CEO do Keyd Stars avalia evolução do e-Sports e fala sobre a importância das transmissões de TV



O mundo dos esportes eletrônicos está cada vez mais agitado, o mercado que parecia ser promissor há alguns anos, hoje já começa a se tornar realidade. Com o passar do tempo, o mundo do e-Sports cresceu e os campeonatos que eram disputados em pequenos estúdios, atualmente, possuem finais em lugares respeitavelmente conhecidos, como Maracanãzinho, Allianz Parque e o ginásio do Ibirapuera, que receberam as decisões do CBLoL 2014, 2015, e 2016, respectivamente.

Em conversa exclusiva com o LANCE!, o CEO do Keyd Stars, Renan Phillip, contou como está a evolução no cenário brasileiro de e-Sports:

– Sempre vivemos sob uma máxima (muito trazida pelo fracasso que foi a CGS em 2007-08) de que não precisamos da TV. Ao longo do tempo, começamos a acreditar que pelo contrário, a TV precisava de e-Sports para manter o interesse da nossa audiência, que assiste cada vez menos TV e até mesmo menos de outros esportes convencionais. Com o real início de transmissões de torneios via TV, enxergo agora que ambos precisam um do outro. Para que nosso esporte continue crescendo de forma acelerada, precisamos acelerar a geração de receitas, e nada como o carimbo das grandes emissoras e companhias de mídia para salientar que o que fazemos é sério e pode ser vendido a preços justos, criando assim novas fontes de receitas para clubes, ligas e publishers, com direitos de transmissão em jogo, e aumentando exponencialmente o valor de publicidade em qualquer vertente de e-Sports, seja em mídia, patrocínios ou merchandising. Em 5 anos todos os times terão seus espaços físicos para prover aos seus torcedores experiências ainda mais impactantes em dias de jogo, além de também terem experiências em VR (algo que depende tanto da evolução e precificação da tecnologia quanto dos clubes e ligas de e-Sports) que tornarão os esportes eletrônicos algo ainda mais único de se assistir. Direitos de transmissão serão parte majoritária da receita que clubes gerarão (talvez não grandes clubes que saibam gerenciar seus assets bem), seja ele para TV ou para web/VR. Principalmente, até lá estaremos no mesmo nível que todas as regiões do ocidente, apesar de também acreditar que em breve começaremos a exportar jogadores de LoL. – comentou Renan Phillip

O técnico do Keyd Stars, Thiago ‘Djokovic’ Maia também falou sobre a evolução do e-Sports e sobre a importância de jogar em lugares renomados

– Estive presente como espectador na final do Maracanãzinho e fui treinador da CNB na final do Allianz parque, então senti de perto a emoção intensa de participar da final. O reconhecimento cada vez maior do e-Sport é muito gratificante e nos motiva ainda mais. – Falou Thiago ‘Djokovic’

Lorenzo Jung, treinador estratégico do Keyd Stars também falou sobre a possibilidade de disputar as finais das competições em lugares como o Allianz Parque e o estádio do Ibirapuera, por exemplo.

– Jogar na frente de uma plateia grande é o sonho de todo atleta e poder jogar em uma arena renomada como as citadas é uma conquista maior ainda. Tais aspectos só agregam à nossa vontade de ganhar o título – Finalizou

Com apenas um ponto conquistado até agora, o Keyd Stars encara a OPK no próximo domingo, às 15h. A equipe liderada por Murilo ‘Takeshi’ precisa vencer para entrar na zona de classificação para os playoffs da competição.



MaisRecentes

Análise Press Start – Terra-Média: Sombras da Guerra



Continue Lendo

Bethesda divulga trailer de lançamento de Wolfenstein II: The New Colossus



Continue Lendo

Expansão Corridas Metamorfose já está disponível para GTA Online



Continue Lendo