Brasil abre 2015 com vitória, mas sem grande público



A estreia da Seleção Brasileira masculina em 2015, importante ano pré-olímpico, foi vitoriosa. Na tarde desta sexta-feira, triunfo de virada sobre a Sérvia por 3 sets a 2, parciais de 24-26, 25-17, 25-22, 26-28 e 15-12, pela primeira rodada da Liga Mundial.

Uma pena, porém, que o Mineirinho não estivesse lotado, como em outros tempos. Apenas 4.661 pessoas estiveram no ginásio, em Belo Horizonte, número aquém do que a Seleção costuma levar em jogos. Em algumas tomadas da transmissão das TV´s deixava nítido os clarões no mítico local.

Vissotto no bloqueio (FIVB/Divulgação)

Vissotto no bloqueio (FIVB/Divulgação)

O preço dos ingressos (R$ 50 arquibancada superior e R$ 70 arquibancada inferior) e o horário (14h de um dia útil) foram os vilões, segundo alguns torcedores. Separei aqui até algumas reproduções de seguidores do meu Twitter (@danbortoletto).

Maysa ‏@maysasouza: ingresso caro e esse horário!

Simone Boff ‏@SimoneBoff: HIPER vazio. Concentraram os torcedores de frente para as câmeras proibindo ficar no lado oposto do ginásio. Sexta-feira né!!

Tatiana Nishiyama ‏@mayumi_tatiana: só pra quem pode né 🙁

Matheus Carvalho ‏@teuzzo1: Sexta feira, às 14h. Não esperava outra coisa.

Em quadra, o Brasil, sem Bernardinho, Murilo e Mário Júnior, suspensos, teve Rubinho como treinador e Rapha, Leandro Vissotto, Lucarelli, Lipe, Lucão, Isac e Escadinha, como titulares.

Como esperado para um início de temporada, o time ainda se mostra “preso”, já que a parte física foi privilegiada nos treinamentos em Saquarema. Tecnicamente, gostei da dupla Lucão e Isac pelo meio, uma formação nova e que merece ser testada mais vezes. O primeiro terminou o duelo com 15 pontos, enquanto o segundo fez 11. Vale lembrar que Isac, o titular mais novo do time, tem um longo tempo de convivência com Rubinho, que foi seu treinador em São Bernardo. Certamente jogou mais tranquilo.

Já o passe oscilou em alguns momentos, com Lucarelli e Lipe. Escadinha, em seu retorno à Seleção, fez algumas grandes defesas, deu broncas em companheiros desde o início e já deixou claro que, mesmo aos 39 anos, dificilmente dará espaço aos demais líberos até a Rio-2016.

O oposto Leandro Vissotto, com 18 acertos, 16 deles no ataque, foi o maior pontuador do Brasil.

Para domingo, no segundo duelo da série, espero ver um Mineirinho cheio e uma equipe brasileira mais solta. Murilo, que tinha apenas um jogo a cumprir de suspensão, pode ser uma das novidades.



MaisRecentes

Giovane encaminha manutenção do vôlei carioca na Superliga



Continue Lendo

Basta! Nada justifica ameaças de morte



Continue Lendo

As duas formas de ver o novo Sesi



Continue Lendo