Ah, o calendário!



Gostaria muito de estar aqui escrevendo sobre bons jogos, atuações individuais e a classificação da Superliga. Mas admito que algumas notícias tiram o meu humor.

Na quarta-feira passada, lá no Seminário sobre Gestão do Esporte, em Belo Horizonte, um dos assuntos que levantei na mesa-redonda foi calendário. Os esportes brasileiros conseguem confundir o público que não é tão especializado (diferentemente de vocês, tarados pelo esporte) graças ao confuso calendário. E o vôlei é um deles. Hoje é jogo do Estadual, amanhã da Superliga, na sexta dos Jogos Abertos…

Será que alguém acha normal permitir que os Estaduais e a Superliga sejam disputados simultaneamente? É bom para quem que um compita com o outro?

Assim foi na reta final do Paulista, repetiu-se dias atrás com a disputa dos Jogos Abertos do Interior em SP e SC e agora se repete outra vez com as semifinais do Gaúcho masculino.

Vejam só a situação do Voleisul/Paquetá Esportes. Nesta quinta-feira, confronto contra o Ziober/Maringá pela competição nacional, às 21h. No sábado, às 20h, semifinal estadual contra o time de Passo Fundo. Domingo, às 16h, o segundo duelo valendo vaga na final do Gaúcho, às 16h. Estou maluco ou alguma coisa está muito errada no calendário nacional? Isso não ajuda a tirar o prestígio do principal produto da temporada de clubes, a Superliga? Também não esvazia o Estadual?

Até entendo que 2014 foi um ano atípico com os Mundiais de seleções. Mas parece não haver conversa entre os envolvidos (confederação, federações, dirigentes dos times…). Parece não haver também mais indignação de clubes e jogadores durante uma maratona de jogos por torneios distintos. Tudo já virou “normal”. Infelizmente.



MaisRecentes

Na Liga das Nações masculina, se a primeira impressão é a que fica…



Continue Lendo

Vaivém: Itapetininga anuncia reforços experientes



Continue Lendo

E experiência de Eric Endres no Brasileiro Estudantil



Continue Lendo