22 e contando



E ninguém para mesmo o Molico/Osasco na Superliga feminina.

Na noite de sexta, a invencibilidade subiu para 22 partidas, no José Liberatti, após um disputado duelo com o Vôlei Amil: 3 sets a 1 (25-23, 22-20, 17-21 e 21-17).

E olha que não tivemos atuações memoráveis de Sheilla e Thaisa, tão acostumadas com o protagonismo em jogos do Molico. A central marcou 14 pontos (apenas dois no bloqueio), enquanto a oposto anotou 12. Caterina, apesar de uma noite de mais baixos do que altos no passe, foi eleita a melhor em quadra, após terminar com 14 acertos.  Foi bem em algumas viradas de bola, principalmente, no quarto set, e assim faturou o troféu.

Já o Vôlei Amil segue muito dependente de Tandara. Ontem foram 23 pontos, mais do que Natália e Kristin juntas (11 e 8, respectivamente). Para tentar ir longe nos playoffs, o time campineiro precisa de um pouco mais de equilíbrio. E o meio de rede precisa aparecer bem mais. Carol Gattaz, por exemplo, terminou a partida com apenas três pontinhos. Muito pouco. O ponto positivo é ter conseguido um bom volume de jogo contra um rival ofensivamente tão poderoso. Se tivesse concretizado algumas defesas em pontos, poderia ter deixado Osasco com um resultado positivo.

O jogo tão aguardado deixou a desejar. Foram muitos erros: passe, saque, levantamento, ataque… E olha que tínhamos em quadra a base da Seleção e estrangeiras de peso. Em alguns momentos, parecia ser rodada de abertura dos Jogos Regionais.

Espero bem mais dos dois nos playoffs!

PS – Vitórias de Sesi, Pinheiros, Banana Boat/Praia Clube… E assim a briga por um melhor lugar nos playoffs segue acirrada do quarto lugar em diante: Sesi (41 pontos), Pinheiros e Praia (37), Brasília (35) e São Caetano (34). Tudo ainda pode acontecer!



  • edu

    Caro Daniel, também é preciso louvar a performance da Sanja que esbanjou tranqüilidade ao estabilizar o passe, mesmo sendo o alvo preferencial dos saques do Amil.Atacou , defendeu como uma leoa e até preparou contra ataques.Fabíola fez uma partida muito boa e bloqueou demais.Hoje é indiscutivelmente o melhor saque do
    Molico.Adenizia fez uma partida lastimável tanto no ataque e defesa.Thaisa foi cuidadosamente marcada e Brait ficou na esfera do regular e menos do que se espera dela.Sheila,inconstante,anda preocupando principalmente no saques, a maioria certeira bem no centro da rede.Na final do Sul Americano conseguiu a proeza de errar quatro consecutivos da mesma forma.Mesmo assim é um time muito bem treinado que quando da liga consegue ser amplamente superior aos seus adversários.Em relação a Tandara, implacável no ataque,é visível que ela perde muito vigor no volume de jogo,pela exigência da explosão física freqüente, na transição para o terceiro set

  • Lilika

    …isso por quê no início da temporada fizeram pouco caso das estrangeiras do Osasco, fazendo comparações imbecis (coisas de fã) na época com as estrangeiras do time do Rio de Janeiro…agora estão vendo aí as coisas engrenarem de um lado e do outro as jogadoras virando “mão de alface”… parabéns ao Osasco, ao Campinas também… mas foram muitos erros dos dois lados de fato, vi também uma babação de ovo daquela emissora para com o Zé Roberto (lembram-se que quem tinha direito a essa “sessão puxa-saco” até o ano passado era só o Bernardinho?!? Pois é, parecem estar mudando de lado agora…); e, finalmente, esse ano tem cara de ter uma final de times paulistas, coisa que há décadas não vemos…assim sai da mesmice, pois sempre a “sessão puxa-saco” na final fica para o lado do Rio né, já ficou chato a coisa kkkk – então torço para ser diferente esse ano a final…e Tandara dando seu “show”, Natália (Campinas) e Adenízia (Osasco) apagadas…enfim nem sempre todas estão bem num mesmo jogo, o que importa é o conjunto funcionar…bjs.

  • Luiz

    Pois é… o Osasco segue imbativel e somente a Unilever, no ultimo jogo, pode ameaçar a invencibilidade do time nessa fase de classificação… o que eu acho bastante dificil, levando em conta que a equipe carioca faz uma campanha irregular… mais jogo é jogado e tudo pode acontecer!!!
    Pois bem. Osasco e Campinas, promessa de jogão e… incontaveis erros de passe dos dois lados, precipitações na definição dos contra-ataques e erros de saque abusivos. Foi assim que ficou marcado o jogo dos lideres da classificação.
    Do lado do Osasco, Sheilla e Thaisa foram muito marcadas. Zé Roberto deve ter virado a noite montando taticas para marcar as principais pontuadoras do Osasco. A equipe deixou a desejar nos bloqueios. É imperdoavel como as centrais, mesmo sabendo que o Volei Amil é dependente da Tandara, chegavam atrasadas para bloquear a maior pontuadora da competição. Sobrou para Fabiola o destaque da equipe em bloqueios na partida. Aliás, Fabíola jogou bem, mas acho ela inconstante em alguns momentos da partida, principalmente nos levantamentos dos contra-ataques. Pra mim, o ponto forte da partida foi ver como as estrangeiras estão jogando soltas. Sanja ganhou consistencia na recepção e Caterina, o grande destaque, cresceu no fundamento ataque.
    Do lado de Campinas, Tandara, Tandara e mais Tandara… é incrivel como o time depende dessa jogadora. É uma jogadora muito completa e que assim como Thaisa e Garay, depois que foi campea olimpica tá voando!! Claudinha fez uma boa distribuição (principalmente pra Tandara), sendo até mesmo, elogiada pelo ZRG, que nos jogos anteriores parecia que ia engolir a menina, tamanha pressão que colocava pra cima dela. Natália e Kristin fizeram o que estava ao alcance delas, mas precisam assumir mais o ataque pra não jogar toda a responsabilidade pra cima da Tandara. Agora verdade seja dita… o Campinas carece de centrais!!! Nem Walewska, nem Gattaz e nem Angelica estão dando conta do recado. Prova disso são as baixas pontuações das meios, não só na partida de ontem, como nas demais.

    Superliga se encaminhando para a fase final e na minha opinião 4 times são fortes candidatos ao titulo (por ordem): Osasco, SESI, Campinas e Rio de Janeiro. Alias, queria destacar aqui o SESI, que esteve no fundo do poço e esse ano ja venceu os demais. Pra quem achava que a equipe paulista já tinha assinado atestado de “órbita”, ele esta mais vivo que nunca.

    Abraço a todos

  • Alex Miranda

    Realmente não foi o grande jogo que se esperava ver, afinal, estavam em quadra nada mais nada menos que o líder e vice líder da competição, fortes candidatos ao título. Porém, num jogo em que Sheila e Thaisa não jogaram em alto nível, Adenízia não apareceu no bloqueio, Camila Brait não estava na sua melhor perfomance e Sanja jogou o básico, o adversário conseguiu jogar pior e errar tanto ou mais que o time adversário. Resultado, o Amil Campinas não soube aproveitar a oportunidade de ganhar e pesou a camisa do Molico Osasco.
    Hoje o Molico Osasco é líder isolado e mesmo que perca para o Unilever Rio ou aconteça um zebra de perder para qualquer outra equipe menos expressiva (acho difícil), não vejo a sua liderança ameaçada.
    Bom, acredito que o Molico Osasco esteja sim na final, porém, pela atual classificação do Campeonato temo que mais uma vez não fugiremos da final que acontece ha décadas, Osasco x Rio, ainda que Amil Campinas e Sesi-SP estejam jogando melhor que o Unilever Rio.
    Se as quartas de finais fosse hoje, teríamos Molico Osasco x Sesi-SP e Amil Campinas x Unilever Rio. Ou seja, no último instante a estrela de Bernadinho brilha e o time dele vai a final e ainda fatura o título. Ou vocês se esqueceram que na temporada passada o Sollys Osasco tinha toda, sim eu disse TODA A BASE DA SELEÇÃO BRASILEIRA e teve a proeza de perder para o Unilever Rio.
    Enfim, o campeonato está mesmo interessante a partir da quarta colocação (Sesi-SP, Pinheiros, Praia Clube/Banana Boat, Brasília e São Caetano). Alguns, que estiveram muito bem no primeiro turno, outros nem tanto, e ai a história se inverteu no segundo turno e com isso temos um sobe e desce constante nessa parte da tabela. O bom de tudo isso, é a nossa SuperLiga fica mais e mais interessante.

    • Edu

      Se Sanja jogou o básico, defendendo magistralmente, atacando e estabilizando a recepção e o passe de preparação melhor que a especialista Gabi imagina quando ela jogar medianamente.Mas é preciso respeitar todas as opiniões.

  • Achei a Sanja a melhor em quadra, acho que foi a que oscilou menos, foi a melhor na recepção, por incrível que pareça, e ainda fez seus pontos de ataque. Acho que entre as duas estranjeiras, eu preferia manter a Sanja, mas acredito que a comissão técnica está mais por optar pela Caterina.

  • carlos antonio pereira

    O time do Molico vem ganhando porque não depende individualmente de nenhuma jogadora e esta vencendo mesmo quando alguma jogadora está mal. Sheilla alterna ótimas atuações com outras bem ruins. Thaisa é a mais regular e Fabíola apesar de algumas vezes se perder no básico rende demais no saque e no bloqueio. Sinceramente não gosto da atual configuração do time de Campinas. A Richards não tem explosão física para ser oposta. Ela é uma jogadora de composição e deveria ter a mesma responsabilidade que a Bosetti tem no Osasco. Tandara realmente rende mais como ponteira, mas não gosto do excesso de bolas que ela recebe. Só vou confiar totalmente nela quando a mesma arrebentar em finais, coisa que a Natália fez duas vezes. Falando em Natália não dá para deixar de destacar como ela está parecendo uma jogadora totalmente comum. Passe mediano e pouco decisiva no ataque. Seria melhor escala-la como oposta tirando-lhe responsabilidades. Gostei demais da atuação da Tenny , melhorou significativamente o passe do time.

MaisRecentes

Dia de aplaudir o Zenit Kazan



Continue Lendo

Praia x Minas e Sesc x Vôlei Nestlé. Quer mais?



Continue Lendo

Agora líbero, Murilo volta a ser relacionado após 8 meses



Continue Lendo