11 vezes Brasil no Grand Prix



1) Belíssima conquista brasileira em Bangkok. 3 a 2 sobre os Estados Unidos (18-25, 25-17, 25-23, 22-25 e 15-9)!

2) Vitória sobre as americanas, principais rivais da atualidade = dar moral para a Rio-2016.

3) Zé Roberto acertou em escalar Léia como titular. Quando o time vinha mal, no segundo set, trocou Garay, que era a maior pontuadora do time, por Jaqueline. Achei que Natália fosse sair, admito. E também deu muito certo. Na volta para o terceiro, surpreende (pelo menos a mim) e volta com Garay no posto de Jaque. E não dá pra dizer que deu errado, né? Mas as inversões de 5-1 comprometeram no fim do terceiro e quarto sets, para sermos justos.

4) Que diferença no ataque fizeram Fabiana e Thaisa no terceiro set! Foi a melhor atuação da capitã na fase final do Grand Prix.

5) Sheilla passou quase um set e meio sem pontuar. Para muitas jogadoras, principalmente opostas, seria um peso difícil de carregar. Ela não apenas suportou como cresceu muito de produção no decorrer do jogo. Buscar a constância é o desafio para a Olimpíada.

Festa brasileira na Tailândia (FIVB Divulgação)

Festa brasileira na Tailândia (FIVB Divulgação)

6) Quebrar o passe americano. Está aí o mantra para os próximos duelos.

7) Dani Lins começou imprecisa. Mas foi corajosa nas escolhas na construção da virada.

8) Na briga por vaga entre as 12 para a Rio-2016, Léia ganha muitos pontos. Titular numa final com os EUA e com atuação bem segura, com algumas defesa espetaculares. Zé sempre disse que a definição da líbero seria penderia para quem transmitisse mais segurança para o restante do time. Neste domingo Léia fez isso muito bem.

9) Kiraly precisa ensinar a Adams a se posicionar na hora do saque adversário. Erros colegiais em dois sets. Ah, me nego a comentar aquelas dancinhas no banco de reservas.

10) Santo desafio! Aquele dedinho que dobrou um pouco no ataque do 24 a 23 do Brasil, que havia sido marcado fora, deu um alívio para alguns milhões de torcedores.

11) 11 itens? Apenas para registrar o 11º título brasileiro no Grand Prix.



MaisRecentes

Sesi joga melhor, bate Sada/Cruzeiro e fatura Supercopa



Continue Lendo

Seleção do Mundial não premiou destaques da final



Continue Lendo

Título coloca a Sérvia no topo após frustração olímpica



Continue Lendo