Apenas uma Kim não faz verão



A Coreia tem Kim, a melhor ou uma das três melhores jogadoras do mundo na atualidade. Infelizmente para o país asiático, apenas uma Kim deste calibre é pouco para enfrentar o Brasil.

No Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo, os 16 acertos da ponteira, todos no ataque, não impediram a tranquila vitória brasileira por 3 sets a 0, parciais de 25-16, 25-12 e 25-15.

No primeiro set, a Coreia chegou até a assustar, abrindo vantagem no início. Logicamente, impulsionada por Kim, que terminou a parcial com oito acertos. Mas, depois de um começo intranquilo, o Brasil entrou no jogo. E com Sheilla bem (dez pontos, todos de ataque), algo que não foi visto na etapa italiana, na semana passada. A oposto esteve bem mais consistente no ataque e ajudou a virar bolas importantes, até a equipe passar a dominar as ações.

Na segunda parcial, quem apareceu bem no ataque foi Fernanda Garay (maior pontuadora da Seleção com 15 acertos). E foi ficando cada vez mais complicado para Kim fazer a diferença, já que estava com uma marcação mais precisa do bloqueio e da defesa. Tanto que marcou menos pontos: cinco. O jogo ficou fácil e chegou a dar sono após alguns erros coreanos.

Além de Sheilla e Garay bem no ataque, o Brasil tinha Thaisa inspirada no bloqueio. Foram oito, de um total de 13.

E quando o conjunto está bem, o resultado de reflete no placar. Quarta vitória em quatro jogos, liderança e invencibilidade mantidas.

Sábado e domingo, contra Rússia e Estados Unidos, às 10h, espero jogos mais apertados.



  • Rodrigo Coimbra

    A Globo leu meus pensamentos, transmissão agradável com a monstro Fabizinha nos comentários e o narrador bem tbm. Que continue assim…
    A Kim é craque mas não joga sozinha, hj é a melhor do mundo (seguida pela incansável Gamova), domina todos os fundamentos, bloqueio, defesa, recepção, principalmente ataque e acreditem no levantamento tbm… a seleção coreana é Kim e mais 5!!
    A seleção funcinou mt bem, a Sheilla jogou bem contra os bloqueios das asiáticas é verdade mas espero mais dela e amanhã vai ser o dia, a Garay hj é a bola de segurança, Jaque soberana no fundo de quadra e aparece no ataque tbm, Camila jogou bastante diante da lendária Fabizinha, certo q os ataques não são lá essas coisas (exceto as bombas da Kim) e por fim o que falar das nossas referências Fabiana e Thaisa? As asiáticas até que tentaram anula-las mas não conseguiram, as “torres gêmeas” são nossas maiores jogadoras… Dani Lins teve uma atuação boa, com tds as jogadoras bem não fica difícil.

  • Severino

    O time da Coreia é ruim demais e o Brasil está com um ótimo ritmo, tirando a Kim a Coreia fica pior que a equipe do Maranhão que disputou a super liga passada. A Rússia também não está estas coisas mas a rivalidade fala mais alto e creio que amanhã será um jogo de no mínimo 4 sets, o maior perigo é as americanas, não que seja um timaço, mas pelo fato delas estarem treinando sempre baseadas para enfrentar o Brasil e com volta da Larson o conjunto americano melhora muito, só erram demais, acho que se o kiraly quiser ganhar algo terá que trabalhar a diminuição de erros da equipe dele.

  • Daniel_Sam

    Este comentário que segue, não é meu:

    Independente do que acontecer daqui prá frente (mesmo eu achando que o Brasil não perde nem para Rússia nem para os EUA), o time já confirmou o que eu achava: ninguém iria se matar em um amistoso que valeu mais para saber como o adversário está jogando, do que prá mostrar como estamos. Sheila não tem que provar mais nada. Se precisar dela, ela joga muito. Kim é ótima. Mas Garay fez apenas um ponto a menos que ela. Ou seja, ela arrebenta quem não fica de olho nela. Aliás, se ela tem um defeito é o passe. Sofrível, como o de toda a seleção Coreana. Dani muito mais madura. Jaque jogando como se não tivesse parado tanto tempo. Nossas meios sobrando. E se continuar assim, Brait vai nos fazer esquecer Fabi muito rápido. Parabéns às meninas.

  • Pedro

    A vitória de hoje, com boa atuação de Sheilla, serve para calar a boca dos abutres que esbravejavam contra sheilla no fim de semana da Itália. São pessoas sem o mínimo conhecimento de vôlei e que só entram nos fóruns para detratar a figura dos jogadores ou jogadoras quando eles vão mal em uma partida. E olhe que o vôlei é um esporte coletivo e quando a sheilla foi mal, teve o resto do TIME para ganhar as partidas. Hoje, se viu um 10 pontos de ataque de sheilla e uma boa distribuição de dani, usando ponteiras, opostas e centrais

    • klaus

      Concordo com você.Muitos se dizem conhecedores de vôlei, mas não entendem de uma palavra chamada periodização.Pra quem não sabe, procura descobrir o que significa. Sheilla é craque e ponto final.

  • Arthur

    Concordo que deu sono ver o domínio absoluto do Brasil VS uma Coréia que parecia ter acabado de descer do avião. Até o grito ‘ace’ da torcida, que no começo até vingou, também foi caindo no esquecimento no decorrer da partida. Eu, que havia visto o animado jogo entre USA e Russia mais cedo, deixei o ginásio quando o Brasil fez o ponto 17 no terceiro set.

  • Juliano

    Gostei do time.

    O jogo foi de muita baixa qualidade do lado da Coreia. No começo, estavam defendendo e havia uma dificuldade de se virar bola. Depois, o time caiu de vez e não mais rendeu. Kim já não virava constantemente e as outras só tomavam bloqueio (mais pela Thaísa, pois Fabiana não estava inspirada neste fundamento).

    Um coisa que não gostei foi o levantamento da Dani para as bolas de primeiro tempo. Eu as achei baixas demais, algumas são até viradas na sorte, como as em que a Thaísa teve que se contorcer toda para acertar. Num time com centrais razoáveis, estas bolas não passariam.

    O que gostei demais foi a recepção. Muito boa. Kim, que costuma fazer muito ace, não conseguiu abalar muito nossa recepção. É a chave do jogo, pois, com bolas rápidas, Dani pode deitar e rolar.

    Não era só a gente. A Fabi demonstrou uma preocupação com o rendimento da Sheila nos jogos anteriores. Se ela quem jogou tantos anos com ela sentiu isto, não era só preservação ou coisa da nossa cabeça. O bom que ela está já entrando no seu melhor ritmo; jogou bem, mas terá que ter um passo maior amanhã, se a recepção não funcionar, considerando que praticamente ficou no simples hoje. O bom sinal é que, mesmo quando estava no simples, ela pontuou como se tivesse com duplo, tendo em vista as diagonais maravilhosas. Sinto falta ainda das bolas de meio fundo da Sheila.

    O que mais gostei foi a Fabi comentando. Foi muito bom, porque ela conhece todo mundo, inclusive as jogadoras adversárias. Deixa-nos por dentro de tudo.

    Muitos reclamam do narrador, mas eu adoro a empolgação dele. Só porque não é futebol não quer dizer que o narrador não pode também se empolgar e berrar um pouco. Detesto algo muito técnico sem paixão. Gosto de narração assim, desde que, obviamente, seja acompanhada de um bom comentarista, e aí a Globo acertou!.

    O time está engrenando e estarei torcendo muito nos próximos jogos. Quero ver a seleção chegar ao Mundial igual ao que aconteceu em 2008, quando, depois do Grand Prix, chegou imbatível e muito entrosada para as olimpíadas, perdendo apenas um set. É este espírito que espero assistir no mundial; para tanto, só corrigir estas pequenas falhas que a gente observa e muitas outras que só ZR e sua comissão consegue analisar.

  • Paulo

    Público muito superior ao da Liga Mundial.

  • Edu

    Sim, Kim possui repertório técnico do vólei de encher os olhos.Não se limita apenas as ações ofensivas.Só acho que também se deve pesar o fuso horário das 12 horas a mais recebido pela equipe coreana em apenas dois dias uteis desde da sua chegada em São Paulo para compreender a sua falta de combatividade a partir do terceiro set.O conjunto brasileiro jogou bem, com destaque em especial para Thaisa que aproveitou ,com vantagens, sua eficiência e estatura. Sheilla jogou relativamente bem melhor que semana passada.Dani distribuiu de forma inteligente e prática o jogo .ZRG sentiu certa insegurança em colocar as reservas mediante a tentativa de revés no jogo contra as dominicanas.Monique e Fabíola entraram bem nas inversões e Gaby, Tandara e Natália nos minutos finais do terceiro set.Não me lembro de quatro partidas consecutivas em que Adenizia nem tenha necessitado encaminhar a lavanderia o uniforme utilizado na partida.Já que não houve a menor menção em coloca-lá e algumas de outras jogadoras reservas.

MaisRecentes

A velocidade do Sesc, com Thiaguinho, impressiona



Continue Lendo

O novo conceito da FIVB para 2018



Continue Lendo

Apenas Lebes/Canoas faz o dever de casa na rodada



Continue Lendo