A primeira rodada olímpica



O Brasil terminou com 100% de aproveitamento na primeira rodada nas quadras e praias.

No vôlei, um óbvio e esperado 3 a 0 do time masculino no duelo com a Tunísia, time mais fraco do grupo. O time titular foi o que terminou mal a Liga Mundial, com Vissotto no lugar de Wallace.

Bernardinho aproveitou a fragilidade do rival para rodar seus 12 jogadores. Agora é aguardar um teste de verdade nas próximas rodadas.

No restante dos jogos, a Polônia pareceu sentir um pouco o peso de ser apontada como favorita, mas se recuperou e fez 3 a  1 na Itália.  Nos demais jogos, 3 a 0 do início ao fim: ARG 3 x 0 AUS, BUL 3 x 0 GBR, RUS 3 x 0 ALE, EUA 3 x 0 SER.

Entre as mulheres, o Brasil suou para vencer a Turquia no tie-break. O time mostrou alguns erros vistos no Grand Prix, tendo muita dificuldade para virar as bolas em algumas redes, algo que já escrevi no sábado.  Hoje, o jogão com os Estados Unidos será um teste de fogo. Vitória brasileira pode marcar uma arrancada rumo ao bi. Mas, pelos comentários que leio aqui e no Twitter, pouca gente acredita.

Já na praia, os favoritos Emanuel e Alison tiveram dificuldades e venceram de virada a dupla austríaca Horst/Doppler. Nos demais jogos, Juliana/Larissa, Ricardo/Pedro Cunha e Talita/Maria Elisa ganharam por 2 a 0. Nesta primeira fase, acredito que as quatro parcerias terminem invictas.



  • meyre

    olá.
    Eu assistia aos jogos e torci muito pelos brasileiros. Mas tenho que confessar que tenho predileção pelo volei de quadra.
    Quanto ao feminino, é como eu falei anteriormente : é preciso ter nervos de aço e uma boa jarra de suco de maracujá para assistir estas meninas. Elas nao convencem , de jeito de nenhum. Um bronze estará de bom tamanho e ficarei muito feliz se conseguirem.
    Quanto ao masculino, vou aguardar o jogo de amanha, contra a Rússia. Uma coisa já gostei : os meninos estão com outra postura , isto é muito importante!
    Daniel , e a Servia heim?! Eu esperava um combate! Que triste!!
    E os EUA ?!, Estão jogando muito ne… que Deus nos ajude!!
    ah, e outra coisa : nao gostei de assistir o jogo pelo Band sports, ( eles cortavam muito , para mostrar outras atraçoes/jogos ). Apesar de gostar muito do Marcelo Negrão!!

  • OSA

    Não dá pra dimensificar o Volei masculino

    Pois a Tunisia é muito Fraco

    E tbm nãi vi nehuma evolução do time do Bernardo Rezende
    com exceção á Sergio Dutra q jogou muito na defesa e no passe
    do resto é muito cedo falar
    vamos ter q aguardar os proximos confrontos

  • Jailson

    O Leandro Vissotto continua sem colocar a bola no chão.OREMOS.

  • Afonso RJ

    Daniel: 100% se considerarmos a contagem antiga. Com a perda de 2 sets para a Turquia no feminino de quadra, deixamos escapar um pontinho que pode fazer muita falta lá na frente. E isso depois de estarmos vencendo o quarto set por 18 x 10! No meu entender indesculpável. Perder dois sets para uma Turquia visivelmente nervosa e sem experiência em torneios desse nível não é aceitável. Vamos ver hoje contra as americanas.

    Mas hoje meu comentário vai para outra coisa: o televisionamento dos jogos na quadra, tanto do feminino quanto do masculino: a câmera quase estática, fechada sobre a rede. Não mostrava o fundo de quadra. Não víamos as defesas, saque, ou se o ataque fosse mais longo, não víamos se a bola ia dentro ou fora, e tínhamos que esperar o gestual do juiz para sabermos de quem era o punto. Muito ruim.

    Agora, liguei para assistir Brasil x USA, e a coisa está bem melhor, como manda o figurino. Espero que permaneça assim até o final das transmissões.

    • Daniel Bortoletto

      Intenção era 100% de vitórias mesmo

  • Naty

    Achei o Ricardinho bem melhor nas vezes que entrou e ele acertou muito bem as bolas com Wallace.
    Me preocupa o Visotto não virando bolas….não sei o que acontece….2,12m e não colocar a bola no chão é triste…..

  • Afonso RJ

    Acabou Brasil x USA no feminino de quadra. Como esperado, vitória das americanas. Falta para o nosso time força no ataque. Jogadoras que ponham a bola no chão. Faz tempo que essa é a maior deficiência do nosso time. Maior do que a tão falada recepção, maior até que a discutível deficiência das levantadoras. Pode ser que eu me engane, mas vejo na convocação da Tandara uma espécie de desespero do Zé Roberto por jogadoras de força.

    Por outro lado, em competições anteriores quando cruzávamos no decorrer do torneio com as americanas, entrávamos com toda a força e vencíamos. Chegava na final, o técnico americano já manjava nosso jogo. Vinha com uma carta na manga, nosso ataque era facilmente marcado, e bai-bai, título. Quem sabe o Zé não quer dar o troco, escondendo a Natália? Será que ele está guardando a jogadora para partidas mais decisivas? Sim, porque com esse ataquezinho de “Colégio Notre Dame” nós não vamos muito longe não.

    Já perdemos 4 pontos, mas já passamos por duas das maiores pedreiras. Falta a China, mas acho que a classificação é muito provável, e os jogos realmente decisivos ainda estão mais para a frente. Vamos ver o quanto esse time ainda pode evoluir dirante a competição.

  • Edson Pelegrino

    Jaqueline com seus 2 pontos durante o jogo foi épico.

MaisRecentes

O novo conceito da FIVB para 2018



Continue Lendo

Apenas Lebes/Canoas faz o dever de casa na rodada



Continue Lendo

Um líder por pontos ganhos. Outro por pontos perdidos



Continue Lendo