Aviso aos navegantes



Galera, bom feriado a todos! Espero que estejam bem!

Já que nem todos que leem o blog possuem Twitter, vou repetir aqui uma mensagem que escrevi no microblog na madrugada de quarta e repeti na tarde desta quinta:

Não me peçam para comentar neste espaço a separação de Giba e Pirv, já que não sou colunista de fofoca. Me reservo o direito de não entrar em questões pessoais e fazer juízo de valor de A, B ou C.

Espero que entendam.

Um abraço



  • Eduardo Araujo

    Apoiado, vamos falar somente de volei!!!

    Falando nisso, tem ideia de como foi os jogos treinos do Unilever X SESI sei que o unilever ganhou 7 sets e o SESI ganhou 1, mas vc tem mais informações, quem jogou se foram bons os jogos.

    Abs

  • Elcio

    Parabéns Daniel. Uma atitude extremamente coerente com o blog. Vamos nos limitar ao vôlei, o qual é o objeto desse espaço…

  • Júnior-RS

    Que bom que vc nao vai entrar nessa questão de separação dos dois…na verdade este assunto já está por td nos outros sites, é só ir lá…eu prefiro me limitar às expectativas do inicio da SL e preparação das equipes…falta pouco e tomara q seja uma grande SL, com mta emoção! Não vejo a hora q comece , já que desde o fim da Ulbra que não assisto a um jogo de SL ao vivo!

  • Luiz

    Cara! Falando sério. Eu nem esperava que você fosse escrever alguma coisa. Pra falar a verdade, nem comentei nos sites que postaram isto. Coisa chata! Eu lá quero saber da vida do Giba! Eles que se resolvam.

  • Afonso RJ

    Minha humilde opinião:

    O mundo do vôlei não se restringe só às quatro linhas. Fatos com jogadores e comissão técnica extra-quadra também são notícia, incluindo questões pessoais a partir do momento que se tornam públicas. Acho sim, que a separação entre Giba e Cristina Pirv pode ser comentado, desde que como notícia, e não como fofoca. Da mesma forma que se comenta atletas posarem nuas para revistas masculinas, incompatibilidades pessoais (Zé roberto e Bernardinho, por exemplo), e muitas coisas mais. O importante é a relevância como notícia, e o tratamento jornalístico dado. Aliás, o fato é que nosso querido blogueiro magistralmente acabou arranjando um jeito e dar a notícia e ao mesmo tempo se eximir da pecha de fofoqueiro.

    E por falar em fofoca, mais um assunto “extra quadra”, mas que não deixa de ser notícia: a entrevista da Mari para a “Isto É” está dando no que falar!

    • Jairo(RJ)

      Afonso, assunto Mari com Zé já amplamente noticiado mas que continua dando no que falar como você citou acima.

      Não sei se você concordará, mas, tirando toda essas questões que envolvem a Mari atleta, se ela quiser, pode trilhar outros caminhos… Que tal modelo?
      http://esporte.uol.com.br/volei/ultimas-noticias/2012/11/15/apos-polemica-com-ze-roberto-mari-faz-ensaio-sensual-e-nao-descarta-posar-nua.htm

      • Afonso RJ

        Hummm… Tá começando a ficar interessante!!! 🙂

      • Ana

        Pessoal, não vi mts comentários no blog sobre as palavras da Mari e agora gostaria de saber a opinião de vcs sobre as palavras da Sheilla: “Sheilla ratifica críticas de Mari: ‘Não vou desmentir. Ela tinha razão’
        Atleta do Osasco confirma crise no grupo revelada pela ex-colega de seleção” no site do globoesporte.
        Obrigada. Abraços.

    • Mirtes

      Querido separação de um casal não tem nada a var com voleibol, é um momento particular e delicada da vida pessoal dos dois que não deve estar na boca de Candinhas! O Daniel está corretíssimo!

      • Afonso RJ

        Mirtes: questão de opinião, mas se fosse um casal qualquer, concordo com você. Mas trata-se de figuras exponenciais do vôlei. É notícia pela simples possibilidade de influir no desempenho dentro de quadra. Ou será que a vida pessoal de atletas não tem influência no lado profissional?

    • César Castro

      A entrevista da Mari é realmente um assunto mais interessante que a separação do Giba.
      Cara, a Mari, para quem era chamada de mulher de gelo, tá muito é da sangue quente.

      Pra mim, que não senti a dor real de ser cortado, já tinha dado esse assunto resolvido. Tava esperando mesmo era a bola rolar na SL e ver algumas coisas que, de fato, me interessam:
      1. Retorno da Natália. Será que ela volta a ser a atacante de 2010?
      2. Como Unilever/Campinas/Sesi vão tentar parar o Solys.

      Objetivamente falando, a temporada de 2013 vai ser de muita observação para o mundial de 2014, título que o Brasil parece obstinado a ganhar.
      E, sinceramente, acho que a seleção brasileira que deve se formar está toda no país.
      A PP4 e a Mari realmente parecem figurar na SFV apenas no tempo pretérito (glorioso, diga-se).
      A Paula sente (me parece) o peso da idade e a Mari (me parece) o das contusões e da falta de sangue frio para equilibrar o pessoal e o profissional.
      2013/2014 não vai ser assim tão fácil. A equipe americana, não esqueçamos, continua um timaço. Não sei se a Tom continua e a Berg já foi tarde.
      Acho que vai ser: Tom (Hodge) / Larson / Harmotto / Akirandewo / Glass (Thompson) e Hooker (timaço);
      As “eternas rivais” russas com certeza se reestruturão, mas como não gosta de competições “pequenas”, só devem vir com força total mesmo no mundial. Enxergo algo como:
      Kosheleva / Makhno / Perepelkina / Borodakova / Startseva / Goncharova
      As italianas (destroçadas) é uma previsão dificílima. Tudo depende do técnico que continuar/assumir. Se entrar alguém com juízo, a Costagrande e a Bosetti jogarão de ponteiras, o resto na minha cabeça são interrogações.
      O “pacote asiático”, pra mim, não passa de figuração (de mais ou menos luxo).
      A Sérvia tem tudo pra se reerguer e a Polônia pra se afundar ainda mais. A Alemanha (com ou sem Mari) não me mete medo. A Bulgária, talvez, comece a aparecer e a Holanda, talvez, comece a aparecer. Cuba acho que vai afundar mais um pouco no mar do Caribe. A Turquia tb deve aparecer forte no mundial, mas sem ameaçar os grandes.
      Nosso querido Brasil, deverá ter o Osasco + Natália em 2014.

  • meyre

    Eu estou louca para que a super liga comece viu para avaliarmos os jogadores. E ansiosa estou também pela liga mundial ( em maio), para saber quais são os jogadores que Bernardinho experimentará.
    No mais, quero parabenizar a band sport pela transmissão da liga italiana de volei e a champions league.
    É claro, que não esperava outra atitude de voce Daniel, mais uma vez, parabens pela sua conduta.
    As suas férias estão acabando , para sua tristeza e …..para a nossa alegria…hahahahaha
    abs.

  • Manoel

    Daniel,e a entrevista da MAri na ISTO È?

  • Aline

    Acho que a MARI foi corajosa, falou muitas verdades que estavam entaladas na garganta de muitas jogadoras e de muitos jornalistas esportivos que não tiveram coragem de falar!
    Porém há de se lembrar que as maiores injustiçadas pelo Zé Roberto foram Fabíola e Camila Brait, que estavam no auge da forma e foram cortadas injustamente. E NATÁLIA ganhou o OURO mais injusto das OLIMPÍADAS!
    Comentarei as declarações de MARI:
    1.”Passei três ciclos olímpicos para, no último minuto, ser cortada. O Zé Roberto não se importou com o que eu acrescentei à seleção. Fui injustiçada. Não tenho mais relacionamento com ele e não faço a menor questão de ter”.
    Admiro essa atitude de MARI, principalmente pela forma como foram feitos os cortes: muito dolorosos e sem agradecimentos pelos serviços prestados. O próprio depoimento da Fabíola prova isso, foi cortada no saguão do aeroporto de forma fria, Zé Roberto não a abraçou, nem sequer lhe apertou a mão e agradeceu, o que custaria um pequeno gesto de gratidão num momento tão delicado? O que custaria menos frieza e um pouco de compaixão? O da Brait acho que foi o pior de todos, pq já foi lá em Londres… O da Mari foi na lavanderia de Saquarema depois que as outras jogadoras já tinham ido para seus quartos.

    2.”Todas as meninas choraram e vieram falar comigo. Me disseram que na semana do corte, o clima dos treinos ficou ruim”
    O Zé criou um clima de tensão nas meninas afirmando a toda hora que esperaria por NATÁLIA até o último minuto, ele endeusava uma jogadora em detrimento das outras, eram 2 pesos e 2 medidas: para NATÁLIA TODOS OS PRIVILÉGIOS E MIMOS POSSÍVEIS, para as demais jogadoras, RÉLIS MORTAIS, o fantasma do corte surpresa. O fato de ele transformar a NATÁLIA na DEUSA DO VÔLEI, numa PSEUDO-SALVADORA-DA-PÁTRIA, criou um clima muito ruim dentro da seleção, pq todas as demais jogadoras se sentiram rebaixadas, afinal de contas elas ralaram muito o ano inteiro para estar na seleção enquanto NATÁLIA não jogou nenhum jogo oficial em 2012 e sequer participou da superliga.

    3.”O meu corte atrapalhou muito o grupo, Sei disso porque falei com as jogadoras. A relação entre o Zé Roberto e as atletas estava muito desgastada. Se elas não tivessem parado e conversado para fazer tudo de novo, o ouro não teria acontecido. Elas são realmente as grandes merecedoras da medalha”
    Ficou óbvio que o Zé Roberto mais atrapalhou do que ajudou nesse ciclo olímpico e quem realmente conquistou o OURO foram as jogadoras que lideradas pela CAPITÃ FABIANA deram um BASTA nas intervenções ignorantes do técnico e se uniram em prol do OURO, claro que com uma ajuda dos EUA que classificaram o BRASIL para as quartas-de-final VENCENDO a TURQUIA

    4.”Eu tenho a opção de jogar pela seleção alemã também, porque posso pegar o passaporte alemão. Se quiser jogar mais um Mundial e uma Olimpíada, posso fazer isso pela Alemanha. Sou muito amiga do Giovanni Guidetti [italiano que dirige a seleção alemã]. Quando ele soube disso, veio conversar direto comigo”.
    Concordo com MARI acho que ela deve jogar pela Alemanha sim, ela tem que pensar na sua carreira, acho que grande parte das contusões dela é derivada do stresse emocional e se livrando do convívio com o Zé Roberto ela estará mais aliviada, jogar pela Alemanha dará nova motivação a ela, seria um verdadeiro recomeço. Desejo sorte a ela e que seja muito feliz na SELEÇÃO ALEMÃ. O fato de ela jogar pela Alemanha não quer dizer que ela está se indispondo com os brasileiros, mas sim uma forma de ela ter uma nova experiência e um nova motivação depois de grandes decepções nesse último ciclo olímpico tanto na COPA DO MUNDO/2011 quanto no corte olímpico.

    Amigos o fato eh que o Ze’ eh rancoroso. Basta lembrar o motivo da convocacao da Fabiola, desde a aposentadoria da Fofao e o inicio do novo ciclo olimpico o Ze’ descartou a Carol e insistiu com 2 levantadoras: Dani Lins, sua eterna protegida e Ana Tiemi sua eterna reserva. Fabiola se convocou dentro de quadra,sem padrinhos, jogando muito bem pelo PINHEIROS liderando o modesto time da capital a 2 titulos paulistas consecutivos e na sua estreia pelo Sollys foi logo campea e melhor levantadora da Superliga 2012 deixando o fenomeno FERNANDA VENTURINI em segundo lugar. Porem Ze’ Roberto NUNCA gostou da FABIOLA, a convocava por obrigacao, devido as suas conquistas dentro de quadra. Talvez o fato da Fabiola ser cria do Bernardinho possa tbem ter influenciado, ao passo que a Dani Lins foi cria do Ze’. Sempre Dani Lins comecava como titular os campeonatos e a Fabiola era jogada na fogueira para apagar incendio na selecao, foi assim no MUNDIAL/2010 e na COPA DO MUNDO/2011, mas na verdade ate’ a eterna reserva Ana Tiemi era mais valorizada que a Fabiola. Porem o Ze’ nunca teve a intencao de levar a Fabiola p/Londres/12 e precisava de arranjar uma levantadora que pudesse fazer dupla com a Dani Lins que NAO fosse a apagadissima da ANA TIEMI,foi entao que surgiu a FERNANDINHA destaque na LIGA ITALIANA de volei, que comecou as OLIMPIADAS como titular e depois cedeu a vaga para a DANI LINS.
    Concordo com o EDUARDO ARAUJO que o caso da CAMILA BRAIT foi traumatico ser trocada pela NATALIA que toda a comissao tecnica e as demais jogadoras sabiam que estava sem condicoes de jogo foi muito doloroso, ainda mais pq BRAIT estava no auge da forma e contribuiu muito no GRAND PRIX nos jogos em que se revezava com a FABI. Alem disso NATALIA nao conquistou sua vaga dentro de quadra, uma vez que nao jogou nem a SUPERLIGA nem o GP, a vaga dela foi na peixada. A medalha de OURO da NATALIA foi a mais injusta dessas OLIMPIADAS,essa medalha deveria ser da BRAIT!

    • meyre

      pela amor de Deus.
      o cara provou que estava correto nos cortes.
      ganhamos o ouro.

    • Perikito

      Aline,

      Você foi perfeita em quase todos os pontos na defesa da Mari, exceto no quarto. Analise bem o que ela disse. “Eu tenho a opção de…” ou “Se eu quiser…” não têm o mesmo peso de um EU VOU ou um EU QUERO. Ela apenas insinuou que se estiver disposta, tem outra opção para disputar campeonatos de seleções. Se vai mesmo fazê-lo, aí já é outra coisa. Ninguém percebeu isso.
      A parte pessoal do seu comentário, quando defende com uma argumentação passional a Fabíola, quase que compromete sua análise. A Fabíola merecia estar na seleção, assim como a Dani, mas eu entendi seu corte. Tanto ela quanto a Dani estavam dando no mesmo. E o Zé no começo da preparação para a disputa do classificatório para Londres deixou claro que levaria quem estivesse melhor no momento nas competições com a seleção. Nisso ele foi justo e coerente. Mas infelizmente não usou esse critério com a Natália e errou feio. Muito feio.

      • Ana

        Excelente texto Aline!

  • MARI, A GERMÂNICA

    WARUM NICHT GERMAN???(Porque não alemã???)
    Ela tem sangue germânico correndo nas veias, olhos, cabelos, tipo físico e temperamento germânicos. E sobrenome germânico: Steinbrecher.
    Porque não seguir os passos de CACAU e de PAULO RINK que nasceram no Brasil, mas jogaram COPAS DO MUNDO pela seleção alemã?
    Mari tem que ir em busca de seus sonhos, cuidar da sua carreira e defender a Alemanha faz parte de sua evolução como jogadora, é um novo desafio! Boa sorte Mari!

  • nelson

    ta mais que certo.

  • Luciano

    Voltou, espero que tenha desfrutado de boas férias.
    Então vamos falar de volei, né não, fofoca fica para outros blogs e colunas interessadas em tal situação.

  • luish

    E nem precisa né Daniel.
    Já tem outro blogueiro que adora postar fofocas!!! rsrsrs

  • Fofocaas do Voloc

    Essa semana, no dia 14, o Portal UOL publicou em sua página de esportes uma reprodução da entrevista concedida pela Mari para a revista “Istoé 2016”.

    O site http://www.mariannesteinbrecher.com.br vem esclarecer, em nome da Mari, que a reinterpretação do UOL atribuiu um sentido às declarações da atleta que não condizem com as suas reais opiniões.

    “Eles mudaram o sentido das palavras! Da forma como colocaram parece que eu estou atacando e me desfazendo da seleção!”

    O que foi expressado na entrevista original apenas apresenta a opinião e os sentimentos da jogadora acerca de sua trajetória na seleção. Mari não “detonou” Zé Roberto, como diz a chamada da matéria. O uso desse termo deixou implícito um intuito agressivo às palavras da atleta, quando ela apenas esclareceu como é, agora, sua relação com o treinador e como ela viu a decisão e às justificativas alegadas por ele para o seu corte de Londres 2012.

    Outro termo usado na reportagem que pode proporcionar interpretações equivocadas diz respeito à colocação de que Mari disse que o grupo estava “rachado” com Zé Roberto. Ela disse que o grupo estava “desgastado”, e essas palavras pressupõem coisas muito distintas.

    O UOL também passa uma impressão de desdém por parte da Mari com a seleção brasileira e dá a entender que ela teria a intenção de jogar pela seleção alemã. Mari disse que essa possibilidade existe, mas isso não implica numa pretensão ou planejamento.

    A Equipe MarianneSteinbrecher espera que tenham ficado esclarecidas as colocações da jogadora e deixa aqui o sua indignação com o site UOL pelas distorções cometidas que, em nenhum momento, levou em consideração o impacto disso na imagem da jogadora.

    • Juju

      Obrigado pela dica. Vi a matéria no site que você passou e realmente o UOL sacaneou a Mari, não existe outro termo pra definir, a forma como a matéria foi postada. É uma falta de respeito enorme ao ser humano, não a atleta, uma pena, pois a atleta merece mais respeito por sua trajetória, o ser humano então, não há o que falar. Mari é detonada por grande parte da mídia desde 2004, sem motivo, sempre fez o que pode pra ajudar os times por onde jogou, foi massacrada em 2004 por aquele jogo contra a Rússia, quando foi a maior pontuadora da partida, fez mais pontos que o gigante russo em 2012 contra a SMV, mudou de oposta pra ponta, pois seria melhor para o grupo, foi bombardeada por conta do passe, achincalhada pela torcida, sofreu várias contusões, voltou sem estar 100%, jogou a SLF 2011/2012 com vários problemas musculares, não rendeu o que pode, mas mesmo assim foi espetacular em vários jogos da Unilever, tem sofrido com problemas musculares no Fener e mesmo assim tem contribuído. Pela seleção brasileira contribuiu muito em vários títulos ganhos, nas entrevistas sempre foi sincera honesta, sem ficar bajulando ou falando o que queriam ouvir…é chato já enjoou essa campanha para denegrir a imagem da Mari, tá passando dos limites da ética, chamar uma pessoa de decadente é o fim da picada do abuso da liberdade de opinião.

MaisRecentes

Semana positiva das Seleções adultas



Continue Lendo

Coluna: O polêmico teste na regra do vôlei



Continue Lendo

Vaivém: Mais estrangeiras na Superliga?



Continue Lendo