A volta de Walewska após 5 anos



A segunda vitória da Seleção Brasileira feminina na Copa dos Campeões foi tranquila. 3 a 0 sobre a Tailândia, sem parciais equilibradas: 25-18, 25-17 e 25-17. Mais do que a liderança isolado como único invicto, gostaria de destacar a volta de Walewska.

Muito se falou sobre ela, semanas atrás, aqui neste fórum e em outros na internet. E achei que muita gente passou dos limites nos comentários. Achar que a volta de uma campeã olímpica cinco anos depois, após a baixa importante da Thaisa, aconteceu simplesmente por ela jogar no mesmo time do Zé Roberto não entra na minha cabeça.

Walewska poderia, pelo que joga, ter brigado por vaga na última Olimpíada de Londres. Mas ela decidiu abrir mão da Seleção, aos 29 anos, após Pequim. Decisão pessoal, que deve ser respeitada. E Zé Roberto tentava, há tempo, convencê-la a voltar. Ele tem todo direito também, como ela tinha de dizer não várias vezes. O técnico conhece muito mais do que nós os prós que a central adiciona a um time.

Pelo que sei e ouço, Walewska é uma daquelas atletas que, além de ajudar em quadra, é importante fora. É querida por companheiras, de grupo, como gostam de dizer nos bastidores. Tem sensibilidade para colaborar com as mais novas e não precisa dos holofotes.  Gente assim faz diferença em qualquer equipe de trabalho.

Contra a Tailândia, Walewska foi titular no lugar de Fabiana. Marcou dez pontos, ficando atrás de Tandara e Adenízia, com 14. Colocou sete de dez bolas no ataque no chão, além de ter marcado três pontos no bloqueio. O fundamento, inclusive, foi o destaque da Seleção, com 17 pontos. Um número acima da média.

Para encerrar, ou talvez iniciar a discussão, é válido o debate pela opção de uma atleta mais nova para o meio de rede. Zé poderia ter dado chance para Carol, da Unilever, que vem de um Mundial de Clubes surpreendente. Ou Bia, do Sesi, que está voltando de lesão. Vão falar de Leticia Hage também… Aí sim vejo campo para argumentações.

Encerro o texto com frase do Zé Roberto sobre ela. E leio nas entrelinhas importante mensagem:

– É uma jogadora que ainda tem muito a oferecer para a Seleção. Apesar da idade, ela sempre se cuidou. Ela é uma grande atleta e está jogando de igual para igual com qualquer jogadora no mundo. Foi importante ela ter vindo e mostrado para essa juventude o significado de vestir a camisa da Seleção.

 



MaisRecentes

Dentil/Praia Clube confirma presença no Mundial



Continue Lendo

Seleções disputarão amistosos pelo país antes dos Mundiais



Continue Lendo

O adeus do genial genioso Ricardinho



Continue Lendo