Balanço dos meus “chutes olímpicos”



Fui rever os palpites que dei para a Revista ESPN, na edição do mês passado.

Acreditava em 15 medalhas. O Brasil faturou 17. Destas, meus erros e acertos estão abaixo.

Cravei três medalhas:

– Prata para o vôlei masculino

– Prata para o futebol masculino

– Bronze para Juliana/Larissa

Acertei as medalhas, mas não as cores:

– Ouro para Alison/Emanuel (dupla foi prata)

– Prata para o vôlei feminino (ouro)

– Bronze para Sarah Menezes (ouro)

– Prata para Rafael Silva (bronze)

– Ouro para Mayra Aguiar (bronze)

– Ouro para Cesar Cielo (bronze)

– Ouro para Scheidt/Prada (bronze)

Meus chutes sem medalha foram:

– Ouro para Leandro Guilheiro

– Prata para Cesar Cielo – 100m livre

– Bronze para Maurren Maggi

– Bronze para o futebol feminino

– Bronze para Diego Hypolito

 



  • Afonso RJ

    Me parece que o balanço de acertos (ou quase) foi altamente positivo. Parabéns, Daniel. Isso mostra que você entende mesmo do assunto.

    Não previ medalhas (não gosto muito de fazer previsões), mas disse que menos que 10 medalhas seria um desastre e mais de 15 uma surpresa. Conseguimos 17, mas apenas três de ouro. Em Atenas conseguimos apenas 10 medalhas, mas 5 foram de ouro. Pela contagem que normalmente se usa para a classificação, que valoriza mais o número de ouros do que o total de medalhas, ficamos atrás da nossa performance em Atenas.

    Parabéns para os britânicos que aumentaram por volta de 40% seu número de medalhas. Vi uma entrevista em que o supervisor técnico co COB prometeu colocar o Brasil no “top ten” em 2016. Vamos ter que trabalhar muito para isso. Só quero ver…

  • tiago

    Daniel venho aqui me redimir e te elogiar!
    Por ser umblog de volei,achei q vc fosse cravar ouro do Brasil,mas vc foi totalmente imparcial e noa deixou a emoçao de torcedor falar mais alto e foi sensato e cravou o Brasil prata,antes dos jogos começarem.Parabéns,pois tenho certeza que muitos devem ter te malhado por não apostar no ouro

MaisRecentes

O tetra está vivo! Sada/Cruzeiro na semi do Mundial



Continue Lendo

Uma vaga aberta na semi do Mundial: a do Sada/Cruzeiro?



Continue Lendo

Sada/Cruzeiro sofre com o “próprio veneno” no Mundial



Continue Lendo