Brasil 3 x 2 Turquia. Comentem!



Venceu, mas não convenceu.

Esse é resumo da vitória brasileira na estreia em Londres diante da Turquia, parciais de 25-18, 23-25, 25-19, 25-27 e 15-12.

Sim, já era esperado um jogo equilibrado com as turcas. Mas o Brasil, em alguns momentos, teve apagões preocupantes, que ajudaram o time de Marco Aurélio Motta a levar a decisão para o tie-break e sonhar com uma zebra ainda maior. No quarto set, principalmente, a virada demonstrou uma fragilidade emocional que pode ser fatal contra rivais mais experientes.

Parece pouco, mas vencer no 5º set faz com que a Seleção some apenas dois pontos, terminando a rodada atrás de China e Estados Unidos. Para as turcas, o pontinho obtido é lucro. E o grupo com Sérvia e Coreia não será moleza para ninguém.

Pelas estatísticas oficiais dos Jogos, Sheilla foi a maior pontuadora do duelo, com 19 acertos, um a mais do que Darnel. Coletivamente, gostei do bloqueio em alguns momentos da partida. Foram 14 pontos do Brasil no total.  Já o ataque me preocupou. Tivemos problemas para virar as bolas e algumas redes pareciam esroscadas. Em alguns momentos, achei Fernandinha sem sintonia com as centrais, o que sobrecarregava as pontas.

Na segunda rodada, a reprise da final de Pequim diante das americanas. Uma vitória pode marcar a arrancada deste time brasileiro, que ainda parece preso.

Algumas frases pós-jogo:

Zé Roberto

“Tivemos por ponto positivo o bloqueio e a defesa. Mas poderiam ser melhores.  Cometemos erros que não podem ocorrer, principalmente, no quarto set, indecisões, erros de saque e acabou que a Turquia entrou no jogo de novo”

Sheilla

“Acho que relaxamos quando achamos que iríamos ganhar um set fácil (o quarto), mas isso aqui é Olimpíada. Foi um jogo de alerta. Não acho que a gente errou o jogo inteiro. Foi em um momento do jogo”

Fabiana

“Começamos a cometer erros. Sabemos que isso não pode ocorrer. Viemos aqui para buscar a medalha de ouro e só isso interessa”

Marco Aurélio Motta

“No primeiro set demos 12 pontos para o Brasil. Isso prejudicou. Mas perdemos um jogo e isso faz parte da nossa formação, faz parte de um time que está ganhando experiência. O Brasil tem um grande time e em três sets jogamos de igual para igual. Agora é jogar contra a China e ganhar o jogo”

 

 

 



MaisRecentes

Vaivém: “Livre”, Thaisa seguirá atuando no Brasil



Continue Lendo

Jaqueline chega ao Japão para substituir Drussyla



Continue Lendo

Vaivém: Abouba espera aproveitar chance da vida no EMS/Taubaté



Continue Lendo