Ah, Itália!!!



Eu cheguei a duvidar da reação na Itália. Mas ela aconteceu, para azar dos Estados Unidos, que levou a virada e viu os donos da casa ficarem perto da semifinal.

O PalaLottomatica, em Roma, ajudou a empurrar um time sem tanto brilho, mas que tira força da experiência do trio Fei/Mastrangelo/Vermiglio.  A torcida, que não lotou o belo ginásio, fez a parte dela. Os comandados por Andrea Anastasi também.

O regulamento permitia um caminho tranquilo até a semifinal, mas a Azzurra não imaginava cruzar com os campeões olímpicos. Encarou e passou. Agora, vai para cima da desfalcada França para, possivelmente, fazer o tão aguardado duelo com o Brasil por vaga na final.

Aí eu quero ver se a atual Itália pode sonhar ainda mais alto.



MaisRecentes

Coluna: Minas e um dia histórico para o vôlei nacional



Continue Lendo

O tremendo desafio de Minas e Dentil/Praia Clube no Mundial



Continue Lendo

Coluna: Sinal de alerta com as chuvas no Brasil



Continue Lendo