A nota oficial da Amil



“A direção da Amil decidiu nesta terça-feira (29) encerrar o patrocínio ao time de vôlei feminino de Campinas. A medida foi tomada em função de reposicionamento de estratégia de marketing. Em nenhum momento a empresa questionou os resultados obtidos por um projeto vitorioso e que conquistou não só a região de Campinas, sede do projeto, mas todo o Brasil.

A Amil sente-se orgulhosa de ter montado, em tão pouco tempo, uma estrutura considerada uma das melhores do país e criado uma equipe de alto nível, que chegou por dois anos consecutivos à fase semifinal da Superliga, principal competição nacional da modalidade”.

 



  • Alan

    Mais do mesmo. A mesma desculpa que a maioria dá. Se é convincente? Não é. A verdade é que infelizmente já virou uma rotina no “País do Vôlei” (?). E o pior, a CBV, que teria que fazer alguma coisa a esse respeito, NÃO FAZ NADA. Se a Confederação não tá nem aí para os atletas, porque os meros patrocinadores estariam preocupados. Mais uma vez apenas Molico e Unilever são opções para as grandes jogadoras, já que o SESI pode diminuir o investimento. VERGONHA!

    • JPC

      E ainda tem gente que reclama da festa do Sesi pelo vice. Aquilo tudo foi sobrevivência do projeto!

      • Aline

        ACABEM JÁ COM O RANKING!!!
        Paulo concordo contigo, além da passividade, há também outras coisas:
        1. Jogadoras do porte de Sheilla e Thaísa que não valorizam uma PRATA ou um BRONZE e ainda criticam aos 4 ventos suas colegas de seleção tipo Fabiana e Dani Lins de, segundo elas, de “comemorarem a derrota”!!! Se as próprias jogadoras não valorizam estar no pódium, vai querer que o PATROCINADOR valorize? Ou é OURO ou é NADA??? No meu ponto da vista, as garotas do Sesi não comemoram a derrota, comemoram uma PRATA inédita na Superliga;
        2. Atletas que são entrevistadas pela GLOBO/SPORTV , que em vez de falarem OS NOMES DOS TIMES COM PATROCINADOR, ficam falando Osasco, Rio, São Caetano etc…
        3. Atletas que ficam usando REDES SOCIAIS para falar besteiras, ficar QUEIMANDO O FILME DO VÔLEI!
        Se uma Sheilla não valoriza o fato de estar no podium mesmo que não seja no degrau mais alto, como vamos cobrar isso do patrocinador?
        PRIMEIRO LUGAR é um SÓ, e foram 13 times disputando… Não adianta vir um patrocinador como a AMIL, inflacionar o mercado, montar um SUPER-TIME, contratar a comissão técnica da SELEÇÃO BRASILEIRA, e achar que só por isso vai ganhar TUDO!!!
        Na verdade não ganharam NADA!!! Pq vôlei é ESPORTE COLETIVO, quem ganha é o time e não as ESTRELINHAS MIMADAS!
        Bernardinho sempre investe em novos talentos tipo Gabi, Mihajlovic, Carol, Roberta e, com muito treino faz essas meninas crescerem. O UNILEVER não tem as jogadoras mais caras da SUPERLIGA, mas tem um TIME, e uma comissão técnica dedicada que sabe minimizar os pontos fracos e maximizar os pontos fortes e deixar para trás adversários que tinham elencos mais caros como: AMIL, MOLICO, PRAIA e SESI.
        A comissão técnica de Bernardinho recuperou Fofão para contribuir com o time, será que em outro time ela conseguiria estar pronta na hora certa?
        Acho muitas jogadoras com síndrome de ESTRELAS, cujo sucesso subiu a cabeça, que dão muito valor a coisas supérfluas e não valorizam o próprio esporte, e tbém não sabem reconhecer o mérito do adversário.
        Admirava Sheilla e Thaísa como atletas, entretanto minha admiração por elas diminuiu bastante depois dessa Final.
        Adoro a atitude da Fofão, sempre humilde e, ao mesmo tempo guerreira, joga para o time e não para aparecer para os outros. Aparece pelo sua conduta sem precisar ficar provocando, nem desdenhando de ninguém. Sheilla e Thaísa tem muito o que aprender com Fofão.
        ALINE.

        • Naty

          Aline, adoro seus comentários. Sempre muita sensata. Mas não tem nada a ver citar o que Sheila falou. Por que ela deveria estar sorrindo por ser terceiro? Será que fofão estaria sorrindo se estivesse em terceiro? Não é ser prepotente ou desvalorizar um terceiro lugar, é simplesmente admitir que não está feliz com o resultado. Ela simplesmente respondeu o que sente mesmo. Vai me dizer que terceiro lugar é bom? É uma derrota. Ninguém trabalha pra ser terceiro e não tem que ficar de sorrisos por isso. Tenho certeza que ela se cobra muito. Meu maior ídolo no esporte foi Ayrton Senna….perfeccionista, se cobrava ao extremo….e falava mesmo que segundo lugar pra ele era derrota. Pra mim esses são os grandes. Não desrespeitou ninguém. Concordo com Sheila 100%.
          E concordo com você que esse ranking tem que acabar urgente.

  • perikito

    Vergonha!!!

    Não sei sinto raiva da Amil, não sei se sinto raiva da estrutura do voleibol, que é composta predominantemente por times de investidores e não de clubes.

  • Nossa que noticia triste, o volei do Brasil está uma vergonha, se eu fosse jogador estaria no exterior é nao voltava mais para o Brasil, pela falta de segurança na manutenção do meu emprego. Certos estão Bruninho, Fofinha, Ana Tieme, Joycinha, Clarisse, Bruno Zanuto entre outros que não querem voltar de forma alguma pra esta palhaçada que é a Superliga.

    • Iuri

      Ana Tiemi vai voltar…

  • Marcelo Dias

    E agora CBV ?
    Vão continuar com o sistema de ranqueamento ?
    Meninas da nossa seleção , podem se inscrever em cursinhos de italiano , russo etc ….
    Vergonha !!!!Que pelo menos os meios detentores das transmissões parem de chamar unilever de RIO , Molico de OSASCO e etc …..
    Pensem menos em dinheiro e mais no nosso esporte ou todos sairão perdendo ….
    Exemplo ????
    Olha o nosso basquete masculino que sobrevive a duras penas …..
    Parabéns : Flamengo , Brasilia , Franca , Pinheiros , Minas ….
    Que estão a tanto tempo sozinhos sem apoio algum e se salvam ano após ano .

  • Rodrigo Coimbra

    – Por isso a Kristin não ficou!
    – Por isso o ZRG quis sair, não gosta de baixo investimento.
    – Até pouco tempo li um comentário dizendo q o Amil/Campinas era o novo Vôlei Futuro, achei até um certo exagero, mas vejo que não foi!
    – Eu até defendi a tese de chamarem o Amil/Campinas para o mundial de clubes, mas vejo q foi outro equivico… pelos investimentos pensei q fosse um clube q veio pra ficar e ser um dos melhores!
    – É isso q acontece, não sei como o Banana Boat continua a patrocinar o Praia Club… falta de visibilidade a marca do patrocinador nas transmissões termina nisso. Ngm quer investir e não ser citado. Uma pena pro vôlei, Unilever e Nestlé soberanos… MERECEM NOSSO RESPEITO!

  • Alvaro Kantor

    E agora?
    Agora, vai surgir um novo patrocinador temporário que vira em busca de visibilidade e daqui um ano também se vai.
    O nosso vôlei está seguindo o caminho do futebol, estrutura grande dentro das quadras e pequenina na sua gestão.
    CBV, Rede Globo e outros interessados o que farão
    Outra vez, nada, absolutamente nada.
    Vamos lutar pela profissionalização dos esportes nacionais, com gestores profissionais, sem vínculos emocionais com as equipes, mas voltados pela gestão administrativa dos projetos.

  • Afonso RJ

    Ué!!! Não era um projeto de cinco anos???

  • Chega a ser engraçado a nota dizer:”projeto vitorioso”!Claro que o ZRG saiu pq o time ia fechar as portas e não o contrário.Cada ano que passa diminuiu o nível técnico e qualidade dos times,fazendo da SL uma médio-liga.Se o Minas que é o maior time desta SL,maior por sua estrutura e por ser o maior time formador de jogadores de volei e pela sua tradição tá numa situação difícil,imagina os demais.Hoje os maiores patrocínios são do Unilever e Molico,Sesi e Banana Boat. no feminino,mas pra um esporte tão vitorioso como o volei é muito pouco.

  • Osmar Cordeiro

    Pra CBV tá tudo normal , se aparecer um projeto novo em outra cidade de São Paulo eles agradevem , esquecem da Superliga B e do plano de ter 12 equipes . Pra quem assisti pela primeira vez à uma final da Superliga num ginásio cheio , cheio de celebridades , luzes e outras coisas mais acha tudo maravilhoso e esquece que durante 6 à 7 meses temos pouca divulgação , ginásios vazios , equipes fechando as portas e demais . Está faltando um trabalho de gestão durante esses 20 anos , estabelecer equipes que possam ser clubes e responsáveis pela formação de atleta , disputar um campeonato estadual descente pq tem estados q nem existem competições e ao mesmo receberem cotas de direito de imagem , de patrocinadores , de incentivo fiscal e por negociações . Enquanto continuar o esquema de gestão de patrocinador vai acontecer isto com abre e fecha . A Amil investiu 20 milhões em 2 anos , dou o exemplo do Pinheiros , São Bernardo e São Caetano que com 4 milhões por ano desses 20 citado iriam se reforçar cada vez mais .

MaisRecentes

O novo conceito da FIVB para 2018



Continue Lendo

Apenas Lebes/Canoas faz o dever de casa na rodada



Continue Lendo

Um líder por pontos ganhos. Outro por pontos perdidos



Continue Lendo