Murilo ‘Takeshi’ conta como foi a preparação do Keyd Stars para o CBLoL 2017



Em conversa exclusiva com o LANCE!, o capitão do Keyd Stars, Murilo ‘Takeshi’, contou como foi a preparação da equipe para a temporada, falou de seus planos para o futuro e afirmou que não faria nada além de trabalhar com e-Sports, inclusive comentou que largou a faculdade de engenharia.

– A preparação em time não foi do melhor jeito possível, já que somente começamos os treinos com esse time em janeiro 2 semanas antes de começar o CBLoL, mas com certeza tivemos uma enorme experiencia individual jogando na Coreia do sul – comentou
Keyd Stars tem um ponto no Campeonato Brasileiro de League of Legends, após empatar com a paiN Gaming na primeira rodada, a equipe conseguiu apenas um empate contra a Remo Brave. Confira o bate-bola exclusivo com Murilo ‘Takeshi’, capitão de um dos principais times de LoL do Brasil.
Qual foi o momento mais marcante durante a sua carreira?

– Acho que o momento mais marcante na minha carreira foi durante a semifinal contra paiN em 2014 ainda quando estava na CNB e a gente não estava muito bem como time, mas tiramos forças de todos os lugares possíveis pra ganhar aquela serie.

Qual foi o desafio mais ‘complicado’?

– O mais complicado seria a primeira split de 2016 na Keyd onde conseguimos chegar na final com um time que ninguém acreditava recheado de novos jogadores.

Como foi a preparação para o CBLoL? O Keyd sempre começa a temporada como uma das favoritas, até que ponto isso ajuda ou atrapalha?

– A preparação em time não foi do melhor jeito possível já que somente começamos os treinos com esse time em janeiro 2 semanas antes de começar o CBLoL mas com certeza tivemos uma enorme experiencia individual jogando na Coreia do Sul.

Você possui um grande número de fãs. Até que ponto isso pode atrapalhar (com cobranças) e até que ponto isso ajuda como fator motivacional?

– Isso não me atrapalha eu diria, tenho muitos fãs que esperam minha vitória e isso me anima muito pra mostrar um resultado positivo pra eles.

O que você faria se não fosse pro player?

– Eu realmente não sei oque faria, tinha começado uma faculdade de engenharia mas não senti que era aquilo que faria pelo resto da vida.

Qual foi a viagem mais divertida que você fez por conta LOL?

– Acho que no bootcamp pra Europa no final de 2015 e inicio de 2016, certamente foi uma viagem que nunca vou esquecer.

Como você vê a evolução do e-Sports? O modelo atual é o ideal? O que precisa ser feito para melhorar ainda mais o cenário?

– Acho que o modelo atual é otimo mas existe algumas mudanças, talvez ter um segundo semestre um pouco mais agitado já que o time que não for pro mundial costuma não ter muita competição. Pra melhorar ainda mais o cenário acho que investir mais e mais no cenário amador pra novos jogadores aparecerem.

Você vem ‘batendo na trave’ algumas vezes no CBLoL, acredita que esse é o ano?

– Sempre acredito que o ano que estou jogando vai ser o ano onde vou conseguir conquistar tudo, caso contrario acho que seria errado da minha parte continuar jogando. Sim esse ano vai!

Alguns de seus antigos companheiros como Manajj, Leko, dentre outros, deixaram o cenário competitivo. Você acredita que existe um momento certo de parar? Você pensa em parar de jogar ou planeja seguir atuando? O que você almeja para seu futuro?

– Acho que depende de cada pessoa, eles já não gostavam mais da rotina de treinos e não tinham mais aquela vontade enorme de jogar o jogo, acho que no dia em que eu parar de ter essa vontade vai ser o dia em que irei parar, por enquanto sei que é isso que quero fazer da vida.



MaisRecentes

Análise Press Start – Marvel vs. Capcom: Infinite



Continue Lendo

Análise Press Start – Destiny 2



Continue Lendo

Análise Press Start – PES 2018



Continue Lendo