A vida, a profissão, uma reflexão…



Sabe aquele momento em que você para por alguns minutos e repensa sua vida, suas atitudes, suas prioridades para amanhã? Aconteceu isso comigo neste domingo a caminho da redação do LANCE!, no Rio.

Seria apenas mais um dia de plantão, com trabalho de sobra e tempo de menos para curtir a família, descansar, ler um bom livro, ver um filme que concorrerá ao Oscar mais tarde… Chato, mas são ossos do ofício. Já é assim desde 1999, eu sei. E não adianta reclamar da rotina que escolhi, a profissão que adoro e adoto. Sem ela eu não teria conhecido minha esposa, não teria meus dois filhos. APENAS isso. Talvez não tivesse conhecido alguns lugares do mundo também. Certamente não teria visto in loco a história do esporte ser construída em Olimpíadas, Copas do Mundo, Pan-Americanos, Mundiais… Não dá pra reclamar. Mas dá para refletir sobre essa vida insana que nós, jornalistas, vivemos. Ainda mais quando você se depara com a perda.

Não conhecia pessoalmente Frederico Marcondes. Sabia de seu trabalho e sua história de vida graças a amigos em comum que trabalham nos Canais ESPN. De alguma forma torcia por ele. Assim como torço e me emociono quando vejo alguém dentro da minha casa  superar seus limites.

Fred, me permita chamá-lo assim,  ultrapassou um infinidade de obstáculos. Virou exemplo, referência. Algo cada vez mais raro em uma socidade fria, competitiva, virtual… Seu esforço diário para transformar sonhos em realidade é imensurável para qualquer um de nós, próximos ou distantes dele. Mas a persistência que ele sempre demonstrou ter é uma lição de vida. Vida, uma palavrinha tão pequena, e que às vezes deixa de fazer sentido sem explicação.

 



MaisRecentes

Vaivém: “Livre”, Thaisa seguirá atuando no Brasil



Continue Lendo

Jaqueline chega ao Japão para substituir Drussyla



Continue Lendo

Vaivém: Abouba espera aproveitar chance da vida no EMS/Taubaté



Continue Lendo