A final do Paulista feminino



O Vôlei Nestlé saiu na frente do Sesi na final do Paulista feminino.

Na noite de ontem, no Ginásio da Vila Leopoldina, na capital, vitória do time de Osasco por 3 sets a 1, parciais de 25-12 (?!?), 20-25, 25-21 e 25-20.

Me chamou demais a atenção de os sets não refletirem o equilíbrio que se esperava de uma decisão. A primeira parcial, inclusive, é um daqueles pontos fora da curva. Acontecem até em clássicos como este, mas devem ser tratados como totalmente atípicos.

O bloqueio foi o grande fundamento do Vôlei Nestlé. 21 pontos é muita coisa! Também importante destacar como várias atletas apareceram com pontuação elevada na equipe comandada por Luizomar de Moura: Ivna (19), Carcaces (17), Gabi e Adenízia (15). Tal distribuição de pontuação, em parte graças ao block, fez muita diferença.

Block desequilibrou na abertura da final (João Pires/Divulgação)

Block de Osasco desequilibrou na abertura da final (João Pires/Divulgação)

– Mérito da Dani Lins e do passe. Estamos trabalhando duro neste fundamento e as meninas estão colocando a bola na mão da Dani. Com isso, ela está escolhendo a melhor opção com tranquilidade. Ainda pecamos em alguns momentos no ataque, quando arriscamos demais. Somos fortes neste fundamento, mas o bloqueio também mostrou que pode ser decisivo e, às vezes, podemos atacar evitando os erros e apostar no nosso bloqueio. A Dani está de parabéns pela partida que fez e por sempre passar segurança para suas atacantes – analisou Adenízia.

A boa atuação de Ivna, inclusive, deve deixar a belga Lise Van Hecke, principal contratação de Osasco na temporada, mais um tempinho no banco de reservas. Sendo justo com a gringa, ela desembarcou há pouco tempo no Brasil e ainda precisa ganhar entrosamento com Dani Lins.

Pelo Sesi, Jaqueline não brilhou, terminando com nove pontos, atrás de Elen (17), Fabiana e Sabrina (11).

– Nós temos que acertar muita coisa, mas eu acho que só jogando mesmo e passando por essas dificuldades que algumas jogadoras que estão vivenciando isso pela primeira vez vão suportar esse tipo de pressão e saber como sair delas – disse Talmo.

Agora, no José Liberatti, em Osasco, no domingo, às 10h, o Vôlei Nestlé será campeão caso vença o jogo ou o golden set.



MaisRecentes

Vaivém: Sada/Cruzeiro emite nota oficial sobre situação de Simon



Continue Lendo

Lucas Lóh reforçará Seleção Brasileira na Austrália



Continue Lendo

Vaivém: Walewska confirmada pelo Osasco/Audax



Continue Lendo