‘Toboco’ conta como se prepara para o MSI e rasga elogios à torcida brasileira



Para esquentar o clima e exaltar os ânimos dos torcedores e fãs do e-Sports para o Mid-Season International, torneio mundial que reunirá os campeões das ligas oficiais de League of Legends, conversamos com o Diego Pereira. Não conhece o Diego? Então, vamos reformular a frase. O LANCE! conversou com exclusividade com Diego ‘Toboco’ Pereira. Um dos principais narradores de League of Legends do cenário brasileiro. Ele nos contou como está sendo a preparação dos ‘casters’ para o MSI.

– É legal perceber que o mundo inteiro olha para o Brasil e agora recebemos um grande evento mundial. Para a nossa preparação está todo mundo muito animado, a gente tem um grupo de estudos que se reúne toda a semana para o CBLoL, para o MSI vai ser ainda mais intenso. A gente está buscando informações, falando com treinadores no exterior, porque a gente sabe que temos que entregar um conteúdo como nunca entregamos na história.

– Então, estamos nos preparando muito, muito mesmo, nível de preparação e foco total. Todo mundo sabe a importância que tem o MSI para o Brasil. O e-Sports já conseguiu quebrar várias barreiras, mas receber um evento mundial é um momento inédito para gente. A Riot tem uma fono, temos uma fono. Todos os ‘casters’ da Riot tem um acompanhamento semanal da fonoaudióloga, e ela (Riot) nos prepara. Por exemplo, o MSI são três, quatro partidas por dia. Querendo ou não você tem que estar preparado não só na voz (na parte vocal), mas na parte física para aguentar essa carga de horas dos ‘casters’. Ela dá um apoio, um acompanhamento, principalmente agora no MSI. Realmente a Riot se preocupa muito para deixar todos os ‘casters’ com uma boa voz e preparados, para que seja uma transmissão perfeita – prosseguiu o narrador.

Vista como a melhor torcida do mundo, ‘Toboco’ conta que os torcedores brasileiros influenciam, de forma positiva, nas narrações presenciais. O narrador destaca ainda que a narração in-loco é diferente da narração de estúdio, e conta que a Riot dá total liberdade para que eles se transformem em verdadeiros torcedores durante as narrações.

– É incrível! Quando narramos nos Estados Unidos, lógico, foi toda uma alegria mundial, primeira vez no exterior, mas era uma torcida americana. Eles se portam de uma forma diferente que uma torcida européia, que uma torcida brasileira. O brasileiro torce de uma forma única. Dizem que a torcida brasileira é a melhor torcida do mundo. O brasileiro comemora tudo, Isso é legal, porque é algo que claro que estamos torcendo para o jogo, para o e-Sports, e não necessariamente para os times. Da minha parte, imagina a cena, quando a INTZ ganhou da EDG eu quase chorei ao vivo (risos). Eu estava me segurando para não chorar. Vê o Brasil jogando contra um time chinês. Então, imagina agora no Brasil, a torcida brasileira gritando. Tomara que a gente consiga vencer partidas na etapa global (Rio de Janeiro). Eu considero a torcida brasileira sem dúvida alguma o maior título brasileiro. É realmente uma torcida eufórica que influencia na narração. No estúdio, estamos eu, Tixinha, Skeat e o Schaeppi. Então, estamos em uma área controlada. Com torcida, a gente se empolga, grita. a gente se segura para não gritar junto.  A gente tem essa instrução da Riot para a gente fazer uma narração propicia, o narrador pode fazer algo mais torcedor. Então a gente entra naquele clima, de cara é o Brasil, nós temos que ganhar. A gente sempre tenta fazer uma narração para a torcida. Cada lado (estúdio e presencial) tem suas vantagens – contou.

Pela primeira vez, o Brasil será palco do Mid-Season International (MSI), a ser realizado entre os dias 28 de abril e 21 de maio, em São Paulo e no Rio de Janeiro, respectivamente. A torcida brasileira certamente estará em bom número nos locais de competição, visto que em São Paulo, os ingressos já esgotaram. Para a fase de Grupos e Eliminatória, no Rio, os ingressos do segundo lote ainda estão disponíveis aqui. Os ingressos variam de 80 a 120 reais. Para mais informações do campeonato acesse aqui.

Meus caros amigos leitores, pensaram que acabou? Confira abaixo o bate-bola completo com Diego ‘Toboco’:

Como foi seu início na narração de League of Legends?

Quando eu comecei, a gente não tinha salario, não tinha renda. Era realmente um hobby, eu tinha uma empresa e final de semana fazia as gravações. Abri mão de muita coisa, lembro dos meus pais falando: “Pô, Diego, vem almoçar com a gente, vamos passar o dia juntos.” Eu falava: “Não da, tenho que narrar a G4lol”. Você lembra G4lol era o dia inteiro. A Go4lol era um torneio aberto ao público, então tínhamos muitos jogos.

Em 2013, a equipe da Keyd derrotou os coreanos do Incredible Miracle. O que você espera da torcida brasileira no MSI?

O legal é que, o que eu vejo hoje, independente de ser Keyd ou Red Canids o grande campeão do CBLOL, a gente vai estar muito bem representado. São dois times que tem uma ‘Staff’ incrível, possuem jogadores que estão em um nível absurdo, se você parar para pensar, só três jogadores que podem jogar a final nunca jogaram uma final. Temos campeões brasileiros, brTT, Yang, Revolta, e o Takeshi, que foi campeão do desafio internacional. Estamos muito bem servidos. São etapas. Antes de tudo, temos que garantir a vaga para o Rio de Janeiro. Acredito que somos favoritos, pelo nível que estamos empenhando. Se conseguimos essa vaga, lógico, um título é um sonho um pouco distante ainda, mas podemos fazer uma boa campanha. Não precisa ser campeão para fazer uma boa campanha, você pode vencer duas, três partidas na fase de grupo. Para nós, é uma boa campanha. Acredito que o Brasil pode chegar muito forte. E outra, nós estamos com a torcida do nosso lado, a torcida vai fazer tanto barulho, mais tanto barulho que os jogadores internacionais vão sentir (risos).

Como você vê o mercado do e-Sports para novos casters? Tem vaga?

Às vezes as pessoas acham que “Ah não, são só os sete lá do CBLoL e acabou, é isso aí”. Pelo contrário, o mercado está aí. Não é só League of Legends, a gente sabe. Tem um monte de jogos que narradores, comentaristas, analistas e um apresentador podem fazer. Acredito que quando você faz um bom trabalho, as pessoas estão observando. Nunca podemos alegar que são sete. E se um dia aumentar, e se alguém parar e se alguém quiser sair. Um bom exemplo, o Skeat entrou. O mercado está olhando, as pessoas estão sendo observadas. A gente sabe que é mais difícil, a gente tem uma infraestrutura, as pessoas de fora não terão uma estrutura aprimorada. Mas a gente começa de baixo. Eu também comecei de casa, comecei narrando de casa, o Skeat também começou de casa e hoje está no CBLoL. Eu sempre acredito que tem espaço em tudo, basta você mostrar sua competência, seu trabalho e algum dia alguém vai perceber.

Como você vê seu futuro no e-Sports, pensa em narrar outros jogos ou até ir para o futebol, por exemplo?

Sinceramente, hoje só penso em e-Sports, no League of Legends. Eu sempre falo, devo minha vida ao LoL e a tudo o que eu tenho. Sou narrador há cinco anos. Se eu pôr na conta e no papel, são oito anos. Tenho 29 anos e desde o 21 no LoL. Tudo que eu tenho é por conta do League of Legends, minha carreira, minha paixão é por conta do League of Legends. Eu nem busco outras coisas porque realmente quando você faz alguma coisa por amor, aquilo vira prazer. Eu não trabalho, me divirto. Eu sou muito feliz narrando League of Legends, não tenho pretensão em largar o LoL, vou ficar até minha garganta aguentar.

Todos sabem que sua inspiração na narração é o Galvão Bueno, mas no mundo do e-Sports tem alguém em quem você se inspira?

Eu tinha uma inspiração muito forte no Deman, mas depois ele acabou saindo da Riot. Eu olhava para ele e gostava, sentia uma coisa boa. Comecei a acompanhar o Rivington. Já estive com ele pessoalmente, um cara muito simpático, muito solicito, então criei um carinho muito maior por ele. Quando penso em narração internacional vem na cabeça o nome dele.

Como você vê o preconceito que os fãs de League of Legends sofrem?

Independente do que for seu sonho. Se seu sonho for ser astronauta, ou jogador de e-Sports, sempre vão ter pessoas que vão tentar por barreiras, te colocar para baixo, etc. Claro que outras carreiras são mais fáceis que outras. Tem carreiras que as pessoas falam: “Pô ele quer ser isso? Legal, vou incentivar”. Mas continuem persistindo, mostrem para suas famílias, para seus pais, seus avós, quem cuida de você. Isso é um mercado, pessoas vivem disso, pais de família, mães de família, sustendo suas famílias por causa do esporte eletrônico. Não é brincadeira o que a gente faz. É um mercado bilionário. Eu dei meu exemplo aqui, eu devo tudo ao League of Legends. Falo por mim, pelo Diego, é uma coisa muito séria. O e-Sports não é o futuro, é o presente. Estamos vivendo a era do e-Sports. Você não quer gostar? Tudo bem, é um direito seu, mas respeite as pessoas que gostam. Cada um gosta do que quiser, joga o que quiser, cada um vive a vida da forma que quiser Vamos todos nos respeitar e vamos todos viver nossos sonhos.

Tem alguma curiosidade para a preparação do Mid-Season Invitational?

Acho legal é como vemos os nomes, como a gente estuda isso. A gente se junta, faz uma reunião geral, dois, três dias antes da transmissão. Não é brincadeira (risos), para pegar todos os jogadores, alinhar todos os nomes. E aí vai a curiosidade, tem alguns jogadores que em português, é impronunciável, não tem como. Na hora da narração não tem como, então o que a gente faz. Procuramos uma forma de falar o nick dele, a gente da uma sútil mudança no nome do jogador para que fique mais claro em português.

Alguém ainda te chama de Diego ou só Toboco?

Quem me chama de Diego é minha esposa, minha família, e só. Para os meus amigos é Toboco, eu que me denominei Toboco. Toboco sou eu, narrador de League of legends (risos).



  • Ygor St

    Totalmenteee tixado meu caro amigo burstinhaaa!!

MaisRecentes

Em noite de gala, Team One se destaca e Felipe ‘brTT’ é eleito o craque da galera no prêmio CBLoL



Continue Lendo

Toma-lhe GOTY! Os cinco candidatos ao prêmio de Melhor Jogo de 2017



Continue Lendo

Análise Press Start – Assassin’s Creed Origins



Continue Lendo