Anunciados os participantes da próxima Superliga



CBV acaba de divulgar a lista de participantes da próxima Superliga.

Vejam abaixo as informações divulgadas. Mais tarde volto para comentá-las:

A competição feminina contará com 10 times, enquanto a masculina terá a participação de 12. A Superliga 12/13 terá início no começo de novembro, ainda sem data definida.

Participarão do torneio feminino os times da Unilever (RJ), Vôlei Amil (SP), Sollys/Nestlé (SP), Pinheiros (SP), BMG/São Bernardo (SP), São Caetano (SP), Sesi (SP), Rio do Sul (SC), Usiminas/Minas (MG) e Banana Boat/Praia Clube (MG).

No masculino, estarão na disputa o BMG/São Bernardo (SP), Sesi (SP), Vôlei Futuro (SP), Funvic/Sejelp/Midia Fone (SP), Medley/Campinas (SP), Canoas (RS), Floripa E.C. (SC), RJX (RJ), Volta Redonda (RJ), UFJF (MG), Vivo/Minas (MG) e Sada/Cruzeiro (MG).

A fórmula de disputa será a mesma da edição anterior. Na fase classificatória, todos os times se enfrentam, em turno e returno. As oito equipes mais bem colocadas estarão classificadas as quartas de final, onde acontecerá o cruzamento do 1º x 8º colocados, 2º x 7º, 3º x 6º e 4º x 5º, no sistema de playoff de três partidas.

Nas semifinais, as equipes classificadas também farão três jogos na busca pela vaga na final. Já a grande decisão acontecerá em jogo único.

O sistema de pontuação também será o mesmo já utilizado na Superliga 11/12, que segue as regras adotadas pela Federação Internacional. A vitória por 3 sets a 0 ou por 3 sets a 1 vale três pontos. O perdedor não ganhará ponto. O time que vencer por 3 sets a 2 somará dois pontos na tabela, enquanto o perdedor deste mesmo placar terá um ponto.

O não comparecimento de uma equipe ao jogo valerá menos dois pontos para o time desistente.



  • klaus

    Daniel, sabe se haverá a Superliga B masculina?E a feminina , poderá sair do papel?

    • Daniel Bortoletto

      sempre tem. mas nem sempre o time que ganha cumpre os requisitos da CBV e assim fica sem a vaga

  • Rafa

    Que lixo…
    O Brasil é bicampeão no feminino e não tem times o suficiente pra acomodar muitas boas jogadoras que estão desempregadas por aí…
    Pelo menos a CBV foi sensata em não colocar qualquer clube pra preencher as vagas que faltam… Mas estou desapontado com os investidores brasileiros

  • Peri

    Putz! Isso é uma vergonha. Uma campeonato nacional só com times de 4 ou 5 estados, sendo que temos 26. Nenhum representante do norte/nordeste e centro-oeste.
    Deveriam chamar isso de SULperliga.

    Aliás, de agora em diante, é assim que vou me referir a essa competição. SULperliga.

    • francisco

      Vc ten razão. tem que ser chamada de sulperliga, ou melhor de liga dos estados que apoiam os esportes. Soa melhor não?

      • Peri

        A questão não está no mérito desses estados apoiarem o esporte, mas sim na incapacidade da CBV de fazer com que o vôlei se difunda nos demais.

        • Roberto

          Sabe o que é pior, é que há um time que é a própria seleção, mas sabe o que é pior ainda do que isso, é saber que as selecionáveis deste dito cujo time ficarem aliciando as outras jogadoras da seleção para irem jogar lá e forrmarem assim a panela da seleção. Tomara que quebrem a cara.

  • Elcio

    Acho o problema principal é a pouco exposição na TV aberta… Qualquer jogo de futebol, por mais fraco que seja, é tratado como uma final de mundial. Passa-se qualquer pelada e o povo acha isso o máximo. Como sobra espaço para os outros esportes?? Impossível…

    A CBV precisa urgentemente achar uma forma de passar os jogos da Superliga (e por que não dos campeonatos estaduais) na TV aberta.

    Corre o risco do vôlei perder toda a estrutura conquistada ao longo de 30 anos de vitórias. Vai ser muito lamentável se isso acontecer…

  • LEANDRO

    Preocupante o fato de 3 times (Mackenzie, Volei Futuro e Macaé) terem desistido de disputar a SL feminina por falta de verba e patrocínios. Na teoria a Amil substituiu o Volei Futuro, mas o Mackenzie que chegou a disputar os Playoffs e tinha um bom time foi uma perda de qualidade para a SL 2012/2013. Eu não sabia que até o Macaé estava fora.
    Daniel você concorda que a Superliga feminina 2012/2013 será mais fraca que a temporada 2011/2012?
    Daniel, a Superliga B não dá direito apenas a equipe vencedora disputar a Superliga A? Então porque a Funvic vai disputar a série A?
    É uma vergonha como o Voleibol é tratado no Brasil. O esporte que mais trouxe medalhas olímpicas e títulos mundiais para o Brasil não ter seus jogos transmitidos pela TV aberta. A TV aberta fica passando jogos de campeonatos estaduais de futebol que são um lixo.

    • Daniel Bortoletto

      está mais fraca, sim.

      mesmo motivo do Canoas, nesta temporada. Já entraram com patrocínio forte, seguros financeiramente.

    • Meu caro Leandro, se fosse só os estaduais, ainda dava para aturar. Foda é passar showbol, futvolei, sub 17, sub 19, futebol de areia e outras porcarias, enquanto o bom campeonato paulista de volei é renegado apenas as finais e em tv fechada. E isso porque somos bicampeões olímpicos tanto no masculino quanto no feminino. Apenas a lamentar.

      • Afonso RJ

        Hoje, sábado, estão programados no Sportv os jogos sensacionais de futebol Criciúma x Bragantino (Série B) e Macaé x Caxias (Série C). Tem também Fluminense x Figueirense para todo o Brasil, menos para onde interessa. Para onde interessa, vão transmitir o que não interessa. E isso, quando não passa os lixos dos campeonatos Francês, Espanhol e Português. É um tal de passar jogo de Leiria, Ossassuna, e como diria o Filipão, um monte de Bambalas e Arimatéias da vida. E a turma toda assiste e dá um IBOPE danado.
        Na TV aberta, claro, jogo do Flamengo. Se o flamengo estiver na lanterna do campeonato e for jogar um amistoso, a TV aberta transmite.
        Infelizmente, a TV, tanto aberta quanto fechada, transmite o que o povão quer, ou seja: Futebol. E de preferência, jogo do Flamengo.

  • Apenas Alguém

    também achei muito preocupante após o bi campeonato olímpico e com o início de novo ciclo para o jogos do Rio 2015 só termos 10 equipes, pensando em outros esporte fico imaginando quantas equipes terão na liga feminina de basquete, este ano teve 9 times, quantos terão para a próxima temporada depois daquela desempenho vergonhoso nestes últimos jogos olímpicos?!

  • leandro

    Daniel, é triste ver essas notícias de times fechando as portas no Brasil. Um novo time nasce e dois ou três fecham as portas. Depois de tantas conquistas que o vôlei brasileiro conseguiu nestes últimos 20 anos ainda continuamos do mesmo jeito. A maioria dos times do Brasil são projetos com tempo de duração determinado e alguns projetos só continuam se conseguirem resultados rápidos, ou seja, título. Os verdadeiros clubes como Minas e Pinheiros, que revelam jogadores não tem nenhum incentivo, continuam na Superliga mesmo sem montar grandes times há tempos.
    Tinhamos que ter a melhor e mais disputada liga do mundo tanto no masculino quanto no feminino.
    Daniel, o Campeonato Italiano 2012/2013 não terá mais apenas um jogo na final, será melhor de 5 jogos. Entretanto a Superliga continua com a final em apenas um jogo só para atender a Rede Globo. Nenhum técnico ou dirigente gosta de final em apenas um jogo.
    A Globo quer exclusividade para transmitir apenas a final da Superliga? Se o vôlei não tem espaço na sua péssima grade de horários então que permita que outra emissora da TV aberta transmita a competição.

    • Daniel Bortoletto

      A CBV vê a Globo como parceiro estratégico. Acho muito difícil mudar essa situação

  • leandro

    Daniel, as principais ligas europeias (Itália, Rússia, Turquia) já definiram as datas de início e fim da fase classificatória e também dos playoffs. Em todas, as finais são em melhor de 5 jogos e também são 12 times masculinos e femininos que participam, exceto o masculino da Rússia que é composto por 17 times.
    No Brasil nem data para início da Superliga eles definiram. É muita desorganização, falta de profissionalismo, e não é só o futebol em que o calendário é desorganizado. Tudo é desorganizado neste país.
    A realidade é que a CBV fica na mão da Rede Globo e do Sportv, são eles que definem as regras do “jogo”. Como exemplo, cito um jogo dos playoffs em BH entre Mackenzie e Unilever na temporada passada que aconteceu às 16h30min. de uma segunda feira. Quem vai comparecer ao ginásio nesse horário para assistir a partida? Outro exemplo aconteceu em Araçatuba, tinha o primeiro jogo do masculino e em sequência um jogo do feminino que acabou quase meia-noite. Isso aconteceu também no ginásio do Minas Tênis. Teve um jogo do Sollys que aconteceu num sábado às 14h30min. A Globo não deixa os times serem chamados de Amil/Campinas, Vivo/Minas, Sollys/Osasco, etc.
    Todas essas insanidades, cenas grotescas de goteiras em ginásios, datas e horários fora de contexto para o público comparecer, falta de empresas sérias que invistam no vôlei, atrapalham o desenvolvimento e crescimento da Superliga.
    E o Ary Graça vai ser presidente da FIVB.
    Imaginem como será a zona.

  • thiago

    gente pelo amor de deus ta no hora de alguma coisa ser feita vamos todos la no site da cbv, e vamos reclamar, não adianta apenas ficar reclamando aqui pq nada vai mudar.mandem e-mail para a tv globo, sportv todos os canais que detem os direitos de transmissão, se for preciso mandem 2 e-mails por dia nem que seja o mesmo, mas mandem, e juntem uma galera pra isso se feito, pq os amantes do futebol quando querem algo vão atras reclamar, então temos que fazer a mesma coisa, e assim que talves mudaremos algo

MaisRecentes

Dia de aplaudir o Zenit Kazan



Continue Lendo

Praia x Minas e Sesc x Vôlei Nestlé. Quer mais?



Continue Lendo

Agora líbero, Murilo volta a ser relacionado após 8 meses



Continue Lendo