A entrevista de Mari



Pessoal, boa noite.

Segue o link com a reportagem que está no ar no LANCE!Net sobre a entrevista coletiva da ponta Mari, nesta segunda-feira, no Rio de Janeiro. Ela fala sobre cirurgia, vôlei de praia, futuro no Fener ou na Superliga…

Destaco aqui apenas uma frase sobre o assunto Seleção/Zé Roberto.

– Não tenho problema nenhum com a seleção e nem com o Zé. Ele deixou as portas abertas. Este ano não tem como pensar nisso porque vou estar me recuperando. Não sei se quero fazer outro ciclo olímpico, tenho que pensar. E vou ter tempo para isso. Quando estiver pronta, estou à disposição dele. Ainda não conversamos porque não tivemos oportunidade, não surgiu assunto. Eu sei que posso pegar o telefone e ligar para ele a qualquer momento, e sei que ele vai falar comigo

http://www.lancenet.com.br/mais-esportes/Rio-Mari-ressalta-Superliga-possibilidade_0_884911580.html



  • Juju

    É o que chamam de ser político: ele deixar as portas abertas e ela agora dizer que está a disposição. Particularmente, pra mim o nome é falsidade, mas já tenho idade suficiente pra saber que ser político é uma estratégia muito boa pra levar a vida com mais facilidade. Ninguém engole um corte daqules de uma olímpiada assim tão facilmente. E acredito também que ZRG não assimilou assim tão bem a entrevista dela pós corte, e a outra entrevista já na Turquia, se bem que, teve algumas mídias que fizeram um certo sensacionalismo com a entrevista concedida a Época. Enfim, boa recuperação para a loira e o mais importante é ela conseguir jogar e depois conseguir jogar em alto nível, se não é bobagem ficar especulando sobre seleção.

    • Bárbara

      Com certeza ela está sendo política agora, assim como o ZRG foi no período do corte dela e pós-olimpíadas. Pq certamente ele tinha opiniões sobre oq tava sendo veiculado pelas mídias das entrevistas da Mari, mas ele nunca se posicionou ao certo e ainda deixou as portas abertas p/ ela. Nessa história toda os 2 têm parcelas de erros iguais, ele percebeu e ficou quieto na época e agora ela tbm percebeu e tá tentando fazer essa política da boa vizinhança. Torço mto pela recuperação total dela, e q consiga dar a volta por cima mais uma vez.

  • Peri

    Eu não entendi nada dessa entrevista. A Mari se comporta como se nada grave houvesse acontecido. Ela disse poucas e boas por meio da imprensa. Pra mim, seria mais fácil ela ser franca, dizer que passada a turbulência, gostaria de recomeçar, reescrever a sua historia ou dar continuidade, apesar da ferida que o Zé abriu.

    Ela teve razão em toda aquela confusão, mas bancar a desmemoriada fica chato pra gente que é fã dela. Só sei que torço por ela, pela sua recuperação e que de fato ela jogue novamente pela seleção.

MaisRecentes

Semana positiva das Seleções adultas



Continue Lendo

Coluna: O polêmico teste na regra do vôlei



Continue Lendo

Vaivém: Mais estrangeiras na Superliga?



Continue Lendo