Alguns tópicos da coletiva de Zé Roberto



Separei algumas declarações que o treinador da Seleção feminina deu, horas atrás, após anunciar a lista com 33 convocadas para a temporadas.

SASSÁ

– Foi uma conversa que tivemos, pois ela sempre colaborou muito durante todos esses anos como integrante da Seleção adulta. Foi sempre muito de grupo, decisiva em todos os campeonatos que participamos. Apresenta essa possibilidade de passe e defesa, além de ser ótima pessoa. A comissão técnica achou que ela seria interessante na posição, dando oportunidade de uma mudança. Não temos dúvidas de que no futuro ela será uma das principais atletas do Brasil. Ela nunca se machucou, é forte fisicamente, sempre se cuidou muito. Que seja feliz nessa nova função.

SHEILLA/FABIANA

– A ideia (de não convocar as duas) começou no Mundial (de 2014). Temos que pensar de uma forma diferente nelas. Estão desde 2002 na estrada, jogando a maioria dos campeonatos pela Seleção. Diria que disputaram 90% deles. A Sheilla acabou o Campeonato Turco no último domingo. Poderia ser até que participasse do Mundial, caso se classificasse, mas o time (Vakifbank) não conseguiu na Liga dos Campeões. Ela está precisando de uma reciclagem, de um descanso, de tranquilidade, até para que renove as energias. A Fabiana é a mesma coisa. Então, chegamos a essa conclusão.

GARAY

– Fernanda é mais jovem que Sheilla e Fabiana. Jogou algumas temporadas fora do Brasil, jogou na Turqua, no Japão, na Rússia. Terá o mesmo tempo de ‘descanso’ das jogadoras do Rexona. Mas é claro que vamos observar o estado dela. Temos que enaltercer o trabalho físico, dar uma sustenstação às atletas nesses meses de treinamento

RECUSAS

– Tivemos que mandar uma lista larga esse ano para o Pan. Essa lista foi acompanhada de um pedido do COB de uma ficha chamada de elegibilidade, porque a atleta tem de estar apta. E duas não assinaram, a Bia, e a Suelen. Disseram não à Seleção. Por opção, preferiram ficar fora. Prefiro falar isso agora para depois ninguém dizer que eu não convoquei.



MaisRecentes

Não dá pra achar normal jogar duas vezes em 13h



Continue Lendo

Mais seguro, Brasil vence e está nas finais da Liga das Nações



Continue Lendo

Vaivém: Mais uma campeã da Superliga no Osasco/Audax



Continue Lendo