Aconteceu o que eu não acreditava mais



Não vou mentir: eu duvidava da classificação do Brasil à fase final da Liga Mundial três semanas atrás.

Achava impossível, pelo nível de jogo que a Seleção tinha mostrado até então, vencer Polônia e Itália, fora de casa, três vezes, sem ir para o tie-break.  E foi exatamente isso que aconteceu.

Um 3 a 0 pra cima dos poloneses e dois 3 a 1 pra cima dos italianos, o último, neste domingo, em Milão, parciais de 27-25, 18-25, 25-17 e 25-16. Na conta exata para avançar para a fase final. 17 pontos, o mesmo número da Polônia, mas vantagem no set average.

Sou sincero com o sentimento que tinha naquele momento. E admito estar feliz por ter errado.

O Brasil ressurgiu.Vejamos:

– Wallace se acertou com Bruninho – foram 15 pontos do oposto no triunfo de hoje

– Lucarelli passou a virar as bolas que estava errando. Marcou 17 vezes contra a Azzurra, aparecendo muitas vezes pelo fundo, uma jogada que a Seleção se acostumou a fazer nas gerações anteriores e eu estava sentindo falta atualmente

– Lucão bloqueou. Foram quatro dos dez pontos do Brasil no fundamento neste domingo

– Murilo estabilizou o passe brasileiro. E, que bom, também apareceu no ataque. Que o fantasma da cirurgia no ombro tenha ficado no passado!

– Mario Junior, de atuações tão ruins nas primeiras rodadas, começa a afastar a desconfiança. Ainda pode melhorar, mas já tem diminuído a quantidade de erros e tem deixado Bruninho mais à vontade com o passe na mão

E agora?

Rússia, Estados Unidos, novamente Itália e Irã, além de um último classificado que vem dos grupos mais fracos da competição. E um Brasil  embalado, que renasceu quando poucos acreditavam. O décimo título da Liga, que parecia estar definitivamente adiado para 2015, pode ser uma realidade.

 

 

 



MaisRecentes

Quem fica com as últimas vagas na Superliga masculina?



Continue Lendo

Giovane encaminha manutenção do vôlei carioca na Superliga



Continue Lendo

Basta! Nada justifica ameaças de morte



Continue Lendo