Jogamos a beta de Call of Duty: Infinite Warfare. Confira!



Call of Duty: Infinite Warfare está logo ali na esquina, e para esquentar os motores, a Infinity Ward disponibilizou uma beta do multiplayer, e os jogadores que fizeram a pré-venda no PlayStation 4 tiveram a oportunidade de explorar o que veremos na versão completa do game.

O Press Start teve acesso à beta ao longo dos dias em que ela esteve disponível, e vamos dizer o que achamos do desempenho do modo mais popular de Call of Duty em Infinite Warfare.

A cada ano que passa, os fãs de Call of Duty aguardam com muita ansiedade as novidades e o lançamento do próximo game da franquia. E quando o CoD IW foi anunciado, seu trailer teve o maior números de avaliações negativas na história do YouTube. Mas será que era necessário todo esse ‘hate’?

A temática futurista não é das mais adoradas pelos fãs, e, desde o fracasso de Advanced Warfare, ficamos com medo quando somos apresentados a um novo CoD com essa pegada. Mas Infinite Warfare é definitivamente o mais ‘pés no chão’ desde Ghosts.

Inclusive, a sensação que tivemos ao jogar a beta é de que estávamos jogando uma mistura de Ghosts com Black Ops III. A jogabilidade é muito parecida com o último lançamento da Infinity Ward, e, juntamente com o sistema de movimentação que foi usado no BO3, ela se torna a melhor que tivemos nos últimos anos.

Os saltos são bem fracos e lentos, usados realmente apenas para alcançar um patamar superior. Os slides estão bem mais fluidos e fáceis de serem controlados, mas também não te deixam parecendo o Flash, portanto não influenciam demais nos combates.

Combates, aliás, que são o ponto alto do gameplay de Infinite Warfare. É tudo muito frenético. Os mapas que estavam disponíveis na beta contribuíram bastante para isso, já que nenhum era muito grande. Ainda encontramos quem usasse os saltos para tentar ganhar alguma vantagem, mas 95% estavam no chão. O time to kill é bem curto, ou seja, poucas balas são necessárias para matar o adversário.

Quem jogou Black Ops III está acostumado com o sistema de especialistas. Em Infinite Warfare ele volta com o nome de Módulos de Combate ou Rigs, e funcionam basicamente da mesma maneira que seus ‘irmão mais velhos’.

Criado com base em seis estilos de jogo distintos, estes novos trajes de combate oferecem um novo nível de personalização para o jogador. Ao escolher seu Rig, você ganha uma camada extra de estratégia para customizar o seu loadout com habilidades selecionáveis, chamados Payloads e Traits, antes de ir para a batalha.

Se em BO3 tínhamos que optar entre uma arma ou habilidade do especialista, em IW os Rigs levam uma de cada, fazendo que com que você nunca tenha certeza absoluta do que lhe espera do outro lado. Outra vantagem é poder trocar entre os Módulos durante as partidas.

As armas de Infinite Warfare são polêmicas. Isso porque as famigeradas ‘weapon variants’ estão de volta. Assim como rolou em Advanced Warfare, as armas do IW possuem versões alternativas e mais poderosas. Elas são adquiridas através dos supply drops, ou sendo ‘craftadas’ com o uso de salvage, e moeda do game.

Apesar de não sermos fãs dos supply drops, pelo menos não estamos mais presos a eles para conseguir uma arma nova. Há agora a possibilidade de juntar salvage e ir conseguir a variante desejada de maneira direta. Boa decisão da Infinity Ward.

Falando mais especificamente do desempenho das armas, é com prazer que podemos informar que o balanceamento delas é praticamente perfeito. Não há arma mais forte na beta. Existe sim uma ou outra que se adapta melhor ao seu estilo de jogo. Mas isso depende de cada jogador e não de cada arma, como deve ser.

Os mapas a que tivemos acesso na beta, como dito acima, não são grandes. Para quem gosta de ação frenética ininterrupta, Infinite Warfare é um prato cheio. Não há momento para respirar. Cada streak conseguido é recebido com alívio imenso, já que a qualquer momento podemos morrer.

Mais uma novidade do IW são as Equipes de Missão. São quatro equipes únicas, baseadas no tipo de cada jogador. Cada uma delas tem seus próprios desafios e um comandante que serve de guia para o jogador. Cada missão completada rende experiência adicional e itens especiais. É interessante ter um objetivo diferente a cada partida, e ser recompensado por completá-lo.

CONCLUSÃO:

O multiplayer de Call of Duty: Infinite Warfare parece ser uma versão refinada dos últimos lançamentos da franquia. A jogabilidade lembra bastante Ghosts e Black Ops III, e seu ritmo acelerado, aliado aos mapas pequenos e curto ‘time to kill’, promete fazer de IW o mais frenético CoD até hoje.

Agora nos resta aguardar o lançamento do game completo, no dia 04 de novembro. Para ajudar a aliviar a expectativa, ainda teremos mais um final de semana com a beta, agora gratuita no PS4, e para que fez a pré-venda no Xbox One.



MaisRecentes

Análise Press Start – The Evil Within 2



Continue Lendo

Análise Press Start – Terra-Média: Sombras da Guerra



Continue Lendo

Bethesda divulga trailer de lançamento de Wolfenstein II: The New Colossus



Continue Lendo