A volta de Walewska após 5 anos



A segunda vitória da Seleção Brasileira feminina na Copa dos Campeões foi tranquila. 3 a 0 sobre a Tailândia, sem parciais equilibradas: 25-18, 25-17 e 25-17. Mais do que a liderança isolado como único invicto, gostaria de destacar a volta de Walewska.

Muito se falou sobre ela, semanas atrás, aqui neste fórum e em outros na internet. E achei que muita gente passou dos limites nos comentários. Achar que a volta de uma campeã olímpica cinco anos depois, após a baixa importante da Thaisa, aconteceu simplesmente por ela jogar no mesmo time do Zé Roberto não entra na minha cabeça.

Walewska poderia, pelo que joga, ter brigado por vaga na última Olimpíada de Londres. Mas ela decidiu abrir mão da Seleção, aos 29 anos, após Pequim. Decisão pessoal, que deve ser respeitada. E Zé Roberto tentava, há tempo, convencê-la a voltar. Ele tem todo direito também, como ela tinha de dizer não várias vezes. O técnico conhece muito mais do que nós os prós que a central adiciona a um time.

Pelo que sei e ouço, Walewska é uma daquelas atletas que, além de ajudar em quadra, é importante fora. É querida por companheiras, de grupo, como gostam de dizer nos bastidores. Tem sensibilidade para colaborar com as mais novas e não precisa dos holofotes.  Gente assim faz diferença em qualquer equipe de trabalho.

Contra a Tailândia, Walewska foi titular no lugar de Fabiana. Marcou dez pontos, ficando atrás de Tandara e Adenízia, com 14. Colocou sete de dez bolas no ataque no chão, além de ter marcado três pontos no bloqueio. O fundamento, inclusive, foi o destaque da Seleção, com 17 pontos. Um número acima da média.

Para encerrar, ou talvez iniciar a discussão, é válido o debate pela opção de uma atleta mais nova para o meio de rede. Zé poderia ter dado chance para Carol, da Unilever, que vem de um Mundial de Clubes surpreendente. Ou Bia, do Sesi, que está voltando de lesão. Vão falar de Leticia Hage também… Aí sim vejo campo para argumentações.

Encerro o texto com frase do Zé Roberto sobre ela. E leio nas entrelinhas importante mensagem:

– É uma jogadora que ainda tem muito a oferecer para a Seleção. Apesar da idade, ela sempre se cuidou. Ela é uma grande atleta e está jogando de igual para igual com qualquer jogadora no mundo. Foi importante ela ter vindo e mostrado para essa juventude o significado de vestir a camisa da Seleção.

 



  • @fun_volei

    “Foi importante ela ter vindo e mostrado para essa juventude o significado de vestir a camisa da Seleção.”
    Falou e disse Zé. Walewska jogou muito, embora os destaques tenham sido Tandara e Adenízia.
    Só acho que falta o Zé colocar a Claudinha mais vezes, ela já provou que tem bola e cabeça pra vestir a camisa da seleção nesse mesmo torneio, portanto acho válido colocar ela pra começar um set, ou até mesmo uma partida.

  • Aline

    Tailandia nao e uma equipe fraca.Faz jogos durissimos contra Japao,China e Korea.As tailandesas sao as CAMPEAS ASIATICAS!!!
    As brasileiras NAO DEIXARAM a TAILANDIA jogar!
    A superioridade brasileira,q venceu todos os jogos das finais do Grand Prix2013 por 3×0,faz parecer q as outras equipes sao fracas.
    Em 2013 so deu Brasil:Montreaux,Alassio,Grand Prix,Sul-Americano.Uma sequencia incrivel de torneios com uma superioridade invejavel.
    Ate agora na Copa dos Campeoes, uma campanha espetacular: UNICA equipe INVICTA,6 sets a favor,ZERO sets contra!!!Novamente as brasileiras estao passando como um rolo compressor por cima das rivais!!!
    Mas pq isso? O Brasil tem BANCO!!!
    O Brasil tem um BANCO maravilhoso!!! O melhor banco do mundo!!!
    Mudam-se as pecas do tabuleiro e a alta qualidade e pressao sobre as adversarias continua!!!
    Monique,Michele,Claudia,Brait,Walewska sao um banco de peso,entram e brilham fazendo o seu melhor.
    TANDARA FURACAO e um caso a parte… Tandara e uma excelente titular e uma reserva mediana,ela nao nasceu pra esquentar banco!
    Tandara e porradeira, foi maior pontuadora no SESI, e a maior pontuadora no Amil, contra as tailandesas passou como um Tsunami.
    Tandara e a melhor ponteira do AMIL,nao pode ser reserva da Natalia.Nessa briga pela posicao,sou muito mais TANDARAO FURACAO q NATALIA ZILIO!!!

    • Newton

      No Amil ela joga de oposta.

    • Alex Miranda

      Achei interessante seu comentário, principalmente quando o assunto é Tandra vs Natália.
      Lembro que há um tempo atrás, quando ambas jogavam pelo Finasa/Osasco, Natália era ponteira titular e despontava para o volei mundial e Tandara na mesma equipe era oposto reserva da Elisângela. Ou seja, já existia esse questionamento de quem era melhor que a outra. Acontece que na época Natália até por ser titular jogava mais bola que Tandara, que quando solicitada, entrava e não fazia muita diferença, sempre com uns balões horríveis, só tinha força e não sabia que apenas na base da força não chegaria a lugar nenhum.
      O tempo passou, Natália continuou a brilhar, sendo inclusive peça fundamental para a conquista da Superliga em 2009/2010 e Tandara que cansará de ser sombra, começou a rodar em outras equipes, adquirindo experiência, bagagem, técnica, chegando também ao título de campeã em 2011/2012 com o Sollys/Osasco.
      Resumindo, vejo as duas atletas com o mesmo perfil, FORÇA! E por isso são muito pretendidas na saída da rede. Porém, se analisamos, o ZRG faz o mesmo trabalho com as duas, de serem atletas flexíveis, treinadas para jogarem na saída ou na entrada, as DUAS. Sendo assim, pelo perfil idêntico, pelo trabalho que vem sendo realizado pelo ZRG, acho que as duas devem jogar juntas (como está acontecendo hoje no AMIL), e não uma na reserva da outra. Se ambas forem ponteiras e trabalharem bastante para ter um passe excelente, aliado a força que elas tem ai sim teremos um time e tanto. Nesse caso, a oposta nem faria muita diferença e fugiriamos a regra que a oposto é apenas um atleta de ataque.

  • Raffael

    Acompanho seu blog há muito tempo e coloco esse post entre os TOP 5. Falou tudo Daniel!!! Acho que temos mais torcedores de certas atletas do que do volei em si. Dizer que Wal está na seleção porque joga com o ZRG é no minimo imbecil de se afirmar. O Zé deu entrevista antes de Londres dizendo que tentou convencer a Wal a treinar e disputar vaga pros jogos olimpicos, abrindo exceção pra ela, ja que sua vilosofia prega que aquele atleta que não obedecer a convocações não estara no grupo. Qualquer um sabe que a Wal se tivesse aceito a proposta do Zé ano passado iria pra Londres, pois Adenizia era mera figurante e não ajudava nem dentro e muito menos fora de quadra. Wal foi coerente em não aceitar e talvez passou pela sua cabeça que seria injusto com as demais que passaram por um ciclo olimpico desgastante. Torço pra que ano que vem ela tenha animo e vontade de continuar a defender a seleção, pro desespero de algumas outras atletas que estão mais preocupadas em fotografar do que jogar.

MaisRecentes

A dor de Gabi e de quem estava ao lado



Continue Lendo

Duas gratas surpresas na Superliga



Continue Lendo

Minas espera Hooker ainda em outubro



Continue Lendo