Após seis sets, Sesi afasta zebra e está na final do Paulista



A primeira vaga na final do Campeonato Paulista masculino saiu após uma maratona na Vila Leopoldina. Após seis sets disputados o favorito Sesi eliminou o São José e agora aguarda por Brasil Kirin ou Funvic/Taubaté, que irão se enfrentar às 21h, em Campinas.

Para ficar com a vaga, o Sesi, primeiro colocado na fase de classificação, teve de de se superar. O time da casa, que havia perdido o primeiro jogo, em São José dos Campos, até saiu na frente no jogo de hoje, mas tomou a virada. Com o placar apontando 2 a 1, o Sesi, instável no passe e na virada de bola até então, passou a ter obrigação de vencer os três sets seguintes: os dois para fechar a partida em 3 a 2 e na sequência o golden set, parcial extra de 25 pontos para desempatar o playoff semifinal.

Murilo vibra com virada (Divulgação)

Murilo vibra com virada (Divulgação)

E foi exatamente isso que aconteceu. O momento-chave do jogo, para mim, foi o tie-break. O São José, do técnico Leonardo Carvalho, chegou a abrir 9 a 5. Lorena e Diogo eram os pilares da virada de bola, além da boa atuação do central Brunão. Com regularidade na virada de bola, o time do Vale do Paraíba parecia soberano. Mas a situação mudou após uma contestável marcação da arbitragem, numa disputa de bola na rede. Os replays do SporTV mostraram que o ponto deveria ter ido para os visitantes, que abririam 10 a 6. Mas o ponto foi dado para o Sesi. Na sequência da parcial o bloqueio dos mandantes apareceu, principalmente com Aracaju, e a decisão foi para o golden set (25-13, 20-25, 22-25, 25-21 e 15-12).

Na parcial final, a regularidade ofensiva do São José sofreu uma baixa de intensidade. E o Sesi se aproveitou para fechar em 25-18. Destaco mais dois personagens para a reviravolta que chegou a parecer improvável: Vinhedo, que entrou no levantamento na vaga de Thiaguinho, e Murilo, que foi decisivo no ataque, admitindo depois da partida que foi a melhor atuação ofensiva dele nos últimos anos, desde que sofreu as cirurgias no ombro.

Por fim, vale fazer uma menção mais do que honrosa ao desempenho do São José nesta série. Venceu um jogo e esteve perto de repetir a façanha e se garantir na decisão do Estadual. A noite de sono será complicada pela virada sofrida, mas é preciso valorizar o bom trabalho demonstrado neste aperitivo para a Superliga.

 

 



  • A lI

    GOLDEN SET:
    Quem foi a ANTA que inventou um GOLDEN SET de 25 PONTOS???
    Adoro o sistema de GOLDEN SET, mas o GOLDEN SET EUROPEU é de 15 pontos e não de 25 PONTOS!!!
    Por que na EUROPA o GOLDEN SET é de 15 pontos e no Brasil tem que ser de 25??? É um tremendo absurdo disputar uma partida de 5 sets e depois de um tie break de 15 pontos, voltar para disputar um set de 25 e não um de 15 pontos!!!
    Vale ressaltar que sou SUPER A FAVOR do sistema de jogos de ida-e-volta com GOLDEN SET.
    Quero ressaltar que SOU A FAVOR DO GOLDEN SET no jogo de volta, mas que ele seja de 15 pontos e não de 25, como foi na semifinal do paulista entre SESI e SÃO JOSÉ!!!

  • Edu

    Rodriguinho foi um dos destaques da vitória do S.José em casa mas incorreu num equivoco recorrente na segunda partida.Insistiu demais na opção pelo Lorena nos momentos decisivos do quarto e quinto set.Ele já estava definitivamente marcado pelo Aracajú que o bloqueou seguidas vezes consecutivamente.Pesou o elenco mais numeroso e jovem do Sesi em desiquilíbrio a um reduzido e mais experiente S.José.Por pouco a equipe do Vale do Paraíba não chega a final com um time montado na formação a menos de três meses.Só fica chato um reserva de oposto ,como o Alemão, um dos dispensados pelo Taubaté, tomar tocos seguidos , quando entrava, de bloque individual simples.

MaisRecentes

Apenas Lebes/Canoas faz o dever de casa na rodada



Continue Lendo

Um líder por pontos ganhos. Outro por pontos perdidos



Continue Lendo

Camponesa/Minas quebra longa invencibilidade em Osasco



Continue Lendo