10 sets depois…



A terça-feira brindou o fã do vôlei com dois tie-breaks e emoção de sobra pelas quartas de final da Superliga feminina.

Em BH, o Dentil/Praia Clube ganhou do Camponesa/Minas e forçou a realização do terceiro e decisivo jogo, em Uberlândia, na sexta-feira. Já em São Paulo, o Pinheiros perdeu em casa para o Molico/Osasco, que se garantiu nas semifinais e agora aguarda Sesi ou Brasília.

O mais emocionante dos tie-breaks foi o do duelo paulista. O Molico abriu quatro pontos (10 a 6), o Pinheiros chegou a virar e vários rallies marcaram os últimos pontos. Até que Thaisa decidiu, com bloqueios, ataques e o ponto final no saque.

A central, inclusive, foi a maior pontuadora do jogo, com 21 acertos. Uma atuação para apagar alguns desempenhos abaixo da média que ela apresentou em diversos momentos desta Superliga.

Pelo valente time do Pinheiros, Ellen marcou 17 pontos. Campeão da Copa do Brasil, o time da capital, comandado pelo bom Wagão, encerra a temporada tendo subido um degrau e se aproximando do grupo dos melhores do país.

Em BH, o jogo não foi tão emocionante, já que as parciais deixam claro que não houve equilíbrio em quatro sets (16-25, 25-17, 27-25, 17-25 e 15-9). Mas sobrou tensão. Ramirez provocando e sendo provocada pela torcida é garantia de emoção. E foi assim com gritos a cada um dos 18 pontos marcados pela cubana. E era com gritos que o Minas respondia quando conseguia bloqueá-la. Mas não foi apenas na base do grito que o Praia venceu.

Ricardo Picinin deixou Tandara (grávida de três meses) no banco, montando a linha de passe com Jú Costa (a melhor em quadra) e Sassá, deixando Ramirez na saída de rede. E o time respondeu bem. Não conseguiu parar Jaqueline (24 pontos), mas foi maduro o suficiente para evitar a eliminação.



MaisRecentes

Coluna: Minas e um dia histórico para o vôlei nacional



Continue Lendo

O tremendo desafio de Minas e Dentil/Praia Clube no Mundial



Continue Lendo

Coluna: Sinal de alerta com as chuvas no Brasil



Continue Lendo