Atualização do ranking mundial mostra caminhos do Brasil para Tóquio-2020



As principais seleções do planeta conheceram, neste fim de semana, os prováveis caminhos para os Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020. E não dá para dizer que o Brasil se deu mal.

Com a atualização do ranking da Federação Internacional de Vôlei (FIVB), é possível ter uma noção quase exata de como ficarão os grupos do Pré-Olímpico, o novo formato de classificação para os Jogos.

Como ele leva em conta a posição do ranking da FIVB, apenas desistências alterarão os grupos, que serão oficializados em agosto de 2019.

No masculino, o Brasil teria pela frente Egito, Bulgária e Porto. No feminino, o grupo seria formado por Brasil, República Dominicana, Camarões e Azerbaijão.

Era possível ficar bem pior, como vocês poderão ver abaixo.

Brasil não foi bem no último Campeonato Mundial (FIVB Divulgação)

Vale relembrar como os grupos são formados. Pelo nova regulamentação, os 24 primeiros do ranking (excluindo o Japão, país-sede já classificado) são divididos da seguinte forma:

Grupo A: 1, 12, 13 e 24
Grupo B: 2, 11, 14 e 23
Grupo C: 3, 10, 15 e 22
Grupo D: 4, 9, 16 e 21
Grupo F: 5, 8, 17 e 20
Grupo G: 6, 7, 18 e 19

O vencedor de cada um deles carimbará o passaporte olímpico. Em condições normais de temperatura e pressão, as Seleções Brasileiras são favoritas para as vagas dentro dos grupos citados acima.

Quem não avançar terá de jogar o Pré-Olímpico continental, que dará mais uma vaga. E pela divisão dos grupos, alguns deles prometem ser fortíssimos. Veja o exemplo do masculino na Europa.

Hoje, o Grupo C do Pré-Olímpico Mundial teria Itália, Sérvia, Eslovênia e Tunísia. O D contaria com Polônia, França, Cuba e México. Vamos imaginar que Itália e Polônia sejam campeões e garantam vaga. Com Sérvia, França e Eslovênia indo para a repescagem, apenas um teria chance de ir para a Olimpíada. Ou seja: favoritos vão ficar pelo caminho.

No masculino, Seleção ficou em segundo no Mundial (FIVB Divulgação)

No feminino, o mesmo vale para um grupo com Holanda, Itália e Bélgica, e outro com Turquia, Alemanha e República Tcheca.

Dá para dizer ainda que a Argentina, agora comandada por Marcelo Mendez, no masculino, tem um grupo bem acessível, escapando de potências europeias.

Confira abaixo todas as chaves e faça suas apostas para os classificados para Tóquio:

MASCULINO

A – Brasil (1), Egito (12), Bulgária (13) e Porto Rico (24)
B – EUA (2), Bélgica (11), Holanda (14) e Coreia do Sul (23)
C – Itália (3), Sérvia (10), Austrália (15) e Camarões (22)
D – Polônia (4), França (9), Eslovênia (16) e Tunísia (21)
F – Rússia (5), Irã (8), Cuba (17) e México (20)
G – Canadá (6), Argentina (7), Finlândia (18) e China (19)

FEMININO

A – Sérvia (1), Porto Rico (12), Tailândia (13) e Cuba (24)
B – China (2), Turquia (11), Alemanha (14) e República Tcheca (23)
C – Estados Unidos (3), Argentina (10), Bulgária (15) e Cazaquistão (22)
D – Brasil (4), República Dominicana (9), Camarões (16) e Azerbaijão (21)
F – Rússia (5), Coreia do Sul (8), Canadá (17) e México (20)
G – Holanda (6), Itália (7), Bélgica (18) e Quênia (19)

 

 



MaisRecentes

Coluna: O Brasil queria receber os Pré-Olímpicos de vôlei. Mas…



Continue Lendo

Coluna: Minas e um dia histórico para o vôlei nacional



Continue Lendo

O tremendo desafio de Minas e Dentil/Praia Clube no Mundial



Continue Lendo