LANCE! Avalia como chega Red Canids contra paiN Gaming na semifinal do CBLoL



Hoje é dia de avaliarmos a revelação – ou nem tão revelação assim- do Campeonato Brasileiro de League of Legends. A Red Canids é sem dúvida uma das mais agradáveis surpresas desse CBLoL 2017, e encara no próximo domingo a INTZ, às 13h, visando uma vaga para a final da competição.

A Red Canids começou a temporada sendo o time sensação da competição. O Dream Team formado por Felipe ‘brTT’, Felipe Yoda, Gabriel ‘Tockers’, dentre outros, caiu rapidamente nos braços da torcida. Com boas partidas e vitórias avassaladores, a equipe liderou a fase de classificação até a última rodada, mas perdeu a liderança quando sofreu aos 49 do segundo tempo uma derrota para a Keyd Stars. A matilha, que já tinha garantindo a classificação na penúltima rodada, terminou a primeira fase com cinco vitórias, um empate e uma derrota.

Confrontos contra a paiN Gaming:

Derrotas: 1

Vitórias: 2

Empate: 3

Line-up:

LEONARDO “ROBO” SOUZA:

O jovem Robo provou seu potencial com diversas jogadas espetaculares em 2015, quando ajudou a INTZ Red a se livrar do rebaixamento. Por seu talento, foi contratado pela Keyd Stars, onde está em constante adaptação por sua falta de experiência no competitivo e seu típico jogo agressivo. Após treinamentos com a Keyd na Coreia durante três meses, a mudança de ares jogou a motivação de Robo lá pra cima. Maokai, Shen, Renekton e Rublem foram seus principais picks!

CARLOS “NAPPON” RÜCKER:

Revelado na primeira peneira da CNB em 2014, Nappon foi o grande destaque da equipe por muito tempo – inclusive capitaneando os Blumers. Com emboscadas rápidas e precisas, ele sempre ditou o ritmo das partidas de sua equipe, sendo também um dos alvos preferido dos adversários. Com um Lee Sin e Nidalee ferozes, Nappon tem um estilo ágil que parece um alívio entre o estilo de jogo pesado que sempre ameaça dominar o cenário brasileiro. Kha’zix e Ivern foram seus principais picks até agora no CBLoL.

GABRIEL “TOCKERS” CLAUMANN:

Tockers explodiu para o cenário brasileiro após quase dois anos jogando no cenário semi-profissional. Foi surpresa junto com a INTZ em 2015, e surgiu das sombras para bater de frente com lendas da rota central brasileira, como Kami e takeshi – levando a melhor em muitas oportunidades. Seja com Azir, Zed ou Cho’Gath, ele se posiciona muito bem, o que reflete diretamente no seu bom A/M/A e baixo índice de mortes. Sempre é o porto seguro e o jogador mais regular de sua equipe, mesmo quando a fase não é das melhores. Corki, Ryze e Cassiopeia foram seus campeões mais utilizados.

FELIPE “BRTT” GONÇALVES:

Marra, carisma, dedicação. O atirador que virou um dos maiores personagens do cenário brasileiro grita, provoca, e basta conseguir alguns abates para virar o pesadelo do time rival. Com a mesma força que bate de Draven ou Twitch, marca frases de efeito que contagiam a torcida – desde um “O que é que houve?!” até o famoso “ReXpeita o Rato”.

brTT tem um jogo agressivo, buscando grandes recompensas. Já jogou em duas das equipes mais tradicionais do cenário: as rivais paiN e Keyd. No documentário Legends Rising pudemos conhecer melhor o eterno atirador brasileiro, vem ressurgindo e brilhando com seus novos companheiros após um final de 2016 nas sombras. Ezreal, Jhin, Ashe e Varus foram até agora seus principais picks.

HUGO “DIOUD” PADIOLEAU:

O francês mais brasileiro da história dos e-Sports chegou no país em 2015, quando se tornou o primeiro estrangeiro a não só conquistar a Taça do CBLoL, mas também representar a região em um Campeonato Mundial. Após um tempo de volta à Europa, Dioud voltou falando um português quase fluente para o país que ganhou seu coração. O eterno Thresh zuero já prometeu: não importa em qual equipe, jogará até sua aposentadoria no Brasil, onde junta títulos e milhares de fãs. A Karma foi seu principal pick na competição.

FELIPE “YODA” NORONHA:

Showman é a palavra que define YoDa. Simpático, autoconfiante e emotivo, estourou em 2015. Desde o começo no Circuito Desafiante, o meio conquistou uma legião de seguidores em suas transmissões, criou sua marca de roupas e jogou na elite do competitivo brasileiro. Sua ascensão só estará completa com um título no currículo, e é isso que o meio, que jogou como caçador em 2016, procurará. Reserva do Dream Team, Yoda ainda não atuou no CBLoL 2017, mas seus recentes picks mostraram uma preferência pela Elise.

História:

De dissidentes da INTZ a novas revelações do cenário. A Red Canids vem conquistando cada vez mais espaço no cenário competitivo brasileiro após um começo surpreendente.

Conhecidos por revelar nomes que ainda buscavam seu espaço no cenário competitivo, como Brucer, SacyR e Ayel, a Matilha Vermelha vem apostando nos últimos tempos em nomes mais consagrados do cenário, aliando experiência e boas mecânicas a uma base estratégica muito forte. O que alguns chamam de “clamor por atenção”, visto seus jogadores populares, a Red Canids vê como uma oportunidade de ouro para utilizar a motivação alta destes atletas e buscar junto com eles um lugar de destaque nos rankings mais altos do cenário brasileiro.

A Matilha sente o gosto de sangue, e só parará com as mãos na taça.

Histórico em torneios oficiais:


2016

5º lugar CBLoL – 1ª Etapa
7º lugar CBLoL – 2ª Etapa


2015

1º lugar Série de Promoção – 1ª Etapa (INTZ Red)
6º lugar CBLoL – 2ª Etapa (INTZ Red)
1º lugar Série de Promoção – 2ª Etapa (INTZ Red)
5-8º lugar CBLoL – Pós-Temporada (INTZ Red)



MaisRecentes

Análise Press Start – Terra-Média: Sombras da Guerra



Continue Lendo

Bethesda divulga trailer de lançamento de Wolfenstein II: The New Colossus



Continue Lendo

Expansão Corridas Metamorfose já está disponível para GTA Online



Continue Lendo