22 e contando



E ninguém para mesmo o Molico/Osasco na Superliga feminina.

Na noite de sexta, a invencibilidade subiu para 22 partidas, no José Liberatti, após um disputado duelo com o Vôlei Amil: 3 sets a 1 (25-23, 22-20, 17-21 e 21-17).

E olha que não tivemos atuações memoráveis de Sheilla e Thaisa, tão acostumadas com o protagonismo em jogos do Molico. A central marcou 14 pontos (apenas dois no bloqueio), enquanto a oposto anotou 12. Caterina, apesar de uma noite de mais baixos do que altos no passe, foi eleita a melhor em quadra, após terminar com 14 acertos.  Foi bem em algumas viradas de bola, principalmente, no quarto set, e assim faturou o troféu.

Já o Vôlei Amil segue muito dependente de Tandara. Ontem foram 23 pontos, mais do que Natália e Kristin juntas (11 e 8, respectivamente). Para tentar ir longe nos playoffs, o time campineiro precisa de um pouco mais de equilíbrio. E o meio de rede precisa aparecer bem mais. Carol Gattaz, por exemplo, terminou a partida com apenas três pontinhos. Muito pouco. O ponto positivo é ter conseguido um bom volume de jogo contra um rival ofensivamente tão poderoso. Se tivesse concretizado algumas defesas em pontos, poderia ter deixado Osasco com um resultado positivo.

O jogo tão aguardado deixou a desejar. Foram muitos erros: passe, saque, levantamento, ataque… E olha que tínhamos em quadra a base da Seleção e estrangeiras de peso. Em alguns momentos, parecia ser rodada de abertura dos Jogos Regionais.

Espero bem mais dos dois nos playoffs!

PS – Vitórias de Sesi, Pinheiros, Banana Boat/Praia Clube… E assim a briga por um melhor lugar nos playoffs segue acirrada do quarto lugar em diante: Sesi (41 pontos), Pinheiros e Praia (37), Brasília (35) e São Caetano (34). Tudo ainda pode acontecer!



MaisRecentes

Giovane encaminha manutenção do vôlei carioca na Superliga



Continue Lendo

Basta! Nada justifica ameaças de morte



Continue Lendo

As duas formas de ver o novo Sesi



Continue Lendo