudo pra ganhar esse campeonato. Acho que é o favorito! Rússia, por exemplo, só se classificou porque a Servia não ofereceu resistência e amarelou na hora mais importante. (Teve tudo pra fechar o primeiro set, o que mudaria a história do jogo) A Rússia NÃO tem passe. Se pegar adversários corajosos, que arrisquem no saque,e pode ficar pelo caminho. A nao ser que Gamova resolva voltar a desquilibrar. EUA é muito bom, mas são jogadoras novas que podem sentir a pressão. China idem. Rep Dominicana é a grande surpresa e Itália tem a torcida a seu favor. Enfim, essa é a minha opinião, tomara que de tudo certo. Torcendo muito pelas nossas meninas!!! Vai Brasil!!

  • rodrigo

    Seria mais fácil se já colocassem o primeiro do grupo direto nas semifinais e fizesse um mata-mata com segundo e terceiro dos grupos.

  • Marcio T.

    Achei excelente a tática do JRG. O jogo não valia “nada” então pra que desgastar o time e deixar o EUA estudar as jogadas? Melhor dar ritmo de jogo para as outras jogadoras! Tandara muito bem, Natalia também. Agora é esperar o sorteio e vencer quem vier.

  • Juliano

    Fantástica a vitória.

    Uma pena que o ZR não investiu mais na Natália. Ela poderia estar confiante e fazer a diferença. Ela é nossa Kosheleva. Vai quinar sempre, mas vira bolas difíceis, com muita porrada. As americanas ficaram perdidas, era porrada de todo lado. Tandara de um lado e Natália de outro.

    Natália foi alvo o jogo inteiro, e quinou menos do que muitas partidas em que a Garay, neste mundial, era o alvo.

    Ela é quinadeira, mas Kosheleva também é. Kosheleva não estava tão bem (parte do Grand Prix), mas depois cresceu. Tudo porque o técnico russo não desistiu dela e sabia do seu potencial. O mesmo se pode dizer de Goncharova, que voltou ao seu melhor voleibol. O técnico russo deu confiança para as jogadoras, o que ZR não fez com a Natália.

    Natália já entra cabisbaixa e derrotada. E todos dizem nas suas costas que não é a mesma. ZR tem que recuperá-la. É colocá-la no Grand Prix na titularidade até pegar confiança na marra. Um título a mais ou a menos não fará diferença. O que fará diferença é a Natália de 2010 arrancando petróleo da quadra adversária nas olimpíadas de 2016, isto sim.

    Esta constatação é tão óbvia que, em entrevista, o técnico da seleção da Bulgária, campeão mundial com a Rússia em 2010, já afirmou que a fragilidade do Brasil é a falta da Natália, que virava na marra em 2010, já que Sheila não “voa” mais.

    Daí, num jogo que não valia nada praticamente, Natália, sem pressão, fez a diferença e quinou menos do que Garay e Jaqueline em muitos jogos deste mundial. Tudo isto sendo caçada o tempo inteiro.

    Atacou na diagonal curta, deu lições de como se explorar bloqueio (o que foi aquela jogada no bloqueio da Glass?!), atacou bem no fundo da paralela, largou etc. Ou seja, tanto potencial que poderia ser mais aproveitado. Agora, neste momento, nem eu e nem ninguém, a quer na titularidade, e até se fala da injustiça do seu nome na lista de convocação (o que não concordo, pois ela, para mim, ainda seria a oposto ideal para Rio/16).

    Tangorda jogou bem. Fez o que deveria, que era meter porrada. Mas também contou com a sorte, já que as americanas tocavam em todos os balões dela (quando aconteciam, é claro) Uma pena que ela não consegue emagrecer mais. Ela retinha como uma Sheila voaria se mantivesse o braço forte. Seria a impulsão mais a explosão, a oposto que me faria pensar na Natália de ponta. Nem na melhor fase a Sheila teve a potência que Tandara hoje possui.

    Mas é claro que a vitória se deu pela FANTÁSTICA atuação da Fabíola. Para mim, neste mundial, com a Pani Lins de volta, é Fabíola na cabeça. Todavia, devem entrar também Tandara e Natália ou Gabi (se a fase Garaytoco permanecer), já que não é uma Dani Lins pelo meio.

    Gabi está muito bem, é regular, e não é uma quinadora. Como a necessidade é de se evitar qualquer tipo de erro, e considerando que as torres gêmeas fazem o trabalho no bloqueio (Gabi tenta explorar o bloqueio, mas, por não ter tanta força como Natália e Tandara, quase sempre alguém do fundo da quadra adversária pega), é a escolha mais óbvia para a fase Garaytoco.

    Falar de Brait é chover no molhado. Quando tudo conspirava para um dia de aces das americanas, foi a nossa líbero que tomou as rédias. Já tinha falado que as americanas iam testá-la. A equipe norte-americana sempre joga estrategicamente. O saque era focado na Natália e na Brait. Mas Brait foi lá e colocou tudo na mão. Portanto, aguardem que no próximo confronto com as americanas o alvo será Garay (para variar…).

    As centrais não comprometeram. Não bloquearam como deveriam, principalmente a Carol, mas foram fundamentais nos finais dos sets.

    Agora a grande “vencedora”, que nos deu a vitória, que fez mais diferença que a própria Fabíola, foi a Davis. MEU DEUS. Pegando bola fora, quinando muitos passes etc. Depois de Londres, acredito que nunca voltará a ser a mesma. Ficou traumatizada, e a equipe americana, ao invés de recuperá-la, coloca-a de vez no banco. A outra líbero é boa de recepção, mas não é uma Davis na defesa. Davis salva muitas bolas que só líberos de nível Fabi conseguem.

    Este jogo abriu muitas possibilidade para o ZR. Mais do que poupar, o jogo de hoje era para buscar soluções aos três problemas do Brasil atualmente: as más fases de Dani Lins, Sheila e Garay. E todos sabem que o banco tem esta solução, agora a pergunta que fica: psicologicamente este banco está preparado?

    • Daniel_Sam

      Concordo totalmente na parte da Natália.
      Ela é mais que nossa Kosheleva, ela é nossa Gamova, nossa Miréia Luis.
      Nossa nova Ana Moser.

  • Aline

    Fabíola e Tandara ARRASARAM! Parabéns!!! Isso mostra a força da inversão do 5×1 brasileira!!!
    Regulamento ridículo, qual a vantagem de ser primeiro colocado: NENHUMA!!!
    A maioria das seleções já classificadas poupou as principais jogadoras, somente SÉRVIA x RÚSSIA valia alguma coisa. Ou seja, somente UMA partida da última rodada valia alguma coisa: REGULAMENTO RIDÍCULO!!!

  • Aline

    Quero as russas novamente!!! Vamos humilhá-las DE NOVO!!!
    DON’T CRY GAMOVA!!!
    TANDARÃO está muito mais PORRADEIRA E DECISIVA que essa ridícula da GAMOVA!!!

  • Aline

    Eu, particularmente, adoro o estilo CUBANO da oposta dominicana GINA MAMBRU.
    Vocês se lembram dela em 2010, na extinta equipe do VÔLEI FUTURO, quando ganhou o PRÊMIO DE MELHOR SACADORA DA SUPERLIGA?
    Cheia de personalidade e atitude, ela é uma das líderes do time, BAILARINA CLÁSSICA formada, tem uma excelente impulsão que ajuda muito nos seus potentes saques e ataques.
    GINA MAMBRU afirma que deve ao BALLET CLÁSSICO muito de sua impulsão e de sua elasticidade na defesa.

  • Rafael

    3. fase definida:
    Grupo G: ITA USA RUS
    Grupo H: BRA CHN DOM

  • Edu

    Foi a melhor que a encomenda.A seleção brasileira jogou com toda formação de jogadoras ditas secundárias.Os EUA também colocaram as suplentes e em certas ocasiões ,para tentar dar uma endurecida na partida, as titulares Hill, a Glass e a Larson(jogadora que parece estar sendo preservada e sofrer com a maratona física de jogos consecutivos e longos períodos em quadra,representa certamente uns 30% do volume de jogo americano).Kirstin, melhor jogadora estrangeira da ultima temporada da nossa superliga, confirmou que perdeu a titularidade e até por isso foi destituída da função de capitã da seleção.O Kirally foi politico e elegante, como sempre,aliás, reconhecendo desgostar do resultado mas elogiando todas as equipes classificadas para o final six. Abro um parentese para falar desse “Pelé do voleibol”.O jogador mais completo do mundo.Reconhecido na unanimidade como o melhor passe do mundo do voleibol masculino.Um relés detalhe a acrescentar :em sua época só podia se recepcionar o saque na manchete.Então impossível desconhecer o virtuosismo técnico desse extraordinário jogador considerado até hoje o maior de todos os tempos nesse fundamento em particular e nos demais.Da equipe em quadra só Adenizia destoou um pouco por ser uma jogadora mais raçuda do que técnica.Se perdeu no timing dos bloqueios na transição rápida do jogo na rede.Discordo respeitosamente do Daniel em relação a preferencia da Fabíola pelas bolas nas pontas.Na minha opinião uma das razões de sua escalação foi que o ZRG queria um certo antidoto contra os jogo veloz estadunidense.Enquanto que a Dani se prevalece numa precisão melhor de levantamento a Fabíola tem nesse fundamento uma ação muito mais veloz e potente na altura para o exercício dos jogos pelas pontas.E as centrais escaladas para essa partida se destacam por ser mais atacantes eventuais(Adenizia e Carol) e melhores bloqueadoras.Natália foi até determinada parte do jogo no ritmo de “uma no cravo(com belas jogadas) e outra na ferradura(com lances bisonhos).Depois se estabilizou e lembrou ,em partes, a ex-titular da seleção brasileira muito menina que foi conduzida a ser ponteira e abrir mão de sua função natural de oposta( em decorrência das complicações físicas e técnicas da Mari).Uma jogadora que em seu período de plenitude contribuiu de forma relvante a seleção e que já muito nova ignorava a pressão das partidas mais enroscadas.na busca de um titulo relevante. Num mundial (de busca de um título inédito na carteira de triunfos da seleção brasileira) o grupo jamais pode estar circunscrito a sete jogadoras ativas.As que compõem o banco devem sempre ter algo a oferecer.E por seu talento natural Natália tem muito a contribuir.

MaisRecentes

Um líder por pontos ganhos. Outro por pontos perdidos



Continue Lendo

Camponesa/Minas quebra longa invencibilidade em Osasco



Continue Lendo

Placar RedeTV!: Futebol 2 x 0 Vôlei



Continue Lendo