7 motivos para acompanhar a Superliga feminina



1) O clássico dos clássicos

Os maiores times do vôlei nacional (Divulgação)

Os maiores times do vôlei nacional (Divulgação)

Unilever, Rexona, BCN, Sollys, Finasa, Molico… Independentemente da marca que aparecia no nome ou no uniforme, o duelo é sempre aguardado. E, mais uma vez, Rexona-Ades e Molico/Osasco farão as partidas mais aguardadas da competição. São sete jogadoras que defenderam a Seleção no último Mundial (Dani Lins, Thaisa, Adenízia, Camila Brait, Natália, Gabi e Carol), além de Bernardinho, Luizomar, muita tradição, torcidas que possuem uma rivalidade real. Guardem estas datas: 19/12/2014, às 21h30, no Tijuca; 10/3/2015, 19h30, no Liberatti.

2) Fofão

Esta será a última Superliga de Fofão (divulgação)

Esta será a última Superliga de Fofão (divulgação)

Esta Superliga marcará a despedida de uma das maiores levantadoras do mundo em todos os tempos. Torcedor ou não do Rexona-Ades, você tem a obrigação de acompanhar o máximo possível de jogos de Fofão na temporada 2014/2015.
“Pelo fato de ser minha despedida, acredito que as meninas de alguma forma irão fazer de tudo para que seja um ano feliz. Mas não quero impor qualquer tipo de pressão a elas”, diz Fofão, ao LANCE!.

3) Estrangeiras

carcaces

Carcaces se destacou nas finais do Paulista (divulgação)

A cubana Carcaces (Molico/Osasco – foto), a argentina Sosa (Rio do Sul/Equibrasil) e Webster (Dentil/Praia Clube) são algumas novidades internacionais da Superliga. Bons nomes que podem ganhar protagonismo. A caribenha já mostrou a que veio na reta final do Paulista, sendo destaque da equipe de Luizomar de Moura no ataque e no saque.

4) Afirmação

Tandara é novidade do Praia (Divulgação)

Tandara é novidade do Praia (Divulgação)

Estou curioso para acompanhar o desempenho de algumas atletas nesta edição. Tandara (foto), agora no Praia, Andreia, que terá chance de ser titular no Rexona, Rosamaria e Léia, do Pinheiros, Natália voltando a ser treinada por Bernardinho… Jogadoras de Seleção ou com potencial para estar lá com um papel mais decisivo do que já exercem.

5) A voz da experiência

A guerreira Paula Pequeno (Divulgação)

A guerreira Paula Pequeno (Divulgação)

Fofão é hors concours no assunto experiência. Mas a Superliga tem uma série de atletas com passado glorioso e que ainda podem ter atuações em alto nível. As campeãs olímpicas Mari (Molico/Osasco) e Paula Pequeno (Brasília) são dois bons exemplos. Jogadoras que já estiveram entre as melhores do mundo anos atrás,  possuem uma legião de fãs e merecem muito respeito.

6) Jaqueline

Jaqueline segue sem clube (Divulgação)

Jaqueline segue sem clube (Divulgação)

As perguntas que mais recebo e não tenho resposta. Ela vai aceitar a proposta do Minas? Ou vai escolher o Pinheiros? Existe chance de Jaqueline não jogar esta temporada? A novela sobre o futuro da ponta da Seleção ainda não acabou. Espero que ela resolva as questões pessoais/financeiras envolvidas rapidamente e dispute a competição nacional.

7) Mari Paraíba

Precisa de legenda? (Divulgação)

Precisa de legenda? (Divulgação)

A musa está de volta ao Minas, palco de suas melhores atuações antes das fotos para a Playboy. E certamente levará muitos holofotes ao tradicional time de BH.



  • JR

    É gata essa Mari Paraíba! hehehe
    Mas fora a expectativa de vê-la em quadra hehehe, espero q esse time do Praia Clube deslanche, já que montou um bom time. Qm sabe não surpreende a dupla Osasco – Rio. Sesi acho q esse ano não terá vez. Torço tb que Brasília faça um boa liga, já que é outro time vem crescendo, melhorando sua estrutura cada vez mais desde que foi fundado (Obs: legal ver q esse time tem vários patrocinadores). É o caminho, depender de um só já está provado que não dá certo na maioria das vezes.

MaisRecentes

Joelho afastará Gabi das quadras



Continue Lendo

As primeiras transmissões da Superliga na TV



Continue Lendo

Vaivém: Thaisa jogará a Superliga



Continue Lendo