RJX na final da Superliga



Acabo de chegar do Maracanãzinho, após acompanhar de perto a vitória do RJX sobre o Vivo/Minas por 3 a 1. Sempre bom voltar a ver um jogo importante ao lado da quadra, sentindo o clima da torcida, vendo reações que a TV não mostra…

Quem me segue no Twitter  acompanhou com detalhes alguns comentários sobre a definição do adversário do Sada/Cruzeiro na final da Superliga. A decisão que 9 entre 10 apostavam antes de a competição começar, certo?

Até comentei com alguns colegas durante a partida. Quando quase todo mundo apostava no 3 a 0, o Minas virou o terceiro set, depois de estar perdendo por 16 a 11. Já quando todos apostavam no tie-break, Thiago Alves acertou com saque corajoso (e suicida) para empatar em 24 e 24 e iniciar a reação do time de Marcelo Fronckowiak. Aí vocês usam qualquer clichê: o vôlei é uma caixinha de surpresas, por exemplo.

Não sei se a TV mostrou, mas a reação explosiva do técnico do RJX após o jogo foi bem próxima da área de imprensa. Ele subiu a mureta, pulou em direção aos torcedores, gritou, desabafou e comemorou. Merecidamente, diga-se de passagem. O gaúcho já havia feito um grande trabalho com o próprio Minas na temporada passada e agora volta a disputar uma final de Superliga. Vale lembrar que ele foi o primeiro campeão como atleta e técnico da Superliga. Não é pouco, não!

Horácio Dileo também merece elogios. Chegou quase como um desconhecido para muitos, em um país “rival” e fez um trabalho de primeira. Se eu fosse a diretoria do Minas, assinaria hoje a renovação por mais um ano. Conversei um pouco com o argentino após a semifinal e vi de perto como ele é respeitado aqui no Brasil. Detalhes ficam para um outro post.

Bom, estou cansado e preciso jantar e tomar banho. Quem sabe não vejo a reprise na TV para tirar dúvidas sobre alguns  lances capitais da partida? Agora passo a bola. O que acharam do jogo?

 

 



  • Emanuella

    jogo bizarro. achei o nível do jogo baixo e os dois times muito nervosos. Acho que ali no terceiro baixou uma certeza ali no RJX que quase entregaram o jogo. Alias eu vi esse jogo ganho pelo Minas no terceiro set.
    Jogo cheio de altos e baixos. Um time jogava bem depois caia. o Outro subia e depois caia e assim foi.
    Rio não jogou bem novamente. Totalmente desatento na cobertura no primeiro set. Nunca vi perder tanta defesa fácil uma vergonha. Bruno tem que aprender a jogar o simples quando o simples é para ser jogado. As vezes tenta o mais díficil quando pode tentar o mais simples. E a mania de repetir bola. Dois bloqueios seguidos no Theo e dois seguidos no Dante.
    E o final do jogo foi o retrato do volei de hoje. saque forte. Thiago arrumou um milagre ali no final.
    Minas também errou muito, demais, o quarto set o que teve de bola para fora foi demais. Ali parecia que ninguém queria era ganhar o jogo.
    Percebi pelas entrevistas que o time estava engasgado com o que foi falado durante a semana, confesso que não vi muita coisa e nem posso falar nada. Mas sei que teve gente dado o time como morto. nada como ser desacreditado para que um time fique com mais sangue nos olhos.
    Pra ganhar do SADA vai ter que jogar o fino da bola. Do jeito que esta jogando leva 3×0.
    Sada favoritaço para a final, quem sabe isso não motiva o RJX.

    • Paulina Marinho

      Concordo plenamente com o que escreveu, por isso acho o SADA super favorito na final, mas como vimos ne, o vôlei é uma caixinha de surpresas.

    • Marcos

      Emanuella:
      Sobre o Bruno: é exatamente isso que venho falando há algum tempo. O jogo é muito lento e previsível, e ainda querendo fazer umas “bolas mágicas” para a torcida e os fãs, nesses tempos de youtube, reverenciá-lo. No 1o set, com a repetição de bolas no Théo, ele mostrou o seu “estilo”. Depois, com aquela bola horrível de manchete para o Riad que empurrou a bola e caiu, ele confirmou o que sempre faz. O narrador, obviamente, vibrava: “Bruno Moooossa Rezende, que bola genial de manchete…” Foi uma péssima escolha e mal executada que acabou dando certo. Mas quem é que vai dar uma “chamada” nele? Infelizmente, por tudo o que aconteceu nos últimos 5-6 anos, ele não desenvolveu todo o jogo que poderia. Enquanto o time dele está ganhando, as coisas vão sendo empurradas, mas não tem condição de jogar assim em nível internacional, com bolas marcadas, bola de meio lenta, repetição de bola para quem errou…mas, como eles ganharam, essa discussão fica para a próxima segunda…

      Sobre o RJX engasgado: eles tiveram o apoio da imprensa (especializada ou não) o ano inteiro. Alguns raros comentaristas em raros veículos (aqui, por exemplo) contestavam o time deles. O engasgo, na verdade, é alívio, pois se o time sai na semifinal, a Globo perderia muito, o patrocinador (que já não está passando por uma fase boa fora do Voleibol) ficaria bem irritado e os boatos de fim da equipe aumentariam a um nível insuportável. Então, foi mais um alívio que um desengasgo, na minha opinião.

      • Joao

        Acho que o Bruno tem sim condição em nível internacional…foi o melhor em Londres com 26 anos. Acho que as pessoas às vezes não vêema realidade …. Bruno não é lento … às vezes é impreciso .. mas definitivamente não é lento.

        • Marcos

          João:
          Ele, obviamente, não é lento, pelo contrário, defende muito bem e se desloca fácil. O jogo dele é que é muito lento e previsível.
          Veja o seguinte:
          Dvorak em 84/88; Mauricio em 92; Blange em 96; Grbic em 00; Ricardo em 04; Ball em 08. Esses levantadores, sim, lideraram os seus respectivos times e implementaram um tipo de jogo que os levou à vitória (ou contribuiu muito para isso).
          Você diz que o Bruno foi o melhor de Londres, baseado nos dados da FIVB, mas, mesmo com a “seca” de bons levantadores nesses jogos, eu não o vi como destaque, mesmo que tnha sido, está longe de ser a unanimidade que os outros que eu citei foram.
          Tomara que ele, com 30, 34 anos, chegue, no mínimo, no nível do Blange (o mais fraco dos 6), mas, do jeito que a coisa vai, eu duvido muito, pois, do jeito que ele está hoje, ele tem uma legião imensa de fãs, e não vai querer mudar só por causa de meia dúzia como eu que não aprova esse estilo de jogo, certo?

          • Joao

            Marcos: Bruno foi o melhor em Londres, reconhecido também pela imprensa internacional.
            Agora …. repito … ele não tem um jogo lento e tem um toque de bola muito bom
            (e não falo de defesa ou bloqueio onde ele é excelente) é só impreciso.
            Não existe apenas uma maneira de jogar ….e lembro muito bem Ricardinho muito impreciso até 28 anos e com muitos defeitos (e certamente não era unânime).O discurso
              “fãs” parece-me irrelevante.

  • Luiz

    RJX é o time mais arrogante do mundo. Bruninho e Riad são Rainha e Rei. Deveriam casar um com o outro.

    Agora falando do jogo. O Minas pecou na defesa no final do quarto set; deixou bolas bobas cairem no chão. A Equipe estava com uma postura estranha, como se o set já estivesse ganho. Tiveram a chance de calar aquele time nojento e podre, mas fica para a próxima.

    • Pam

      mimimi, arrogante porque?? não vejo nada de demais. não reclamaram não provocaram o adversário. Vai lá cheirar o Ricardinho vai.

      • Luiz

        Não reclamam? Não provocam? Você viu o que o Riad fez ao fechar o primeiro set? MEU DEUS, eu até compreendo burrice, mas visão seletiva já é demência.

        Dalí só se salva o Dante. O resto é podre. Mario Jr então deve estar fazendo faculdade no esgoto, QUE cara sujo! ECA! Caras e bocas, e vai comemorar de frente na rede, mas os árbitros não fazem nada. Nunca vi isto na minha vida, um líbero indo tirar com a cara dos outros lá na rede.

        Um HORROR este time! (falando de pesonalidade, não em talento).

        • Melina

          Sei que sou suspeita ao falar isso, mas tive a mesma impressão, a de que o RJX encarava uma derrota para o Minas como uma vergonha incomensurável e que a comemoração deles já estava em um nível “ofensivo”, digamos. O Thiago Alves então, francamente, peguei nojo dele desde o jogo passado aqui em Minas e nem que ele vá para a Seleção (cruzes) eu o apoiarei.

          • Luiz

            RJX caras, bocas, e afrontes. Nem as travestis da Paulista são tão afrontosas assim. Um bando de homem que não sabe se portar. Já estou començando a pensar que vou ter que torcer para o Cruzeiro.

          • Joao

            Muito pelo contrario…não é o RJX que encarava uma derrota para Minas como vergonha incomensurável mas A MIDIA todas. O RJX sempre falou com muito respeito do Minas…diferente da querida imprensa.

          • Melina

            Falar é uma coisa, estou me referindo ao que demonstraram em quadra.

          • Joao

            Desculpa mas essa coisa de “o que demonstraram em quadra” já cansa.Muito recalque de torcedor.

          • Marcos

            Não tem como negar que o time é arrogante, pelo amor de Deus. Mesmo o torcedor fanático tem que reconhecer isso.
            A derrota seria uma vergonha, sim, e o clima pré-jogo lá estava parecido com a véspera de uma semifinal São Paulo x Corinthians no CT do São Paulo: nõ se admite uma derrota em hipótese alguma, senão pára o patrocínio, os contratos, etc, então, o time estava, sim, pressionado e não era pela imprensa não, que, aliás, sempre torceu muito pelo RJX.
            Nenhum jogador deles deu declarações de menosprezo ao Minas, é claro, mas quem faria uma coisa dessas? Eu sou somente um telespectador e já vejo isso, imagine quem é do meio…

          • Melina

            João, você quer que eu diga o que então? É como o Marcos disse, eles não vão dizer abertamente que seria uma vergonha nem nada do tipo. Eu fui ao jogo no MTC e foi assim que eu interpretei as atitudes dos jogadores do RJX em quadra, assim como me pareceu no jogo no Maracanãzinho. Se você interpreta de forma diversa da mim, aí já é outra questão, mas não estou sozinha quanto a achar que alguns jogadores do RJX são sim bem prepotentes. Agora, se cansa pra você ler “o que demonstraram em quadra”, pra mim cansa ler que hoje tudo é recalque. Estamos quites.

          • Joao

            Não concordo em nada Melina . Mas questão de opinião.

  • Marcelo

    Assisti apenas o primeiro set, mais vi que foi um jogão, o Minas não desistiu em nenhum momento, um time corajoso, virei fã, e espero que continue assim para a próxima temporada… O RJX é uma grande equipe, e tinha obrigação de vencer pelo o orçamento que tem, e não só por isso, mais a equipe mereceu ir a Final pelo o ótimo desempenho na classificação. Agora falando em Final entre o Sada e o RJX, fico em cima do muro, assim como estou na final feminina, são times muito fortes, com características diferentes, que podem surpreender, só sei que estou esperando um 3X2 para as 2 finais…Se não for esse final de semana que morro infartado, será o próximo…rsrsrsrsrs

  • Um jogo e tanto. Nervoso, com inseguranças dos dois lados mas um pouco mais do lado do Minas que lutou à altura mas acabou se afobando. Sou torcedora fanática do Minas e ainda que não tenham ido à final fizeram uma bela superliga. Tive a oportunidade de ir à Arena Vivo nas férias de fevereiro e vi dois ótimos jogos da equipe. Agradeço aos atletas e comissão técnica pelo que ofereceram a seus torcedores. Que o trabalho continue. Pedido: não deixem o Lucarelli ir embora.

    • Emanuella

      Bem lembrado, espero que entre um patrocínio só para manter o Lucarelli. Ele não deveria sair do Minas de jeito nenhum.

      • Marcos

        Se ele sair, vai fazer bobagem. Em Minas, ele é rei, tem uma baita estrutura por trás. Sair para se aventurar, para pegar mais mídia, seria ruim para ele (e para o Voleibol brasileiro).

  • Camila

    O reporter do Sportv disse que a diretoria do Minas já disse que só depende do “sim” dele pra ele continuar temporada que vem!

  • Adriano

    A única coisa a lamentar é que o jogo não tenha ido pro tie-break. Acho que merecíamos isso. Mas, no mais, foi uma bela série. O Minas foi bravo indo buscar o jogo no terceiro set, mas hoje não era o dia deles. O Filip não estava numa noite boa, e isso fez muita diferença. Já o RJX sacou muito bem e conseguiu fazer a defesa funcionar. Não tem ponteiros matadores – nem oposto, na real -, mas se viram muito bem na trucagem. Interessante que até não foi uma atuação espetacular do Lucão também, mas mesmo assim o time foi superior a maior parte do tempo, sempre fazendo prevalecer o jogo coletivo. Eu destacaria o Riad, o Thiago e o Bruno.

    Muito emocionante a entrevista do Marcelinho ao final do jogo, também. É um grande cara.

    Agora, nessa final… eu não sei. Por tudo que mostrou na semi, o Sada deveria entrar com um leve favoritismo. É o time mais espetacular, mais impressionante. Mas o RJX também impressiona, pela consistência, pela obediência tática e pelo jogo coletivo.

    Se eu fosse me reportar aos grandes confrontos da década passada, pelo estilo dos dois times, diria que o Sada está para a seleção brasileira como o RJX está para a seleção norte-americana. O Brasil sempre impressionou pela força, velocidade, habilidade, criatividade, que é a marca do jogo dos mineiros. Em compensação, os Estados Unidos com freqüência conseguiram equilibrar isso no confronto direto, apresentando regularidade, estabilidade mental e eficiência no sistema defensivo.

    Vejo a disputa da final um pouco dessa forma e, por conta disso, embora veja o Sada um pouco à frente, não me surpreenderei se der RJX. O RJX não é o melhor time, mas é o time que consegue melhor usar as próprias características a seu favor.

    • FABIO

      Adriano, que comentário sensato. Penso exatamente isso.

      Mas se fosse para escolher um favorito diria que o Cruzeiro por tudo que disse. Apenas acho que o conjunto da equipe mineira é superior ao RJX.

      Parabéns!

    • Marcos

      Bacana o comentário.
      O RJX tem, sim, consistência, mas não vejo um jogo coletivo de destaque. O jogo se baseia no saque fortíssimo, bloqueio excelente (mesmo sem o Lucão na rede), defesa bem posicionada. Até aí, fazem o arroz-com-feijão. O salto seria um ataque surpreendente, mas não têm isso. O passe fraqueja muito (especialmente com saques táticos no ponteiro que está na rede), os opostos não definem muito (tudo bem que recebem, em geral, bolas lentas e com bloqueios montados) e o jogo fica centralizado no meio (boa essa frase, hein?), de modo que não vejo um jogo coletivo de destaque.
      Os times americanos, historicamente, têm, sim, um jogo coletivo de destaque, baseado em saque/bloqueio/defesa, em ataques divididos e muita tática. Lembra, sim, o RJX (exceto a parte tática). O Sada parece muito com o voleibol brasileiro, vocÊ tem toda razão: levantador muito bom, ousado (mas consciente) e rápido. Centrais rápidos, com bloqueio tático (não técnico, por isso, fazem poucos pontos diretos, mas proporcionam muitos contra-ataques). Defesa e recepção excelentes (são a base do jogo). Ponteiros habilidosos e rápidos. Oposto que joga em velocidade, embora não seja o “cara da definição”. Sim, lembra demais a “escola brasileira de voleibol”.

    • Marcos

      Sobre o Marcelinho:
      Já comentei muito sobre ele aqui e já disse que não gosto dele, embora reconheça que, esse ano, o cara jogou muito.
      Eu vejo diferente a entrevista dele: ele desabafou, dizendo que “estavam querendo aposentar ele, que toda hora diziam que ele tinha 38 anos…” Ora, nunca vi ninguém falar isso dele, ou sequer criticá-lo. Só vi elogios o ano inteiro para ele, merecidos, é verdade. Ele disse também “tenho condição de jogar de igual-para-igual com qualquer levantador do mundo…” isso me pareceu mágoa, ou recalque, especialmente pela atenção que seu maior rival teve durante todos esses anos.
      De modo que eu acho que a entrevista, ao invés de ser emocionante e trazer um pouco de humanidade para os nossos ídolos, foi meio “queima-filme”. Ele terminaria a temporada por cima se falasse somente do jogo, da sua excelente forma, etc, sem atacar seus críticos, mesmo porquê, na verdade, não conheço nenhum.

      Tomara que ele continue jogando por bastante tempo e nos brindando com a enorme qualidade dele dentro das 4 linhas.

    • Gustavo

      Concordo em parte pelo que disse. Realmente, o Minas não estava tão inspirado quanto nos dois primeiros jogos da série. O Filip errou mais, foi mais instável, embora também o bloqueio e a defesa do RJX estavam funcionando melhor. Quiroga e Maurício também foram mais consistentes nos jogos anteriores. Mas apesar disso tudo, mesmo assim, se não tivesse errado o tanto que errou e sido mais agressivo no saque, o MTC poderia com sobras ter levado o jogo para o quinto set, era com certeza uma equipe melhor pelo conjunto e volume de jogo, mas, infelizmente, não foi assim. Fato é que, pela terceira vez consecutiva, o time mineiro chega à semifinal e, dessa vez, em especial, chegou bem próximo da final inédita contra o SADA. Bom sinal, o time masculino do MTC a cada temporada parece crescer mais, evoluir, e sem um investimento exuberante, pois não é necessário, mas com contratações inteligentes.

      Acredito que o time do SADA seja mais parecido com a seleção dos EUA do que o RJX. É característica da seleção americana jogadas de velocidade, como as que o William realiza com os centrais e as bolas rápidas nas pontas, lembrando muito bem os ponteiros americanos como o Priddy e o Anderson. Outro detalhe é a presença de um oposto rápido, forte e habilidoso, que é o caso do Wallace pelo Sada e do Stanley pelos EUA, que acredito ser ainda um dos melhores opostos do mundo senão ainda o melhor em atividade com um saque extraordinário! Centrais americanos não são tão fortes como os do RJX, mas são rápidos e ágeis assim como os do SADA. A relação entre saque, defesa e bloqueio no SADA confere muito volume de jogo, assim como nas seleções dos EUA, que ao meu ver apresentam muito mais volume de jogo do que o Brasil. Um dos pilares táticos da seleção norte-americana é fazer o adversário jogar, colocar a pressão para o outro lado até o time cançar e perder o foco. Times mineiros apresentam um volume de jogo espetacular, não há bola perdida. Americanos são mais aguerridos em quadra, não se destacam tanto pelos talentos individuais e sim pela força do grupo, como o Cruzeiro.

      No que o RJX aparenta mais com os EUA é o fato de serem mais frios em quadra em relação às situações de jogo, pois se reorganizam psicologicamente mais rápido perante as adversidades de uma partida, enquanto vejo que o Cruzeiro é mais sangue quente, dependendo da situação pode perder a concentração. O time carioca me lembra um pouco o estilo russo: saques forçados e bloqueio pesado o tempo todo, com centrais com muita potência e fortíssimos no bloqueio, com ponteiros de boa técnica. Deve haver um pouco de Brasil nos dois, mas até pelo elenco do RJX, o time carioca apresenta mais da metade de seu grupo com jogadores da seleção brasileira, o que indica naturalmente um estilo mais parecido.

      Vôlei é um esporte coletivo, de grupo, de união. Isso é o que interessa, portanto, penso que o SADA leva uma imensa vantagem nesse quesito. Se não perderem o foco, a concentração, utilizando o saque, que é a sua arma mais poderosa, acho muito complicado o time carioca equilibrar o confronto, pois a principal arma do RJX é o Lucão e sem Lucão o time desmorona.

      • Melina

        Quanto ao MTC, para mim o grande diferencial foi o emocional. Não é de hoje que eles se demonstram instáveis emocionalmente e isso ficou claro no 2º set. Eles fizeram um grande 1º set e por questão de detalhes perderam, mas estavam no jogo. Só que, não sei se foi por conta do lance polêmico da condução do Lucão, eles perderam a cabeça e “surtaram” no 2º set. Depois, conseguiram reverter no 3º, mas voltaram a se afobar no 4º. Espero que o próximo time tenha mais controle emocional na próxima temporada.

  • Melina

    Muito orgulho do MTC. Agora é ver se a Vivo vai se dispor a pagar mais para o Lucarelli não debandar para o Sesi, porque ele não pode sair do MTC de jeito nenhum. E o Marcelinho, que grande atleta, é muito gratificante ter um capitão como ele no time.

  • Lucas

    A final será aonde?

    • Daniel Bortoletto

      Maracanãzinho

      • Jairo(RJ)

        Daniel,
        Já começou a venda de ingressos?
        Serão só 5.000 ?
        Você estará lá ou na CBN?

        • Daniel Bortoletto

          venda ainda não foi anunciada.

          estarei na CBN amanhã sim, a partir das 9h

  • César Castro

    Olá a todos!

    Ainda me impressina como ninguém dá ouvidos ao técnico do RJX. Ele fica aos gritos quando está todo mundo a meio metro de distância. Por que?
    Vou torcer para o Cruzeiro nessa final, mas que vença o melhor!

    • Voleyball

      César, observei isso nos pedidos de tempo. os caras ficam rodando e o tecnico falando feito bobo, ninguém dá a minima.
      teve uma situação que ouve um ponto do RJX e ele foi focalizado pedindo a equipe: junta, junta.
      Parece que tem algo pesando muito neles.
      Infelizmente o Minas jogou mal, as duas bolas batidas pra fora no 1º set (Quiroga e Lucarelli) decidiram o jogo.
      Agora é aguardar a proxima temporada!
      Esse time do RJX não dura muito, equipes que aparecem e somem na mesma velocidade.

      Se os jogadores não fossem tão arrogantes, teriam mais torcida na final contra o Sada, mas desse jeito, conseguiram a antipatia de muita gente.

      Valeu Minas! Na proxima estaremos com vcs, alias, quem participou do campeonato Brasileiro de Clubes, Liga Nacional e Superliga desde os anos 60???

      • Jairo(RJ)

        Só uma observação. O Maracananzinho está com capacidade de público reduzida por conta de obras visando copa e olimpíadas em seu entorno.

      • Luiz

        No primeiro set, eu nem condeno as duas bolas para fora do Minas, mas sim a atitude do árbitr de não ter marcado a condução do Lucão. RJX está levando isto na mão grande, a superliga inteira.

      • Joao

        O RJX esta jogando sabendo ja que o time talvez não terá muito futuro…..Você acha que é fácil para os jogadores?
        Você acredita que porque eles são jogadores da seleção não estão treinando e se esforçando como qualquer outro jogador? Que eles não têm sentimentos ou preocupações?
        Acho ridículo esse comentário
        Outra coisa …. o treinador tem a equipe nas mãos SIM e é muito competente.

    • Marcos

      César:

      Você falou exatamente o que eu acho e que venha falando aqui há algum tempo: infelizmente o Marcelo não está bem no RJX. Os jogadores não o escutam, e não é de hoje, não, é na Superliga inteira. No começo era ainda pior, especialmente o Lucão, o Dante e o Thiago Alves. Chega a ser constrangedor. Mais um dado para essa análise: você viu onde ele foi quando o jogo acabou? Para a arquibancada, comemorar com a família dele, que estava tremendamente emocionada. Não é um indicativo que o grupo não está nem um pouco unido com seu treinador?

      Eu não acho que ele enxergue bem o jogo, mas reconheço que ele é ótimo na montagem do time no dia-a-dia. Ano passado, no Minas, quando ele montou o time que ele quis, (trazendo Filip, Orestes, Marcelinho e Manius no lugar de Canha, Holmes, Marlon e Diogo/Ezinho/Zanuto), o time me surpreendeu muito, embora eu tenha visto várias falhas dele durante o jogo (especialmente inversões em horas erradas). Esse ano, ele tinha tudo para subir um patamar no Minas, mas cedeu ao canto da sereia no RJX e se deu muito mal profissionalmente.
      Enfim, torço para que ele reencontre o seu caminho, mas “profetizo” que ele sairá do RJX no próximo ano…

MaisRecentes

Os seis jogos finais do turno da Superliga masculina



Continue Lendo

Os duelos da Copa Brasil feminina



Continue Lendo

Lances do clássico Vôlei Nestlé x Sesc



Continue Lendo