Acabou a moleza!



Vestir a calça jeans e encarar os 35 graus da manhã carioca. E caiu a ficha! A primeira parte das férias acabou!

Hora de iniciar 2016 no dia 28/12/2015. Vem aí um ano que promete para quem está envolvido com esporte. E recarregar as baterias foi importante.

Férias à parte, o que perdi nas últimas duas semanas no vôlei?

Ao deletar uns três mil e-mails eu separei alguns que certamente teriam sido transformados em posts no blog. E vocês podem comentar todos no mesmo post:

1 – Saiu a naturalização do Leal. O cubano agora tem a cidadania brasileira. E para quem me perguntou nas redes sociais sobre o tema, o último texto que escrevi sobre o tema ainda é válido: A questão das naturalizações . A situação esbarra nas regras da Federação Internacional e o prazo para disputa da Rio-2016 é insuficiente. Uma pena, pois a presença dele em quadra mudaria o patamar da Seleção na disputa pelas medalhas.

2 – O Sada/Cruzeiro, time de Leal, terminou o turno da Superliga masculina na liderança. 27 pontos, com nove vitórias e duas derrotas. Atualmente, os demais times que se classificariam para os playoffs: Funvic/Taubaté (24 pontos e agora com Gavin Schmitt à disposição), Sesi (22), Brasil Kirin (20), Minas e Montes Claros (19), Lebes/Gedore/Canoas (15) e Bento/Isabela (14). A briga no alto, no meio e no pé da tabela está aberta. Excluindo Juiz de Fora, com apenas três pontos e um processo até de liberação de atletas, os demais estão vivos no returno.

3 – No feminino, o returno da Superliga já começou. E a briga também está boa. Diferentemente da maioria dos últimos anos, a briga pela liderança não tem o Vôlei Nestlé. O Rexona-Ades aparece na frente com 32 pontos, dois a mais do que o Dentil/Praia Clube. O Camponesa/Minas, em terceiro, com 27, vem em evolução. E só então aparece o time de Osasco, com 25, até aqui fazendo uma campanha abaixo do nível do elenco que possui. Fechando o G8 aparecem Terracap/Brasília (22), Rio do Sul/Equibrasil e Sesi (19) e São Cristovão/São Caetano (13, mesmo número de Pinheiros/Klar e Concilig/Bauru). O “ser estranho” nesta lista final é o Sesi, a grande decepção nesta metade de temporada.

4 – Falando em feminino, o Bauru trocou Chico dos Santos por Marcos Kwiek. O time do interior paulista foi o responsável pela única derrota do Rexona, mas não embalou depois do feito. A aposta é no brasileiro que dirige a seleção da República Dominicana e que chegará apenas no dia 15/1. Até lá Fabiano Kwiek, irmão de Marcos, irá iniciar os trabalhos.

5 – Thaisa pedida em casamento em quadra após um jogo em Osasco foi outro assunto muito comentado nas redes sociais. O que tenho a dizer sobre isso? Que os pombinhos sejam felizes! Esportivamente falando, espero que a central chegue voando aos Jogos Olímpicos após as cirurgias no joelho.

6 – Ainda no assunto “off quadra”, Dani Lins e Sidão se casaram no último sábado. Pelas fotos publicadas nas redes sociais metade dos atletas do vôlei nacional esteve presente. Como no tópico acima, desejo felicidades ao casal nesta nova etapa da vida. Hoje, li uma postagem da levantadora revelando a morte da avó, dois dias após a cerimônia. Incrível como a vida nos prega peças. Meus sentimentos aos familiares.

7 – Saiu a tabela da Copa Brasil masculina. Mas não gostei da fórmula de disputa. Primeiramente duelarão quinto x décimo (Minas x São José), sexto x nono (Montes Claros x Voleisul/Paquetá Esportes) e sétimo x oitavo (Lebes/Gedore/Canoas x Bento/Isabela). Os vencedores irão se juntar a Sada/Cruzeiro, Funvic/Taubaté e Sesi, para mais uma rodada eliminatória. Os três que sobrarem se juntam ao Brasil Kirin, organizador da fase final, e que já entra na semifinal. Acho inchada demais a Copa nestes moldes. Sempre achei que deveriam ser os oito primeiros, com confronto do líder x o oitavo, segundo x sétimo e assim por diante. Mais enxuto, mais rápido, sem vantagem para ninguém.

 



  • Billy

    Achei ótima a naturalização do Leal.Que ele possa defender a seleção brasileira o mais rápido possível.Achei o JÁ DECADENTE MURILO(declarações dele no globo esporte deixando transparecer nitidamente que não vê com bons olhos a naturalização do Leal).Ele não sê toca que o tempo dele na seleção já acabou!??É um jogador baixo e TOTALMENTE NULO no ataque…além do quê,já está meio-velho e capengando em quadra,alguém concorda!? Ele está se achando o próprio dono da seleção brasileira.Fora aquele ar esnobe e arrogante no semblante dele…que é visível sempre)O Leal hoje é infinitamente superior ao Murilo(que deveria seguir jogando como líbero nos poucos anos que ainda lhe restam na sua carreira).Outro jogador novato e aspirante à uma vaga na seleção brasileira é o Douglas Souza(do SESI).Jogador magriçelo e com cara de ABOBALHADO.Não gosto desse jogador e nem o admiro jogando.Prá mim é um jogador comum .Achei o Gavin Smith fora de forma ainda.Quando ele pegar mais ritmo será excelente para o Taubaté.Sidão é outro que ainda pensa ser possível adquirir a forma antiga e ainda sonha em jogar Rio-2016.Vá somente sonhando(acho pouco provável que seja convocado)…à menos que o Bernardinho esteja com minhocas na cabeça e de repente ainda o convoque.Prefiro o RIAD,LUCÃO e o ISAC.Quanto à Copa Brasil…provavelmente a final(na minha opinião)será decidida entre o Cruzeiro e Taubaté.Abraços…

    • Fernando Marcelo

      O Murilo já está com medo de perder o lugar para o LEAL ( o que parece meio óbvio e lógico). Em 2018 o Leal poderá jogar o Campeonato Mundial pelo Brasil, se estiver no mesmo nível até, será demais para o Brasil, ele e Lucarelli formarão uma das duplas mais fortes de ataque do mundo.

      O Murilo se quiser fazer frente ao Leal e continuar na seleção, terá que ser LÍBERO,pois, hoje está atrapalhando a seleção com sua baixa estatura, praticamente não bloqueia, não saca, e quase não pontua no ataque. O único fundamento que o salva é o PASSE. Coitado do Lucarelli ano que vem nas Olimpíadas, vai ter que ralar muito para jogar por ele e pelo Murilo.

      • Billy

        Isso mesmo Fernando.No fundo o Murilo está é deixando transparecer o quanto tem de INVEJA do poderio de ataque fantástico que têm o Leal(fora os outros fundamentos que ele executa com maestria também…dá gosto de vê-lo jogando).O que salva ainda o Murilo é somente o passe e o bloqueio dele.O resto…Um abraço Fernando.

      • Mister

        Alguém sabe dizer as chances de acontecer mudanças nas regras da FIVB em março que autorize Leal jogar? E caso ele não possa jogar Bernardinho pode chamá-lo para ajudar nos treinos e levá-lo para acompanhar a olimpíada de perto como fez com Lucarelli em 2012?

      • Billy

        Leal é muito melhor que o Murilo atualmente…

    • Hikaro Rafael

      vc escrevi e emite suas opiniões igual ao um certo blogueiro inimigo do volei brasileiro que tem uma magua ferrenha do bernardinho, lembra muitos seus textos rsrsrsrs

      • Billy

        Olha Hikaro,frequento o blog do Bruno Voloch também(assim como muitos que gostam de critícá-lo dizendo que ele é inimigo do vôlei brasileiro,mas que costumam ler os seus posts também).O Bruno Voloch têm é uma mágoa profunda(rixa antiga)com o Bernardinho por ter cortado a sua ex-mulher(Sandra Suruaguy)na época da Olimpíada de 1996.Ele mete o pau no Bernardinho,mas no fundo(embora não goste de admitir atualmente)sabe que o Bernardo é um dos melhores técnicos de vôlei do mundo em todos os tempos.Prá mim ..o Bernardinho é o melhor técnico de vôlei de todos os tempos,indiscutivelmente. Não gosto é do temperamental,boboca e BIRRENTO do ZRG.Enfim…cada um com as suas opiniões próprias(particulares).Gostem ou não…E você(como sempre)deixando transparecer cada vez mais o QUÃO INTROMETIDO que você é.rsrsrsrsrs.Beijinhos…meu querido.

      • Billy

        será??

    • Thais de souza

      No pan americano, o Douglas foi um dos melhores daquela seleção. Ele estava voando no ataque. Teve momentos q ele literalmente carregou o time nas costas. Eu conhecia muitos do elenco(vários deles jovens promessas, ou q eram destaque na SL), mas ele n conhecia e quando o vi eu pensei “Impressionante. Esse garoto tem mt potencial!”. Quando começou essa temporada, eu tinha grandes expectativas por ele no Sesi, mas ele n respondeu. Por alguma razão ele n está jogando nem a metade q ele jogou pela seleção naquela oportunidade. O fato dele ser jovem, e estar competindo com grandes jogares, em grandes times e em grandes oportunidades, pela primeira, vez talvez explique essa inconsistência. Acho q é o caso de ter paciência e dar tempo a ele sem queimar etapas. Assim ele pode ser um jogador mais constante e botar pr fora td potencial q ele tem…ou n, né! Rs ^^

      • Billy

        Você têm razão Thais de souza.Não gosto e nem consigo admirar o Douglas(Sesi)por enquanto.Quem sabe eu queime a minha língua e num futuro próximo ele amadureça mais como jogador(se torne mais regular).Seria ótimo prá ele e pra seleção brasileira também.Desculpe os meus comentários(ás vezes sou meio-rabugento e escrevo coisas inadequadas(äbobrinhas¨).PS;Gosto de todo mundo no blog(pois somos todos fãs de vôlei)até mesmo aos que diferem de mim e que respondo-lhes de forma atravessada, ás vezes).Abraços…

        • Thais de souza

          De boa! ^^

  • Francisco Rodrigues Brioschi

    Olá Daniel, eu discordo de você no último tópico, porque não se justifica ter esse tipo de competição sem que seja dada oportunidade as equipes de investimento menor, que joguem a Liga B ou apenas estaduais. Essa competição faz pouco sentido, pois em qualquer País essas copas são competições de calendário longo, que correm paralelamente a liga principal e dão oportunidade às equipes menores apresentarem seu trabalho. Entendo que o modelo de calendário da Superliga não favoreça esse modelo de copa mais estendido, mas ainda acho melhor pois oferece mais visibilidade às equipes e atletas. Porém pra isso se tornar realidade, temos que bater nas mesmas tecla clichês de sempre, ou seja, os clubes passarem a organizar a liga, mudanças nas cotas de TV, sistema de formação de atletas e por aí vai.

  • Michel Pereira

    Gostei muito da síntese dos fatos ora apresentada e quanto aos tópicos acho o seguinte:
    1 – Saiu a naturalização do Leal: um grande ganho com vistas à seleção brasileira. Espero que a burrocracia e as picuinhas políticas (inclusive Ary x Bernardinho) não influenciem na decisão.
    2 – De acordo com os resultados da 1ª fase, a classificação final foi justa. Há promessa de que o returno seja ainda melhor, em especial quanto à parte de baixo da tabela.
    3 – Quanto à classificação do feminino, discordo que o Sesi seja a única decepção nesta metade de temporada. Sou osasquense, mas, o time tem decepcionado muito nessa edição da Superliga.
    4 – Quanto ao Bauru, foi um tanto quanto obscura a saída do Chico dos Santos. De fato os resultados não foram dos melhores, mas, se realmente havia a indisciplina de atletas como ele alegou em entrevista, a diretoria foi falha na questão disciplinar.
    5 e 6 – Felicidades aos atletas nas vidas pessoais/conjugais.
    7 – A tabela da Copa do Brasil é mais uma demonstração do despreparo da CBV na organização de campeonatos, vide o sistema do referido campeonato e as muitas mudanças na tabela da Superliga.

MaisRecentes

Joelho afastará Gabi das quadras



Continue Lendo

As primeiras transmissões da Superliga na TV



Continue Lendo

Vaivém: Thaisa jogará a Superliga



Continue Lendo