Na contramão da fama, equipes disputam o Torneio de Acesso em busca de um lugar ao sol



Nem de todo glamour e grandes competições vivem os times de futebol. Para se chegar ao topo é necessário muito trabalho duro, dedicação e um pouco de sorte. Para as equipes de e-Sports o caminho é o mesmo. São horas treinando, em uma rotina parecida com os principais times do cenário, mas sem uma Gaming House (Centro de treinamento) e sem uma estrutura de primeiro mundo.

Conversamos com Marcelo Henrique, representante da Stay Gaming, equipe que disputa o Torneio de Acesso em busca de um lugar ao sol, ou melhor, um espaço no Campeonato Brasileiro de League of Legends e ele nos contou como é a rotina do time que está próximo de garantir uma vaga no Circuito Desafiante (2ª divisão do CBLoL).

– Temos treinos diariamente, marcados previamente pela manager. Normalmente 2 blocos por dia, com dois times distintos. Duas vezes por semana, reservamos os horários dos treinos para o teórico, vemos vod, conversamos sobre os nossos jogos e possíveis adversários das próximas etapas, cada um em sua casa – Afirmou Marcelo

Questionado sobre o desempenho e o que uma falta de estrutura pode afetar, Marcelo responde de ‘bate-pronto’ que a internet e um equipamento mais profissional pode ajudar a equipe evoluir ainda mais.

– A nossa maior dificuldade é a falta estrutura, internet, bons computadores e apoio. Precisamos disso para ter melhor desempenho, porém estamos muito satisfeitos com o que conseguimos até agora sem isso, portanto a partir do momento que tivermos, acreditamos que isso melhora muito – Comentou

As principais equipes do cenário possuim uma Gaming House, onde nela treinam e focam 24h para melhorar o nível de habilidade e o desempenho dos atletas. Cada organização profissional hoje, possui um psicólogo, um coach e uma estrutura parecida com a de um clube de futebol.

– A GH tem algumas funções muito importantes, como: a melhoria de comunicação entre os players, controle de alimentação dos jogadores e horários de treino, pode ser assimilado também treinamento em grupo com maior facilidade para união. A GH também evita que os players tenham que se preocupar com outras coisas fora do treino e jogo, quanto maior o foco dentro dos treinos e competições melhor. Além disso, algo muito importante é o psicólogo para os membros do time, pouco mencionado porem de extrema importância. Uma mente estável para os jogos, principalmente em séries longas, que podem causar grande abalo mental durante a campanha é fundamental. Normalmente, um life coach dentro da GH pode mudar muito dentro do jogo, melhorando assim a vida dos players e staff – Comentou

Marcelo ainda apostou na INTZ para ser a equipe campeã do CBLoL. O representante da Stay Gaming finalizou a entrevista comentando o maior desafio de sua equipe no momento:

– O nosso maior desafio nessa próxima etapa é o tempo, na verdade. Alguns times por não termos muitas informações nos representam certo perigo, precisamos administrar o nosso pouco tempo tanto para fazer scout dos adversários quanto treinar nossos player. Afinal, o treinamento é além de macro e micro, também vem do conhecimento do jogo do seu oponente.- Afirmou



MaisRecentes

Novo trailer mostra trama e elenco de lutadores de Marvel vs Capcom: Infinite



Continue Lendo

Companheiros de PSG: Rafifa desafia Neymar e indica a melhor maneira de usá-lo no game



Continue Lendo

Novo gameplay de NBA 2K18 traz atrito entre Durant e LeBron



Continue Lendo