Como é o dia a dia de um atleta profissional de e-Sports? Confira aqui!



Vocês já imaginam como é o dia a dia de um jogador de futebol, treinos pela manhã, as vezes em período integral, viagens, jogos, dentre outras coisas. Porém, vocês já imaginaram a rotina de um cyber atleta? Como eles treinam? Onde e como se preparam? Bem, fomos atrás disso e com exclusividade conseguimos desvendar esse mistério. Afinal, jogar videogame é profissão.

Conversamos com Marcelo “Riyev” Carrara, suporte do KaBuM! e-Sports e ele nos contou como é sua rotina em dias de competição.

– Em dias de Campeonato, geralmente acordo até às 10h e aproveito a manhã para praticar sozinho antes dos treinos. Almoço com outros jogadores do time e iniciamos o treinamento em equipe, seguindo normalmente até o período da noite. Depois jantamos e vamos à academia. Antes de dormir, também procuro treinar mais individualmente. – comentou.

Os treinos dos jogadores costumam ser divididos em três partes: Treino tático, treino individual e coletivo. Em média, os cyber atletas se dedicam 10h por dia ao League of Legends, no restante do tempo eles descansam e realizam outras atividades.

– No meu tempo livre, gosto de sair com meus amigos, mas também aproveito para ver filmes e descansar. Portanto, conseguimos tempo para relaxar, até pelo fato de ser recomendável fazer atividades diferentes do jogo, para sempre mantermos a cabeça limpa e tranquila. – afirma Marcelo ‘Riyev’

Os jogadores profissionais vivem em constante concentração, já que moram em uma Gaming House, espécie de Centro de Treinamento, com isso, aumentam o entrosamento e o foco na profissão.

– Eu acho muito bom viver numa Gaming House, ainda mais com outros caras que você se dá muito bem. É super importante, pra gente, conversar e estudar sobre o jogo. E, poder fazer isso com seus amigos, se torna melhor ainda. A gente faz tudo juntos praticamente, fica um clima muito bom e isso fortalece a relação dos jogadores e comissão técnica, melhorando, assim, o desempenho dentro de jogo.- Comentou Marcelo ‘Riyev’

Todos os times possuem técnicos e comissão técnica, Vinícius “Neki” Ghilardi, treinador do KaBuM! contou para gente como é viver o dia a dia com esses jovens jogadores.

– É bem divertido, mas também bastante complicado. Como são jovens de opinião própria e curiosos, muitas vezes é preciso explicar detalhadamente o “porquê” das coisas, para chegar a um consenso – o que pode ser algo positivo, já que você acaba trocando informações e aprendendo bastante com o ponto de vista deles –  Afirmou

 Vinícius “Neki” Ghilardi também falou como é rotina de um treinador de e-Sports. Se engana quem acha a rotina dos técnicos algo fácil de se fazer.
– Eu procuro levantar sempre mais cedo do que todos, organizar o que preciso e preparar conteúdo para o treino. Antes de iniciar com os jogadores, passo as instruções e iniciamos o jogo. À noite, aproveito o tempo livre para me atualizar dos jogos que aconteceram no dia e refletir um pouco sobre o dia seguinte de treino.- Completou

Para ter uma boa estrutura de trabalho, uma Gaming House e uma equipe competitiva, é necessário investimento e coragem, já que é um mercado em crescimento. Guilherme Fonte, diretor de e-Sports do KaBuM! falou um pouco sobre isso e projetou o futuro dos esportes eletrônicos.

– Administrar uma equipe de eSports é um grande desafio. Hoje, o cenário nacional evoluiu bastante e está cada vez mais profissional, envolvendo investimentos em estrutura e uma equipe multifuncional atuando de forma direta e indireta. É preciso também sempre estar atualizado com as novidades e mudanças do cenário. O eSport, de um modo geral (todas as modalidades), tem tudo para crescer mais ainda a longo prazo. Hoje, com a transmissão dos jogos por canais de TV, por exemplo, nos mostra que, aos poucos, estamos ocupando uma fatia do mercado, já que é um segmento que oferece forte influência ao público jovem. Com o investimento de grandes empresas e um ótimo trabalho por parte das organizações, cada vez mais profissional, fica evidente que o Brasil caminha para se tornar referência na modalidade. – comentou o diretor.

Ficou interessado nessa vida dos esportes eletrônicos? Então, comece a treinar, pois para chegar onde esses jogadores chegaram não é tão fácil assim. Vinícius “Neki” Ghilardi contou como é feita a seleção de jogadores e como eles contratam.

– Existem vários métodos para contratações, que irão depender muito de como você quer projetar uma equipe. Nesse meio, experiência é talvez uma das principais qualidades que um profissional pode ter. Nesse caso, o foco é em jogadores quem já atuaram no CBLOL. Outro método é buscá-los em filas ranqueadas que, na maioria das vezes, há jogadores muito habilidosos – neste caso são players com pouca experiência, sendo dados como “promessas”. Porém, em geral, é preciso ser bem cauteloso e detalhista na hora de uma contratação, já que é preciso encaixar o profissional de maneira adequada ao seu projeto. – Finalizou o técnico.

O KaBuM! e-Sports um dos pioneiros e investir forte nos esportes eletrônicos brasileiros, recentemente Ronaldo Fenômeno resolveu entrar nesse mercado e investiu na CNB e-Sports. No Brasil, o Santos e o Remo possuem equipes de e-Sports, no mundo a fora, Manchester City, Valencia, Wolfsburg, PSG, dentre outros clubes já participam do ramo.



MaisRecentes

Futebol dos Streamers reúne craques dos games em prol de causa social



Continue Lendo

Ubisoft Brasil anuncia Victória “Viic” Rodrigues como integrante da equipe de transmissão para finais mundiais da Rainbow Six Pro League



Continue Lendo

Qualificatório aberto para Rainbow Six OGA PIT, na Croácia, acontece neste fim de semana



Continue Lendo