Americanos não dão chance para o Irã e estão na final



A seleção dos Estados Unidos é a primeira finalista da Liga Mundial.

Neste sábado, vitória tranquila sobre o Irã por 3 sets a 0, parciais de 25-18, 25-22 e 25-16, em Florença. Os americanos esperam agora por Brasil ou Itália, que se enfrentam às 15h30.

O jovem ponta Sander, com 17 pontos, foi o destaque do time. Entre os demais, muito equilíbrio, fruto, em parte, da boa distribuição de Christenson. Rooney marcou 11, Lee e Holt fizeram dez, enquanto Matt Anderson, o nome do time no papel, anotou nove.

Mas me chama muito a atenção como os fundamentos iranianos não funcionaram na semi. Apenas um ponto no bloqueio e um também no saque. Como comparação, os americanos fizeram sete pontos em cada fundamento. Individualmente, apenas Ghafour, que tinha feito 50 pontos nos dois jogos anteriores, chegou a dois dígitos de pontuação, terminando o jogo com dez.

 

 



  • perikito

    O Irã afinou legal hoje. Nem parecia o time que vem fazendo estrago nas grandes seleções desde o campeonato de final de ano de 2013. Talvez o fator físico tenha feito a diferença, já que os últimos jogos deles nunca terminaram num 3×0. Ou quem sabe foi a inexperiência de jogar contra os americanos? Só sei que a Austrália dias atrás deu mais trabalho aos americanos do que eles.

    O Instagram da FIVB foi inundado por mensagens de iranianos ontem, pedindo menções a vitória da “melhor seleção da Liga Mundial”, em suas próprias palavras. Fiquei feliz em ver essa manifestação. “This is volleyball”!

  • Bernardo

    O Irã não afinou, não! O próprio capitão do Irã, Marouf, declarou que os EUA é que estavam bem e que se disputassem 10 vezes, os americanos ganhariam 9!

    Os americanos conseguiram anular completamente a seleção iraniana. Impressionante como a tática dos norte-americanos é eficiente e funciona contra os adversários. O efeito psicológico é devastador. A seleção masculina americana é diferente da feminina, que não vem obtendo resultados em finais importantes, ainda, importante ressaltar, sempre batendo na trave. A seleção masculina deles não mostra desespero mesmo nas horas mais difíceis. Eles parecem realmente se divertir em quadra! Detalhe que o único mais experiente do time é o Lee, pois os demais são bem jovens, em que alguns estão defendendo a seleção pela primeira vez.

  • Luiz

    ai, ai. Sander… Joga pra mim, seu lindo!

MaisRecentes

Dentil/Praia Clube e Sesc abrem vantagem



Continue Lendo

Corinthians faz melhor jogo na Superliga



Continue Lendo

Coluna: A imprevisível Superliga feminina



Continue Lendo