25-2! Em plena Copa do Mundo



O placar do título deste post beira o surreal. Mas aconteceu na quinta rodada da Copa do Mundo feminina, competição que classificará duas seleções para a Rio-2016. As reservas dos Estados Unidos venceram hoje a Argélia por 3 a 0, em Matsumoto (JAP), com parciais de 25-7, 25-2 e 25-5.

Ou seja: as americanas levaram apenas 14 pontos em três sets.  Do total, sete foram em erros do time de Karch Kiraly. As argelinas então fizeram sete pontinhos, todos no ataque. Nadira Ait Oumghar, a maior pontuadora, terminou com três, em 22 tentativas. Safia Imadali recebeu o mesmo número de bolas e colocou duas no chão.

Imagem do jogo entre EUA e Argélia (FIVB Divulgação)

Imagem do jogo entre EUA e Argélia (FIVB Divulgação)

Difícil fazer qualquer tipo de análise mais séria neste cenário. O abismo existente entre duas seleções em uma competição que vale vaga nos Jogos Olímpicos é enorme. Talvez sirva ao menos para que todos reflitam sobre o processo de inclusão dos participantes e o número de concorrentes da Copa do Mundo. O espírito olímpico prevalece e são contemplados com vagas todos os continentes. Este será sempre um argumento válido. Então, 12 seleções brigam por duas vagas. Mas na verdade no máximo seis, forçando um pouco a barra, estão na disputa. A outra metade está no Japão sabendo não tem chance alguma. E pior: ainda corre risco de uma vexame constrangedor como o da Argélia. Vale a pena? Ou não seria melhor seguir o ranking mundial e fazer uma competição bem mais forte? Até porque, vale lembrar, a Olimpíada terá representantes de todos os continentes e a Argélia terá sua seletiva local para derrotar Quênia (que está na Copa também!!!), Egito, Tunísia, etc.

Hoje, o Peru perdeu um set para a China por 25-11. O Quênia perdeu por 25-12 para a Argentina. A Rússia fez 25-13 em Cuba. Vejam o nível das partidas!

No único jogo da rodada que não terminou 3 a 0, o Japão venceu a República Dominicana no tie-break. Na classificação, a Rússia segue na frente com 14 pontos, um a mais do que os Estados Unidos. Japão e China somam 12, enquanto a Sérvia tem 11. São os cinco que brigam de verdade pelas duas vagas no Rio.

Em tempo: Argélia e Quênia seguem com zero após cinco jogos. E creio que uma delas só irá pontuar na competição após o confronto direto.

 



  • Vicente

    Estados Unidos – Argélia! Em plena Copa do Mundo. Acho que o blogueiro não entende nada de vôlei e fica endeusando as americanas, por causa de um set ganho com facilidade diante de uma da seleções mais fracas e inexpressivas do cenário mundial do voleibol.

    • Rodrigo Rodrigues

      Onde que o blogueiro está endeusando as americanas?

  • jsg

    Desnível técnico enorme. Poderia mudar o nome pra Copa FIVB e realiza-la entre as 12 primeiras colocadas do Ranking dessa entidade. Teriamos hoje, uma competição com EUA, BRASIL [que poderia participar, visto outras seleções com vaga olimpica garantida já participaram da copa ], China, Japão, Itália, Russia, Servia, Rep. Dominicana, Turquia, Coreia do Sul, Alemanha e Thailandia. Seria muito mais interessante e valeria o pódio [ouro, prata e bronze] conquistarem a vaga olímpica. Equipes africanas, sul americanas e da Nocerca terão suas seletivas locais para se enfrentarem e conquistarem uma vaga olímpica.

  • Vicente

    Estados Unidos – Argélia! Em plena Copa do Mundo. Diante de uma das seleções mais fracas e inexpressivas do cenário mundial do voleibol, ganhar de 25 – 2 é mais do que obrigação de uma seleção atual campeã mundial.

  • Edu

    Isso me leva a considerar, grosseira comparação, que se somar o que estão jogando Rosamaria,Joycinha e Monique Pavão ,juntas,não da nem 50% do que hoje joga a Karsta Lowe, oposta da seleção dos EUA,que nem é profissional efetivamente de voleibol ainda.Já que finaliza sua experiencia universitária sendo terminantemente proibida qualquer pagamento financeiro a atletas nessa situação pela legislação esportiva daquele pais.Se pegarmos sua reserva e antiga titular, Nicole Fawcett, e juntarmos as performances das três da no máximo uns 75% da performance técnica da suplente estadunidense.

  • Jorge

    Análise séria? O “jornalista” nem se deu o trabalho de citar o motivo da Algéria não ter enviado a seleção principal para o torneio, criticar por criticar qualquer um crítica.

  • A lI

    O nome do torneio não é COPA DO MUNDO?
    Então tem que participar seleções do mundo inteiro e pronto!
    Chega de exclusão!
    Querem excluir as africanas porque elas são fracas, qual é o problema, só porque é fraca tem que obrigatoriamente ser excluída?
    A África já foi explorada e excluída durante séculos pelos Europeus, querem excluí-la da COPA DO MUNDO também?
    Isso é um pensamento nazista. Hitler pensava assim!
    Hitler adorava excluir os “mais fracos”!
    Mesmo que seja para tomar surra das seleções mais fortes, que tomem sua surra felizes por estarem ali participando e não sendo excluídas como sempre, mas que participem da festa que é jogar uma COPA DO MUNDO, que isso não fique restrito às americanas, europeias e asiáticas.
    Isso me faz lembrar da minha escola que tinha mesas de PING PONG e os garotos que jogavam melhor não queriam deixar os ditos “CAFÉ-COM-LEITE” jogar. Sempre que eu estava na mesa jogando, eu insistia para que os “CAFÉ-COM-LEITE” jogassem também, e dizia: mesmo que eles percam de levada, deixem eles jogarem, mesmo que percam de 11×0 deixem os caras brincarem também!
    Hoje em dia muito desses “café-com-leite” são pessoas maravilhosas, bem sucedidas profissionalmente e, acima de tudo, grandes amigas. Ganhei essas belas amizades incluindo essas pessoas na brincadeira, mesmo sendo as tais “café-com-leite” que todo mundo que fazer questão de excluir!
    O que dizer de Mercy Moim ponteira-passadora do Kenia que vem sendo a maior pontuadora da Copa do Mundo? Ela está mostrando serviço mesmo estando fora das equipes favoritas.
    Outro post que eu achei meio estranho e com ar de “buyling” foi a do levantador árabe gordinho.
    Sempre que falam de gordinhos do vôlei, lembro-me logo do mais famoso deles: o oposto búlgaro Lyubomir Ganev, ou carinhosamente Lubo.
    Lubo tem 2,10m e pesa 165kg, nasceu em 06/10/1965 e jogou pela Blugária de 1985 a 1998.
    Ganev foi o MVP das Olimpíadas de Atlanta 1996. Suas principais características era a força do ataque e do saque.
    Ganev foi um dos maiores sacadores do mundo, jogou por vários na Liga Italiana e a média de seu saque era de 130 Km/h, devido à sua mão pesada, ao pé da letra! E põe pesada nisso!
    Quando jogava na Itália, o presidente de seu clube o desafiou: “Para você fazer 5 aces num jogo é normal, mas se eu pago 100.000 liras (equivalente a 50 euros hoje) por cada ace extra e jogo era contra um dos time top da Itália na época. Ganev fez 7 aces em único set e 11 pontos no jogo.
    Outros gordinhos famosos são a líbero Suelen, a levantadora Lindsey Berg dos EUA.

  • A lI

    Antes de ficar zoando as argelinas que levaram 25×2 dos EUA ou 25×3 da Sérvia, é importante ressaltar que elas já são vitoriosas por serem esportistas, mulheres e muçulmanas ao mesmo tempo.
    Difícil fazer qualquer tipo de análise mais séria neste cenário?
    Realmente deve ser difícil fazer uma análise séria para quem é preguiçoso ou tem a mente fechada para o que significa para a oprimida mulher muçulmana ser representada numa COPA DO MUNDO DE VÔLEI.
    Talvez sirva ao menos para que todos reflitam sobre o processo de inclusão dos participantes e o número de concorrentes da Copa do Mundo?
    A começar por você Daniel, que deveria muito refletir sobre o que significa “processo de inclusão” e não de “exclusão”. Deveria refletir também sobre o que significa o nome “COPA DO MUNDO”. Deveria refletir também sobre a importância de representantes de todos os continentes e diferentes culturas estarem presentes na COPA DO MUNDO!
    O espírito olímpico prevalece e são contemplados com vagas todos os continentesi?
    A distribuição foi justa: 2 para América do Sul,2 para América do Norte, 2 vagas para Ásia/Oceania, 2 para Europa e 2 para África. Queria ver o que? Somente europeias, asiáticas e os EUA lá? E deixar seleções como a da Argélia e Cuba de fora?
    Então, 12 seleções brigam por duas vagas. Mas na verdade no máximo seis, forçando um pouco a barra, estão na disputa. A outra metade está no Japão sabendo não tem chance alguma. E pior: ainda corre risco de uma vexame constrangedor como o da Argélia. Vale a pena? Sempre vale a pena, porque mesmo que percam suas partidas para as equipes mais fortes por placares elásticos, o ideal nazista da exclusão não deve prevalecer. Afinal de contas independente de quem esteja “incluído” ou “excluído”, as campeãs sempre serão as melhores, pois em torneio de pontos corridos, todos-contra-todos, não tem como as melhores seleções não estarem no pódium.
    Daniel se você não quer ver a Argélia na COPA DO MUNDO, simplesmente não assista ao jogo delas. Mas o que essas argelinas, mesmo perdendo de 25×2, representam para a mulher muçulmano vale muito.
    As argelinas estão na COPA DO MUNDO para dizer para as mulheres que:
    -Sim, nós somos muçulmanas e estamos aqui, apesar de toda a perseguição que sofremos da sociedade machista que restringe nossos direitos e nos persegue.
    -Vocês já pararam para pensar o quanto uma mulher muçulmana sofre só por querer estudar ou ser esportista. O quanto são perseguidas por grupos radicais como ESTADO ISLÂMICO, TALIBAN, BOKO HARAM etc…
    -Vocês se lembram que no IRAN, as mulheres sequer podem assistir ao jogo da seleção masculina? A iraniana Ghoncheh Ghavami foi presa em junho por tentar assistir a um jogo de vôlei masculino entre Irã e Itália pela Liga Mundial, dez dias depois foi condenada a um ano de prisão. O caso gerou protestos internacionais e até reclamações da Federação Internacional de Vôlei (FIVB), presidida pelo brasileiro Ary Graça. Ghoncheh Ghavami também tem cidadania britânica, porém a dupla nacionalidade não é reconhecida no Irã. A família informou que ela fez greves de fome durante o período em que esteve presa.

    É para protestar contra esse tipo de coisa que as argelinas merecem estar na COPA DO MUNDO, para ser um símbolo de liberdade e igualdade para as mulheres muçulmanas e de outras culturas.

    Daniel você disse que: A Rússia fez 25-13 em Cuba. Vejam o nível das partidas! Mas você esqueceu que as cubanas são “as únicas TETRA-CAMPEÃS da COPA DO MUNDO”. E só por que agora elas estão na ENTRESSAFRA você não as quer vê-las na COPA DO MUNDO? O mundo da voltas… Do mesmo jeito que o Brasil hoje é BI-CAMPEÃO OLÍMPICO, o que garante que após 2016 não virá uma época de VACAS MAGRAS?

    E por isso, o Brasil deveria ser também excluído?

    As olimpíadas foram criadas na Grécia antiga para se dar uma trégua nos conflitos e jogos são para INCLUIR e não para EXCLUIR. É importante frisar que os anÉis olímpicos representam todos os continentes, ou você acha que só a elite tem vez e os outros tem que ser BARRADOS NO BAILE???

    • Daniel Bortoletto

      Zoar? Isso apenas é notícia, meu caro. Ou vemos todo dia 25-2 em um torneio internacional?

    • silas antares

      Meu caro, vc disse sábias e oportunas palavras para esse comentário infeliz do bloguista. E já iria comentar igualzinho. Parabéns. Precipitou-se Daniel!!.

    • Nei

      Tiro meu chapéu. O Daniel nesta semana se mostrado tão “diferente”. Será que é ele mesmo que está redigindo os posts?

      • Daniel Bortoletto

        Seja mais claro e sem ironias

  • jsg

    Até a 5* rodada, a minha seleção do campeonato é:
    Banwarth
    Maja Ognjenovic
    Sthevanovic
    Rasic
    Kosheleva
    Mihajlovic
    Goncharova

    Que pena que essa seleção sofreria no passe, mas no ataque é Espetacular.

MaisRecentes

Joelho afastará Gabi das quadras



Continue Lendo

As primeiras transmissões da Superliga na TV



Continue Lendo

Vaivém: Thaisa jogará a Superliga



Continue Lendo