As armas dos seis finalistas do Mundial



Após longas duas semanas de disputa, o Mundial feminino se aproxima da terceira fase, que definirá os quatro semifinalistas até sexta-feira.

O blog mergulhou nas estatísticas da competição para mostrar as armas que até agora foram decisivas para Brasil, China, República Dominicana, Itália, Rússia e Estados Unidos.

BRASIL

Brasil passeando por Verona (FIVB/Divulgação)

Brasil passeando por Verona (FIVB/Divulgação)

A Seleção Brasileira lidera o Mundial em dois fundamentos: bloqueio e defesa. E mais: além de ter a primeira colocada, coloca duas jogadoras no top 5 das duas estatísticas, reforçando ainda mais sua força para bloquear e defender.

No block, Thaisa está em primeiro lugar. Ela é a única que consegue marcar, ao menos, um ponto por set no fundamento.  Fabiana, com 0,78 ponto/por set, está em quinto lugar. Observando a fundo esta lista, percebe-se a diferença do Brasil para quase todos os rivais. Fora a China, que tem a segunda (Zhu) e a sexta (Xu), as demais tem apenas um destaque e olhe lá. As dominicanas têm Vargas em oitavo e Arias em 38º lugar; as russas possuem Kosheleva em nono e Goncharova em 14º; as italianas vão de Chirichella em 11º e Centoni em 35º; enquanto as americanas veem Harmotto em 17º e a levantadora Glass (?!?) em 28º.

Já na defesa, a liderança é de Camila Brait, única com cinco acertos em média por set. Jaqueline aparece em quarto, com 3,56. E as demais classificadas não se mostram tão eficientes assim no fundamento: a líbero americana Banwarth está em décimo; De Gennaro, representante da casa, é a 12ª; a levantadora russa Startseva aparece em 18º lugar; a melhor chinesa é Zhan Chen, em 23º. E a líbero dominicana Brenda Castillo, tão eficiente em outras competições, é apenas a 45º melhor neste ranking.

CHINA

zhu

É bom ficar de olho aberto em Zhu (FIVB/Divulgação)

Quer ter sucesso contra as chinesas? Marque bem a jovem Zhu. Ela é a quinta maior pontuadora do Mundial até aqui (155 pontos – 124 no ataque, 27 no bloqueio e quatro no saque). Seus números no block a colocam como a segunda melhor, mesmo não sendo meio de rede, diga-se de passagem. Mas não caia em tentação de esquecer as demais atacantes chinesas. Chunlei Zeng é a terceira mais eficiente no ataque, com 47,37% de aproveitamento. As duas, porém, não são especialistas no passe, algo que soa estranha na tradicional escola asiática. É por isso que para enfrentar a equipe de Lang Ping não dá para seguir uma fórmula pronta.

REPÚBLICA DOMINICANA

O brasileiro Marcos Kwiek (FIVB/Divulgação)

O brasileiro Marcos Kwiek (FIVB/Divulgação)

A equipe comandada pelo brasileiro Marcos Kwiek é a grande surpresa da competição até aqui. E deve boa parte do sucesso à experiente Betania De la Cruz. A ponta é a segunda maior anotadora do Mundial após duas fases, com 194 pontos (170 no ataque, 14 no bloqueio e dez no saque). À frente dela apenas Rahimova, do Azerbaijão, com 229. Procure nos demais fundamentos e não ache mais nenhum destaque individual. Por mais que os números costumem enganar algumas vezes (alô, eleição!), o esforçado time dominicano sofre quando o saque rival desestabiliza o passe e chega quebrado na mão da levantadora. Se acontecer isso, o bloqueio pode ficar montado pois será bola para De la Cruz.

RÚSSIA

O time russo é Gamova e mais seis, escreveríamos quase todos nós. Já foi, mas não é mais tão dependente assim. A gigante de 2,02m ainda não mostrou na Itália todas as qualidades que a transformaram na melhor do planeta anos atrás. Até agora, é coadjuvante de Kosheleva (principalmente) e Goncharova. Duas jogadoras letais no ataque, mas quase lamentáveis no passe.

A gigante Gamova (FIVB/Divulgação)

A gigante Gamova (FIVB/Divulgação)

Isso faz com que o jogo russo seja manjado (não disse fácil de ser marcado): passe quebrado, bolão de Startseva para as pontas ou para o fundo e pancada do trio anteriormente citado. Kosheleva, inclusive, é a terceira maior pontuadora do torneio, com 181 acertos (147 no ataque, 23 no bloqueio e 11 no saque). Gamova aparece apenas em 13º lugar.

Os adversários também precisam entender que sacar na líbero Kryuchkova não é uma boa. Ela é a jogadora com melhor aproveitamento de passe na competição (quase 70% de acerto). Então, é sacar em Kosheleva, a 17ª no fundamento, para ter chance de bloquear. E pode esquecer as centrais, raramente acionadas pelas levantadoras.

EUA

Um dos melhores jogadores de todos os tempos: Kiraly (FIVB/Divulgação)

Um dos melhores jogadores de todos os tempos: Kiraly (FIVB/Divulgação)

O time mais rápido do mundo. É assim que José Roberto Guimarães gosta de definir as americanas, lideradas pela levantadora Alisha Glass, a segunda melhor na competição nos números. Ela, que teve uma atuação sem brilho pelo extinto Vôlei Futuro, de Araçatuba, anos atrás, dita com maestria o ritmo do time de Karch Kiraly, usando da velocidade Murphy, Larson, Hill…

A oposto canhota Murphy, por exemplo, é a melhor atacante da competição, com 52,38% de aproveitamento.  No jogo contra o Brasil, em SP, pelo Grand Prix, Fê Garay foi a jogadora que melhor encaixou o bloqueio contra ela. Se aprendeu a lição, poderá se destacar em um provável futuro reencontro.

ITÁLIA

Ah, Itália!, diria o filósofo Fernando Vannucci. Time de Piccinini, que não precisa de apresentação. Mas que no Mundial em casa tenta reaparecer no cenário mundial, com outras velhas conhecidas do público. Nadia Centoni, por exemplo, é a maior pontuadora da Azzurra, mas apenas em 29º lugar no geral. Lo Bianco, a levantadora, é a nona melhor colocada no fundamento.

A bela Piccinini (FIVB/Divulgação)

A bela Piccinini (FIVB/Divulgação)

E esse time muito experiente tenta tirar algum coelho da cartola para, ao menos, se enfiar nas semifinais. Difícil pelo resultado sorteio, mas viável graças ao apoio do torcedor em Milão e pela experiência deste trio já citado.



  • Aline

    Uma vaga é da Itália, sem dúvidas, a outra sairá do resultado entre a GUERRA FRIA entre Rússia e EUA.
    A Itália é o time mais técnico dentre os 6 classificados.
    O técnico MARCO BONITA, reeditou o SUPER-TIME que foi Campeão da COPA DO MUNDO de 2011, com o acréscimo de 2 gigantes novatas de peso:
    1.CRISTINA CHIRICHELLA, central de 1,95m, exímia bloqueadora
    2.VALENTINA DIOUF, oposto de 2,02m que vem arrasando no saque e no ataque nas inversões do 5×1.
    Das veteranas, só tem craque de bola:
    1.CAROLINA COSTAGRANDE, ponteira-passadora completa, domina todos os fundamentos, MVP da COPA DO MUNDO/2011.
    2.NÁDIA CENTONI, oposta matadora, excelente sacadora e bloqueadora.
    3.VALENTINA ARRIGHETTI, central velocíssima no ataque e com excelente tempo de bloqueio, tem um saque estranho, em forma de jogada “CHINA”, mas muito eficiente.
    4.ANTONELLA DEL CORE, funciona como a Jaqueline italiana, excelente passadora, dá muito volume de jogo e segurança para as levantadoras criarem, tem como reserva de luxo a CAPITÃ e líder do time FRANCESCA PICCININI, vem fazendo um revezamento interessante durante os jogos.
    5.ELEONORA LO BIANCO, levantadora que dispensa comentários, junto com Fofão e Takeshita formou o trio de levantadoras mais talentoso da última década. Com a aposentadoria de Fofão e Takeshita, Lo Bianco reina absoluta como maior representante do talento de sua geração.
    6.PAOLA CARDULLO e MONICA DE GENNARO, duas líberos seguras e de altíssimo nível, com bastante experiência internacional.
    A campanha das italianas nesse mundial é excelente, perdeu apenas um jogo para as gigantes da Rep.Dominicana e, mesmo assim, só no tie break.

    As dominicanas forma outro time que acho que vai passar pela China e vai estar nas semifinais, se a Itália é o time mais técnico, as dominicanas são o time das jogadores de maior impulsão, força física e bastante altas dessa fase. Elas não tem uma levantadora muito talentos, levam o jogo muito na força física, às vezes falta mais técnica para evitar erros bobos. Mas as dominicanas são um time que pode vencer de qualquer um, e se chegarem às semifinais serão perigosíssimas. Como a semifinal e a final são em jogo único, se as dominicanas controlarem esses erros bobos e infantis, num dia inspirado, podem vencer de qualquer time.

    A Itália não respeita a Rússia, mas os EUA, mesmo sendo um time melhor tecnicamente que a atual Rússia, costuma respeitar demais as russas e, Às vezes, tremer em jogos decisivos. Vejamos o que irá acontecer. Pra mim, todas as vagas estão em aberto, mas acho que Brasil e Itália vão para as semifinais, resta saber contra quem???

    • Sergio

      Uma vaga é da Itália, “SEM DÚVIDAS”? Fala sério…

    • Rafael Pais Fernandes

      Bem, a principal jogadora da Itália nos últimos anos – Gioli – não está na equipe.

      Chirichella ainda é imatura demais. Mas acredito que a Itália vencerá a Rússia.

      • Marcelo

        é imatura mas muito melhor da Arrighetti.

        • Rafael Pais Fernandes

          Ah não acho. Arrighetti muito mais rápida e bloqueia mais.

          • Bernardo

            A verdade é que todas são ruins, no Grand Prix o técnico teve que optar em alguns momentos pela Bonifácio que é muito jovem porque as duas estavam péssimas. Rússia e EUA atropelam a Itália e acho que as russas vencem as americanas passando em primeiro e fazendo a final com o Brasil.

          • Rossini

            Essa jogadora Chirichella é lindíssima!!! Nossa!!!! Vi uma passagem dela pela rede, rapidamente em um jogo, e achei linda. Tem presença, estilo. Não vi atacando ainda. Ela cantando o hino italiano é demais!!!!! A Itália merece seguir. Chirichella lembra aquela russa chamada Elizaveta Titchenkho, muito estilosa.

          • Alex

            A Arrighetti nao bloqueia Nada!!!!kkkkj

          • Alex

            Bonifacio justamente entrou no lugar da Arrighetti. Chirichella ruim? Ele foi o segundo melhor bloqueio e saque do Grand Prix com 19 anos e é ruim? kkkk

    • Neide

      Kiraly é “idiota”!
      Assim como nas Olimpíadas os EUA novamente vão pagar pela sua “tremenda idiotice”!
      Os EUA poderiam ter desclassificado as russas no jogo contra as sérvias e,como nas olimpíadas não o fizeram!
      Vou rolar de rir das ridículas das americanas se a Rússia ganhar dos EUA na terceira fase e deixarem as patetas dos EUA fora das semifinais!
      Se vc tem a chance de eliminar as russas, não pode deixar nunca essa chance passar, pois as russas numa semifinal ou final viram o bicho! Crescem muito de confiança e vão pra cima na base da por-rada, da ignorância mesmo!
      Realmente a seleção americana é bem idiota mesmo. Poderiam perfeitamente terem vencido 2 sets da sérvia e depois entregado o jogo em 3×2 e mandar a Russia pra casa com 1 rodada de antecedência. Não fizeram, ganharam de 3×0 da Sérvia em jogo que pra ela não valia nada, já estavam classificadas. Agora vão ter que disputar com a Russia a passagem para a semi-final, já pensou se perderem a vaga justamente para a Russia? Com certeza vão se lembrar das olimpíadas, quando tiveram nas mãos a oportunidade de tirar da competição o Brasil, não fizeram e depois perderam o ouro justamente para uma equipe que se quisesse poderia perfeitamente ter desclassificado.
      Americanas otárias! Não aprendem nunca?

      • Stepanova

        De fato, as americanas foram idiotas em 2012. Classificaram a seleção medíocre do BRA, ao vencer o jogo que não valia nada. Na época o técnico imbecil dos USA alegou que o país iria jogar para vencer e seguiria os princípios éticos desportivos e por isso jogaria para vencer. Outra teoria afirmava que as americanas temiam as russas numa final e por isso entregaram as brasileiras para enfrentar a seleção da Gamova ( naquela altura o staff russo estava no fundo do poço, o técnico Ovinchnnikov estava com sérios problemas mentais e não tinha capacidade psicológica de comandar as jogadoras), mesmo assim ele continuou no comando e deixou Gamova, Sokolova e Goncharova em apuros no 5 set – ele não interveio nos momentos cruciais! Naquele dia em que BRA X RUS fizeram a final antecipada, Sokolova foi a verdadeira técnica em quadra. Ovinchnnikov se suicidou depois das olimpíadas!!!!!!

        Agora no Mundial, as russas podem vingar se das americanas , não por ter sido derrotadas por elas, mas pelo fato, das ianques terem classificados as brasileiras.

      • Juliano

        Já acho o contrário. Acho que ele errou em não usar a Glass, Larson e uma central titular o jogo inteiro. Errou também em não fazer as inversões com a Murphy.

        Tinha que entrar para ganhar, como sempre foi a “filosofia” americana, e não simplesmente para cumprir tabela.

        Se tivesse utilizado o jeito americano de ser, poderia ter beliscado o primeiro lugar; por consequência, poderia o Brasil estar no grupo da morte.

        Quando ele resolveu mudar um pouco o jeito americano, deu no que deu.

    • R.TIGRE

      Torço para que as russas deem uma surra nas imbecis dos EUA, que não eliminaram as russas da competição quando estavam com a faca-e-o-queijo-na-mão:
      Bastava ter entrado com as reservas contra as Sérvias, pois as americanas já estavam classificadas…
      Os EUA poderiam até perder de 3×0 para as Sérvias que já estavam classificadas.
      Se entraram com as reservas contra o Brasil, porque não fizeram o mesmo com a Sérvia e já desclassificariam as perigosíssimas russas?
      As americanas tem que pagar pelo mesmo erro cometido na Olimpíada e levar uma surra das russas para aprenderem de uma vez por todas que não se deve perder a chance de eliminar as traçoeiras russas.

      • Daniel_Sam

        Elas entraram com as reservas contra a Sérvia sim. E mesmo assim venceram por 3 a 0.

    • fellipe

      a italia ate agora teve um bom desempenho nesta competiçao, poré os cruzamentos de suas chaves facilitaram isso.Agora os adversarios sao outros, a Italia vai ter uma grande batalha contra a Rússia pela segunda vaga.

  • Brasil atropela todas as 5 seleçoers do mundial facilmente

  • Alex

    Quem pode levar a Italia nao sao certamente Piccinini, Centoni ou Lo Bianco. A análise acima aponta o quão pouco realmente seguiu o desempenho desta equipe no torneio. É uma análise talvez de quem não seguiu os jogos. As únicas que podem trazer nas semifinais Itália são as jovens seia Chirichella e Diouf.Elas carregaram a equipe ate aqui.
    Caso contrário, a Italia não teria nenhuma chance.

    • Marcelo

      A Chirichella é demais! Bloqueia como veterana e tem 19 anos!

  • Rafael

    Não consigo entender as estatísticas da FIVB. Fui tentar entender porque a líbero russa lidera em recepção, pois a acho bem instável nessa posição e descobri que a Brait tem o melhor aproveitamento da competição com 75% de eficiência, mas nem aparece ranqueada.
    Isso acontece com muitas atacantes tb. Tem um aproveitamento altíssimo mas ficam de fora do ranking.
    Gostaria muito de entender os critérios…

    • Bernardo

      Eu também notei isso, acho que a FIVB nem está avaliando todas as jogadoras, muitas nem aparecem nas estatísticas mesmo tendo um bom aproveitamento.

  • Alex Lima

    Itália chegou até essa fase pq o Japão e China deram mole. Pq só pegou moleza… Podem até fazer um jogo de igual, mas vencer as Russas e as Norte Americanas será complicado. Se vencerem será páreo duro nas finais. Eu não acredito!!! Itália feminino não é Polônia masculino e a torcida muito menos.

  • Mari

    Infelizmente não vi nenhum jogo da Itália e China então, mesmo não sendo expert em táticas de vôlei não posso opinar sobre como as italianas estão jogando. Mas tirando a China e o Japão, a Itália só pegou baba e mesmo assim perderam pra Republica Dominicana. A Rússia ganhou sobrevida graças a incompetência das sérvias. É um time enjoado, que tem três atacantes fenomenais, mais peca no passe, esse pode ser um trunfo das italianas e norte-americanas, forçar o saque e marcar bem as pontas pq a Startseva e a Kosianenko vai lançar só bola alta, aí o jogo contra as russas fica fácil de se entender. Acho q passam as americanas e italianas e no grupo do Brasil passam as brasileiras e dominicanas. A China peca muito ainda pela juventude, pode pesar na hora H.

  • Marcelo

    A Itália passa. Anota ai.

  • Rodrigo

    Apesar de ter quebrado a cara na final do masculino (jurava que o Brasil ia sapecar um 3×0 na Polônia) vou dar meus palpites:

    Itália 3×2 EUA
    EUA 3×1 Rússia
    Itália 2×3 Rússia

    Brasil 3×0 República Dominicana
    China 1×3 República Dominicana
    Brasil 3×2 China

    Semifinais:
    EUA 3×2 República Dominicana
    Brasil 3×1 Itália

    3° Lugar:
    Itália 3×1 República Dominicana

    Final:
    Brasil 3×1 EUA

    • Stepanova

      BRA não vence esse Mundial!!!!!!

      • Rodrigo

        Why not?

        Pra mim, EUA, Brasil, Rússia e Itália podem levar o caneco.

  • o passe da rússia vai quinar muito(passe chega a ser ridículo),por isso creio que de itália x brasil,e eua x china

  • Laércio Francisco

    Não me lembro de um jogo decisivo entre Rússia e E.U.A, alguém lembra numa olimpíada ou Mundial? Mas agora parece que acontecerá. Este jogo eu não perco.
    Por jogar em casa a Itália ela não encontrou equipes de ponta, chegou a hora.
    Se a Sérvia estivesse do outro lado da tabela acho que a R. Dominicana não passaria.
    Será que o grupo do Brasil é fácil? Não seria melhor uma semifinal mais amena? Pois o primeiro do grupo da Rússia é provável que cruza com uma seleção “menor” Já o Brasil na semifinal terá pedreira, … uma Rússia, E.U.A !?
    Meu Palpite é Brasil !

  • Juliano

    Acho que sobra os EUA do grupo da morte.

    Rússia já fez um jogo bem melhor contra a Sérvia, mais consistente. Além disto, mesmo sem passe, fez jogo de igual para igual com as americanas. Se não fosse o pane geral, poderia tambm até ter vencido o Brasil, pois no quinto set tudo pode acontecer. Isto tudo sem oposto (Gamova está igual a nossa Sheila); porém Goncharova voltou a jogar, então é só assistir aquele tanto de petróleo jorrando do chão da quadra adversária, ainda mais se considerar a excelente fase da Kosheleva. Para piorar, o técnico finalmente se entregou ao óbvio: titularidade de Pankova. Então, não dá para descartar.

    Itália não ficou em primeiro do grupo por acaso. O grupo pode, em tese, não ter sido o mais difícil. Mas não dá para jogar fora o que as experientes podem trazer no momento de pressão. Quem não lembra da final do mundial masculino em que um certo levantador, praticamente de muletas, entrou no time da Polônia e mudou a história do jogo? Estas peculiaridades, e por estar em casa, aposto na classificação da Itália. Ouso ainda dizer que pode até ficar em primeiro lugar. Se as italianas venceram as americanas, as russas não aguentarão a Itália super embalada e jogando em casa.

MaisRecentes

Joelho afastará Gabi das quadras



Continue Lendo

As primeiras transmissões da Superliga na TV



Continue Lendo

Vaivém: Thaisa jogará a Superliga



Continue Lendo